NOTÍCIAS MAIS VISTAS NO ANO

sexta-feira, 26 de maio de 2017

Operação Companheiro investiga desvios de recursos públicos em Curuçá

Foto: Fábio Costa
Segundo a Polícia Civil, além dos desvios, há indícios de subtração de documentos públicos.

A Delegacia de Repressão a Defraudações Públicas (DRDP), vinculada à Divisão de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), realizou hoje (25) a primeira fase da "Operação Companheiro", no Município de Curuçá. O objetivo foi dar cumprimento a mandados de busca e apreensão de documentos da prefeitura, que estavam desaparecidos. Há indícios de desvios de recursos públicos, corrupção e subtração de documentos públicos. 

Todos os documentos - fundamentais nas investigações e que devem servir de prova futuramente - foram apreendidos. O delegado Carlos Eduardo Vieira, que comanda as investigações sobre o caso, explica que as investigações foram iniciadas depois que a delegacia especializada recebeu do Ministério Público, uma requisição de instauração de inquérito policial para investigar os indícios de fraude. 

Junto com a ordem para iniciar as investigações, o delegado recebeu o relatório do COAF (Conselho de Controle de Atividades Financeiras). O conselho monitorou transações bancárias e identificou movimentações suspeitas.  Há várias transferências bancárias que foram feitas por pessoas ligadas aos gestores municipais. A suspeita é que teriam se aproveitado indevidamente de recursos da prefeitura. A quantidade de pessoas envolvidas no esquema e a valor total do desvio ainda serão determinados durante as investigações da polícia civil. 

A suspeita é de que o esquema funcionava por meio de duas empresas: a Campasa e a Associação de Agropesqueira do Município de Curuça. Nos contratos, verbas publicas eram utilizadas para a compra de produtos alimentícios. Mas depois de pagar pelos produtos, o valor era revestido para representantes da gestão do município.

Portanto, o crime ocorria por meio de transações financeiras entre contas da Prefeitura e de empresas que supostamente eram prestados serviços à municipalidade.

Além disso, há também a subtração de documentos públicos. O delegado explica que é investigado o crime de desvios de recursos públicos que ocorriam na gestão do prefeito Fernando Cruz. Os documentos que comprovariam as irregulares nos contratos administrativos - contratos firmados entre 2008 e 2012 - desapareceram. No entanto, ele foram encontrados ontem na sede de uma das empresas investigadas. Todos os documentos serão cuidadosamente analisados.  

Por: Portal ORM com informações de O Liberal

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Favor comentar sem palavras ofensivas.

Publicidade Google

Publicidade Portal das Malas

Portal das Malas

Publicidade Shoptime

Publicidade Submarino

Publicidade recargapay

Publicidade Timecenter

Publicidade Euro

Publicidade Trocafone

Publicidade Motorola

Publicidade Plantei

Publicidade Veloe

Publicidade Shoptime

Lançamentos de Cama, Mesa e Banho com até 50% de Cashback, receba até R$70 reais de volta
Lançamentos de Cama, Mesa e Banho com até 50% de Cashback, receba até R$70 reais de volta

Publicidade JetRadar

Jetradar

Publicidade PagSeguro

PagSeguro BR

Publicidade Sumup