Publicidade Google

quarta-feira, 30 de maio de 2018

87% dos brasileiros apoiam greve dos caminhoneiros e rejeitam alta de imposto e corte de gasto, diz Datafolha

Fila de caminhões na BR-174 no sábado (26), sexto dia de greve dos caminhoneiros (Foto: Alan Chaves/G1 RR)
Fila de caminhões na BR-174 no sábado (26), sexto dia de greve dos caminhoneiros (Foto: Alan Chaves/G1 RR)
Sobre a continuidade da paralisação, porém, o apoio diminui: 56% acham que ela deve continuar enquanto 42% defendem o seu fim.

ma pesquisa do Datafolha divulgada nesta quarta-feira (30) mostra que 87% dos brasileiros apoiam a paralisação dos caminhoneiros, mas o mesmo percentual rejeita cortes no orçamento e aumento de imposto para atender às reivindicações da categoria.

Veículo de Dracena tem mensagem de apoio à greve dos caminhoneiros (Foto: Mariana Gouveia/TV Fronteira)O levantamento com 1,5 mil pessoas aponta que apenas 10% são contra a paralisação dos caminhoneiros, 2% são indiferentes e 1% não soube opinar.

Sobre a continuidade da paralisação, porém, o apoio diminui: 56% acham que ela deve continuar enquanto 42% defendem o seu fim.

Veículo de Dracena tem mensagem de apoio à greve dos caminhoneiros (Foto: Mariana Gouveia/TV Fronteira).

Veículo de Dracena tem mensagem de apoio à greve dos caminhoneiros (Foto: Mariana Gouveia/TV Fronteira)
Veículo de Dracena tem mensagem de apoio à greve dos caminhoneiros (Foto: Mariana Gouveia/TV Fronteira)
A pesquisa telefônica foi feita na terça-feira (29), dia em que os bloqueios diminuíram e os caminhões começaram a circular com mais frequência nas estradas do país. A margem de erro do levantamento é de três pontos para mais ou para menos.



Contra aumento de impostos
Embora seja solidário às reivindicações dos caminhoneiros, 87% dos entrevistados não concorda com as medidas encontradas pelo governo para atender os caminhoneiros. Apenas 10% aprovaram o aumento de impostos e o corte dos gastos federais, dentro de uma paleta bastante variada de opões.

Negociação
A avaliação sobre a condução da negociação entre o governo Michel Temer e os caminhoneiros também foi alvo da sondagem: 77% desaprovaram, 16% acham que foi regular, 6% aprovaram e 1% não souberam avaliar.


Para 96%, Temer demorou para negociar, contra 3% que consideram que o presidente o fez no momento correto.

G1

terça-feira, 29 de maio de 2018

Cientistas acham esqueleto de homem chamado "último fugitivo" de Vesúvio

A cidade de Pompeia foi destruída por uma erupção do vulcão Vesúvio no ano de 79, e suas vítimas ainda são encontradas
Reprodução/Shutterstock
A cidade de Pompeia foi destruída por uma erupção do vulcão Vesúvio no ano de 79, e suas vítimas ainda são encontradas

Ossada pertencia a um homem de aproximadamente 35 anos que, com uma deficiência na perna, não conseguiu fugir a tempo de se salvar da erupção

Um novo esqueleto foi encontrado no sítio arqueológico de Pompeia, na Itália, durante escavações na cidade destruída pelo vulcão Vesúvio. Trata-se de mais uma vítima da erupção, que batizada de “o último fugitivo”, era um homem de aproximadamente 35 anos que não conseguiu fugir das cinzas.

A ossada foi encontrada na região “Regio V”, onde novas escavações estão sendo conduzidas por pesquisadores. O morador de Pompeia foi atingido por uma coluna de 300 quilogramas de cinzas, fumaça e pedras e, segundo análises preliminares do esqueleto, o homem pode ter ficado preso porque tinha uma condição de saúde: como mancava, não conseguiu fugir para se salvar.

“Na sua tíbia, dois mil anos depois, ainda há sinais de uma brava infecção óssea, talvez uma periostite ou uma osteomielite, que, provavelmente, causava dor e impediu que a vítima fugisse”, detalhou a antropóloga Valeria Amoretti. Além disso, o tórax da vítima estava esmagado e sua cabeça não foi localizada.

“Deu para entender o quão dramáticos devem ter sido os últimos instantes deste homem, que se viu ao centro de uma nuvem piroclástica. Na prática, uma avalanche de fogo que carregava detritos, pedaços de ferro, galhos e restos de pavimentos”, explicou Massimo Osanna, diretor-geral do Parque Arqueológico .

Em abril do ano passado, um casal petrificado pela erupção do Vesúvio teve um detalhe revelado: essas figuras ficaram conhecidas como “as duas donzelas” desde que foram descobertas, entretanto, uma tomografia digital e testes de DNA revelaram que se tratam de dois homens e não mulheres .

O abraço de duas donzelas em Pompeia, na verdade, é formado por homens que não tinham relações de parentesco
Reprodução/Twitter
O abraço de duas donzelas em Pompeia, na verdade, é formado por homens que não tinham relações de parentesco

Por mais que seja impossível determinar qual era a natureza do relacionamento entre eles, a análise determinou que certamente "não têm parentesco". Por isso, pesquisadores dizem que não se pode descartar a possibilidade de que tenham sido amantes .

O arqueólogo Vittorio Spinazzola criou moldes de gesso das figuras depois que foram descobertas na Casa del Criptoportico, no começo do século passado. Desde 2015 pesquisadores tentam descobrir mais sobre “as duas donzelas” e outras 86 vítimas preservadas.

Pompeia  está localizada a 22 km da cidade de Nápoles, no sul da Itália, e foi destruída por um terremoto e pela erupção do vulcão Vesúvio no ano de 79. As cinzas mantiveram o local escondido até 1748, quando foi descoberto por acaso e, desde então, foco de diversos estudos e escavações para compreender detalhes do desastre e suas vítimas.

Leia também: Atirador segue policiais, rouba suas armas e mata três pessoas na Bélgica 
*Com informações da Agência Ansa

Fonte: Último Segundo - iG

'Quando rejeitam o diálogo, exercemos a autoridade', diz Temer sobre grevistas

Presidente Michel Temer havia demonstrado convicção de que a greve dos caminhoneiros seria encerrada hoje
Alan Santos/PR - 28.5.18
Presidente Michel Temer havia demonstrado convicção de que a greve dos caminhoneiros seria encerrada hoje

Presidente fez tal declaração em um discurso, feito nesta terça-feira, na cerimônia de abertura do Fórum de Investimentos Brasil 2018, em São Paulo

O presidente da República, Michel Temer, destacou a importância do diálogo para a democracia e disse, nesta terça-feira (29), que quando “alguns” ameaçam não querer o diálogo e parar o Brasil, é preciso exercer “a autoridade” para preservar os direitos da população. 

“O diálogo é da própria essência da política e da democracia. É, aliás, sua fortaleza. Quando alguns rejeitam o diálogo e tentam parar o Brasil, exercemos a autoridade para preservar a ordem e os direitos da população, mas antes disso, um diálogo é fundamental, leve quanto tempo levar”, disse Michel Temer .

A declaração do presidente foi feita hoje na cerimônia de abertura do Fórum de Investimentos Brasil 2018, em São Paulo, mesmo dia em que o País enfrenta o nono dia de consequência da greve dos caminhoneiros. 

Em seu pronunciamento, Temer acrescentou ainda que alguns confundem a vocação para o diálogo com uma eventual leniência política o que, na verdade, é exatamente o oposto. 
Leia também: Ministros dizem que a negociação com os caminhoneiros foi esgotada, mas evitam prever normalização

Temer 'ressuscita' o tema reforma da Previdência

Ainda em seu discurso, o emedebista relembrou um teme que já estava ficando para o passado: a reforma da Previdência.  Temer  declarou que, apesar de ter saído da pauta legislativa, a reforma continua na agenda política.

“Ninguém chegará ao fim deste ano, ou do ano que vem, sem realizar a reforma previdenciária. Por isso, as próximas eleições serão distintas das que tivemos desde a redemocratização”, afirmou.

Para o presidente, os assuntos tidos como fundamentais serão levados em conta pelos eleitores brasileiros. "[Eles exigirão] posições claras, planos de governos, propostas concretas e resultados”, disse. “Os brasileiros vão querer saber se os candidatos se comprometerão com o equilíbrio fiscal ou se aceitaram inflação alta e juros elevados”, acrescentou Michel Temer .

* Com informações da Agência Brasil.

Fonte: Último Segundo

II TRILHA DA TERRA DO CARIMBÓ FOI UM SUCESSO

A imagem pode conter: 7 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé e atividades ao ar livre
Foto PMM
Neste domingo (27) de maio aconteceu em Marapanim/PA a II TRILHA DA TERRA DO CARIMBÓ, com a largada saindo de Marudá, com a participação de mais 400 ciclistas de vários municípios e estados do Brasil.

Um evento importante para o município gerando renda, bem star e valorizando o turismo e cultura de Marapanim.

Foi uma realização da TRILHAS E RUMOS E PRESSÃO NA TRILHA DE MARAPANIM, e contou com APOIO DA PREFEITURA DE MARAPANIM e Secretarias Municipais bem como do Blog O Marudá.

Por PMM

Igreja prepara a festa de Corpus Christi

Igor Mota/O Liberal
Adoração, missas e procissões marcam celebrações da próxima quinta.

A igreja de Belém se prepara para as solenidades da festa de Corpus Christi, ritual católico da celebração da comunhão instituída por Cristo na ùltima ceia com os apóstolos, que acontece em todo o mundo sempre em uma quinta-feira, de acordo com a referência bíblica, e este ano será celebrado no dia 31, feriado nacional. Haverá programação em todas as paróquias da Região Metropolitana de Belém. Cada paróquia fará sua própria agenda, em sequenciamento à solenidade de Pentecostes realizada pela Arquidiocese, no Mangueirinho.

Também na próxima quinta-feira, a Paróquia de São Francisco de Assis, cuja sede é a Igreja dos Capuchinhos, na Travessa Castelo Branco, no bairro de São Brás, em Belém, promove a Festividade de Santo Antônio. Com o tema “A exemplo de Santo Antônio, queremos servir ao reino de Deus”, a festividade desenvolvida será até o dia 13 de junho.

A programação vai contar com missas e bênçãos específicas para os coroinhas, gestantes, doentes, idosos e casais, entre outros. Na quadra da paróquia haverá apresentações musicais, quadrilhas juninas e venda de comidas típicas. Durante o período de preparação da festa foi realizada no último dia 22 a Missa do Envio, para abençoar as atividades e as pessoas envolvidas na festividade. 

A festividade é uma realização do presidente da Casa do Pão e guardião do Convento dos Capuchinhos, frei João Carlos Messias, em conjunto com a vice-presidente Cândida Vivi e a equipe de antonianas e antonianos, formada por voluntários e benfeitores da Casa do Pão. A renda obtida pelo evento será destinada à instituição, que atende mais de 300 idosos, diariamente, com distribuição de cestas básicas e atendimento social e médico, além de atividades esportivas e educativas. 

A programação de Corpus Christi na Catedral da Sé, na Cidade Velha, terá solenidade às 7h presidida pelo arcebispo dom Alberto Taveira Corrêa. Em seguida haverá procissão com o Santíssimo Sacramento, passando pelas ruas Padre Champagnat, Tomásia Perdigão, Largo de São João, Joaquim Távora, Siqueira Mendes e Igreja do Carmo. Haverá também a Adoração ao Santíssimo Sacramento, das 14h às 18h e missa, às 19h. 

Dom Alberto celebrará missa também na inauguração do Seminário Monsenhor Edmundo Igreja, às 10h, e na Paróquia do Santíssimo Sacramento, às 19h. Já os bispos auxiliares também presidirão missa solene de Corpus Christi em outros pontos da Arquidiocese. Dom Irineu Roman celebrará às 7h, na Igreja de São Sebastião (Icoaraci) e dom Antônio de Assis Ribeiro, às 19h, na Paróquia São Marcos, em Marituba.

A Região Episcopal Coração Eucarístico de Jesus reunirá todas as paróquias de sua área de atuação na Igreja de Natividade de Nosso Senhor Jesus Cristo, no Conjunto Sideral – Parque Verde, com missa, instituição e renovação dos ministros extraordinários da comunhão, às 9h. Com missa celebrada por Dom Irineu Roman, estarão reunidas as paróquias de São João Batista e Nossa Senhora das Graças, de Nossa Senhora de Fátima, da Divina Misericórdia e de São Francisco de Assis, em Icoaraci, assim como a paróquia de Nossa Senhora do Livramento estarão, às 7h, na Praça da Igreja de São Sebastião, na orla. Logo após haverá procissão até a Paróquia de São João Batista e Nossa Senhora da Graças.

Também haverá missa e procissão nas paróquias de Santa Bárbara, às 17h, com saída da Capelinha de Santa Bárbara até a Matriz, de Santa Rosa de Lima, às 7h30, com romaria no entorno da igreja, e de Santa Luzia, no Jurunas, às 7h, com missa na Capela São Benedito, na Timbiras, e procissão com o Santíssimo Sacramento até a Matriz, onde haverá missa às 19h.0

Por: O Liberal

Fani Pacheco diz que foi obrigada a emagrecer

Instagran
A apresentadora e youtuber, que mede 1,66 m, chegou aos 70 quilos.

Quem frequenta as redes sociais de Fani Pacheco já deve ter percebido que a apresentadora e youtuber de 36 anos, está bem mais magra. Depois de chegar aos 85 quilos, a estudante de medicina – que estava até se dedicando à carreira de modelo plus size –, precisou emagrecer à força. Isso porque, em janeiro deste ano, durante um exame de rotina, ela foi diagnosticada com síndrome metabólica (conjunto de condições que aumentam o risco de doença cardíaca, acidente vascular cerebral e diabetes). "Entrei de férias na faculdade e, como sempre me cuidei, fui à minha nutróloga para fazer alguns exames de rotina. Queria saber como estava para poder voltar a malhar direitinho. E os exames acusaram que eu estava com resistência insulínica e estava prestes a ficar diabética", lembra ela, que participou do Big Brother Brasil 7.

A médica, a nutróloga Petra Pilotto, explicou para Fani que o tratamento consistia na perda de peso, na prática de exercícios físicos e na introdução de uma dieta saudável. No caso dela, também houve prescrição de medicamentos. "Minha mãe tinha diabetes, então já tenho predisposição. Mas eu era muito convicta de que não teria nenhuma doença por causa do aumento de peso porque sempre fiz esporte. Eu tinha uma massa magra grande, muita musculatura. Eu não achava que um ano acima do peso e comendo besteira um tempinho ia desregular meu organismo dessa forma”, conta ela, que, desde então já emagreceu 15 quilos.

Procurada por QUEM, Petra explicou o quadro de Fani. "Ela é uma pessoa que sempre foi ativa e teve uma vida saudável em relação à alimentação. De um período para cá, ela deixou de lado o exercício físico e passou a ser sedentária. Começou a comer mais e a descuidar da alimentação. Essa obesidade junto com o sedentarismo são fatores de tisco para a síndrome. Quando ela fez os exames, em janeiro, vi que ela estava com as taxas alteradas e que ela já tinha uma resistência à insulina. E a mãe dela era diabética. Disse para ela que uma vez que ela não começasse a se tratar,  provavelmente desenvolveria a diabetes tipo 2 no futuro", explica.

Por: Quem

O ministro do Supremo Gilmar Mendes mandou soltar mais dois presos da Operação Lava-Jato no Rio de Janeiro


Magistrado (E) avaliou que as prisões preventivas não atendiam ao Código de Processo Penal. (Foto: Agência Brasil)

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, recorreu contra decisões anteriores do magistrado

Magistrado (E) avaliou que as prisões preventivas não atendiam ao Código de Processo Penal. (Foto: Agência Brasil)
28 de maio de 2018 Brasil, CAD1, Capa – Caderno 1, Notícias, Política
Nessa segunda-feira, o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Gilmar Mendes mandou soltar mais dois presos na Operação Pão Nosso, desdobramento da Lava-Jato no Rio de Janeiro e que apura fraudes no sistema penitenciário. As prisões haviam sido autorizadas pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal.

A medida beneficiou o ex-secretário estadual de Administração Penitenciária Cesar Rubens Monteiro de Carvalho e o doleiro Sérgio Roberto Pinto da Silva, apontado como operador financeiros de propinas.

“Entendo que os fundamentos usados pelo magistrado de origem, ao decretar a prisão preventiva em desfavor do ora requerente (Processo 0502450- 54.2018.4.02.5101), também se revelam inidôneos para manter a segregação cautelar ora em apreço, visto que a referida prisão preventiva da mesma forma não atendeu aos requisitos do artigo 312 do CPP [Código de Processo Penal], especialmente no que diz respeito à indicação de elementos concretos, os quais, no momento da decretação, fossem imediatamente incidentes a ponto de ensejar o decreto cautelar”, anotou Mendes.

Medidas cautelares

A exemplo do que determinou em decisões similares adotadas anteriormente, ao determinar a soltura da dupla o magistrado fez a ressalva de que eles deverão cumprir as seguintes medidas cautelares:

– Proibição de manter contato com os demais investigados;

– Impedimento de deixar o País sem autorização da Justiça;

– Entrega do passaporte em um prazo de até 48 horas.

Com a concessão da liberdade aos dois implicados na Lava-Jato, o número de presos pelo juiz Marcelo Bretas liberados por Gilmar Mendes aumentou. Em menos de duas semanas, 14 deles já estão em casa.

PGR recorrerá

Também nessa segunda-feira, a titular da PGR (Procuradoria-Geral da República), Raquel Dodge, recorreu contra as recentes decisões do ministro Gilmar Mendes que liberaram Milton Lyra – apontado como operador de propinas do MDB – e outros quatro investigados na Operação Rizoma, outra força-tarefe derivada da Lava-Jato e, que apura fraudes em fundos de pensão.

Nos casos em que liberou os suspeitos, o magistrado admitiu que os crimes pelos quais eles são alvos de investigação apresentam gravidade. Mendes fez a ressalva, no entanto, de que se tratam de “suspeitas antigas, que não justificavam prisão preventiva”.

Na avaliação de Raquel Dodge, porém, Lyra pode voltar a cometer crimes se continuar solto. Ela alertou, ainda, que o suposto operador do MDB ainda tem acesso a valores não revelados.

“Em liberdade, Milton poderá realizar ampla movimentação do patrimônio ilícito, especialmente dos recursos que até o momento permanecem ocultos”, sublinhou a procuradora-geral da República.

Por O Sul

Governo gasta R$ 2 mi com propaganda para divulgar acordo com caminhoneiros


Temer se comprometeu a conceder desconto de R$ 0,46 no preço do diesel, entre outras medidas. (Foto: Alan Santos/PR)

Vídeo único está sendo veiculado nas TVs e nos rádios, segundo auxiliares do presidente.

Diante da continuidade de paralisações pelo Brasil neste oitavo dia de greve de caminhoneiros, o governo resolveu nessa segunda-feira  gastar R$ 2 milhões com a divulgação de um vídeo em que explica o acordo firmado no domingo.

“O governo federal atendeu as reivindicações nas negociações com os caminhoneiros”, diz um ator diante de uma tremulante Bandeira Nacional, antes de elencar as medidas anunciadas pelo presidente Michel Temer.

“O governo fez este acordo para garantir a todos os brasileiros os itens essenciais: remédios, alimentos e combustíveis. Agora é hora de cada um entregar sua parte e o Brasil seguir em frente”, afirma o apresentador.

Segundo o jornal  Folha de S.Paulo apurou, o vídeo está sendo veiculado em todas as televisões e em algumas rádios e faz parte de um plano de mídia na faixa de R$ 2 milhões.



No domingo, Temer se comprometeu a conceder desconto de R$ 0,46 no preço do diesel; a congelar o valor do diesel durante 60 dias com reajustes, depois, a cada 30 dias; a dar isenção da cobrança do eixo suspenso em todo o país via medida provisória; a garantir a caminhoneiros autônomos 30%, pelo menos, dos fretes da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento); e a estabelecer tabela mínima de frete.

Sindicato aceita

Após a última proposta do governo federal, o Sindicato dos Caminhoneiros Autônomos do Estado de Goiás informou, nessa segunda, que as medidas atendem às reivindicações da categoria, que protesta há oito dias contra a alta do diesel e por um piso para o frete. No entanto, a entidade afirma que não tem controle sobre todos os caminhoneiros e, assim, não pode garantir que as rodovias serão liberadas.

“Eu acredito que o governo vai nos atender, mas 95% não acreditam e só vão desobstruir após a votação e publicação no Diário Oficial. Não temos controle sobre todos”, disse o presidente do Sinditac-GO, Vantuir José Rodrigues.

O protesto

O protesto dos caminhoneiros, que começou no último dia 21, ocorre em todo o país e cobra a aprovação do Projeto de Lei 528, que estabelece um piso para o frete de combustíveis no Brasil. Além disto, a categoria reivindica a redução no preço do óleo diesel e a criação de uma tabela compensatória, que pague aos motoristas por km rodado.

No sábado, o governador de Goiás, José Eliton (PSDB), decretou situação de emergência por conta dos protestos. Com a medida, na prática, a administração estadual pode, entre outras ações, disponibilizar recursos para o custeio de procedimentos emergenciais e utilizar as forças de segurança para garantir a livre circulação dos meios de transporte.

Três decisões judiciais em Goiás também determinam o desbloqueio das vias. Em uma delas, um juiz de Anápolis determinou multa de R$ 20 mil por hora para caminhoneiros que ocupam 5 rodovias federais em 13 cidades da região central.

o sul

domingo, 27 de maio de 2018

Temer cede e apresenta novo acordo com redução do preço do diesel por 60 dias


Marcos Corrêa/PR - 2.5.18

"Lamento, mas tenho de enfrentar", diz presidente Michel Temer sobre protestos contra seu governo

Em novas negociações com caminhoneiros, Temer acrescenta às propostas já acordadas a redução do preço do diesel em 46 centavos por litro; pedágios para caminhões sem carga foi suspenso, e frete mínimo será instituído

Michel Temer (MDB) anunciou, na noite deste domingo (27), novas propostas para dar fim à greve dos caminhoneiros . Em um pronunciamento rápido no Palácio do Planalto, o emedebista se comprometeu a reduzir em 46 centavos por litro o preço do diesel . O desconto valerá por 60 dias, após os quais os reajustes do diesel serão feitos mensalmente.

Assim, disse Temer, o caminhoneiro ganhará “previsibilidade” em suas transações. O valor corresponde à soma dos impostos Pis/Cofins e da Cide. O pronunciamento se deu depois de um dia inteiro de negociações em Brasília.

O governo federal concordou ainda em eliminar a cobrança do pedágio dos eixos suspensos dos caminhões, isto é, sem carga, em todo o país, além de estabelecer um valor mínimo para o frete rodoviário. As duas mudanças serão garantidas por uma medida provisória assinada pela presidência.

Essas determinações constarão em edição extra no Diário Oficial da União. A expectativa do Palácio do Planalto é que a paralisação, que já dura sete dias e causa enormes prejuízos e transtornos em todo o país, termine logo.

"Os efeitos dessa paralisação na vida de cada cidadão me dispensam de citar a importância da missão nobre de cada trabalhador no setor de cargas. Durante toda esta semana, o governo sempre esteve aberto ao diálogo e assinamos acordo logo no início. Confirmo a validade de tudo que foi acertado", disse o emedebista.

Temer afirmou também que nas últimas 48 horas o governo avançou na negociação dessas novas medidas. "Assumimos sacrifícios sem prejudicar a Petrobras".

A equipe econômica foi chamada ao Palácio no início do dia para calcular o impacto das novas vantagens concedidas ao setor. Durante o dia, custos, cortes e compensações foram avaliados.

Além de restrições orçamentárias, empecilhos legais tiveram de ser examinados. Na primeira rodada de negociações com os caminhoneiros, quando se acordou que a Petrobras baixaria em 10% o preço do diesel nas refinarias durante 30 dias, e os caminhoneiros fariam uma trégua de 15 dias na paralisação, o Ministério da Fazenda estimou em R$ 5 bilhões o valor das compensações do Tesouro Nacional à estatal.

Agora, com a validade do congelamento do preço do diesel nos postos – e não na refinaria – pelo dobro do tempo, as despesas serão proporcionalmente elevadas.

* Com informações da Agência Brasil

Fonte: Último Segundo

Kim Jong-un confirma encontro com Trump, mas revela receio com segurança

Donald Trump e Kim Jong-un planejam se encontrar no dia 12 de junho, em Singapura
iG São Paulo

Donald Trump e Kim Jong-un planejam se encontrar no dia 12 de junho, em Singapura

Segundo presidente sul-coreano, Kim disse em encontro que tem "dúvidas" sobre o papel dos EUA após a Coreia do Norte desativar programa nuclear
 Donald Trump e Kim Jong-un planejam se encontrar no dia 12 de junho, em Singapura

Os líderes da Coreia do Norte e do Sul, Kim Jong-un e Moon Jae-in , concordaram em manter "diálogos de alto nível" no dia 1º de junho para continuar o projeto de reaproximação e desnuclearização da península coreana.

"Os líderes das duas Coreias se disseram de acordo em manter diálogos de alto nível em 1 de junho, e de acelerar diálogos em vários setores, inclusive sobre autoridades militares e sobe a Cruz Vermelha", publicou a agência de notícias sul-coreana KCNA após encontro entre Kim Jong-un e Moon Jae-in nesse sábado (26).

"Eles demonstraram intenção de se encontrar várias vezes no futuro para permitir o diálogo ativo e adotar medidas para atuar rapidamente no esforço para a desnuclearização da península", completou a KCNA.

A reunião entre Kim e Moon não havia sido divulgada na véspera e ocorreu em um vilarejo na fronteira entre os dois países. A ocasião serviu para a discussão de detalhes sobre a possível cúpula entre o norte-coreano e o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, no dia 12 de junho, em Singapura.

Reunião com Trump
Em uma coletiva de imprensa, o sul-coreano falou que Kim confirmou que pretende se reunir com o norte-americano, apesar de o republicano ter anunciado na última quinta-feira o cancelamento da cúpula .

O líder de Pyongyang, segundo informou Moon, reconheceu ter dúvidas sobre se os EUA irão garantir a segurança da região quando a Coreia do Norte desativar completamente seu programa nuclear.

"As duas Coreias estão de acordo de que a reunião entre o Norte e os EA de 12 de junho deve ocorrer com sucesso", comentou o presidente de Seul. "A desnuclearização da península e a paz permanente não podem ser paradas".

Donald Trump havia decidido cancelar o encontro com Kim Jong-un alegando qua o norte-coreano expressa "raiva" e "hostilidade" ao alertar o vice-presidente dos EUA, Mike Pence, de que o país poderia acabar como a Líbia se não fosse feito um acordo com Washington. No dia seguinte às suas declações, no entanto, Trump voltou atrás e disse que há "conversas muito produtivas" com a Coreia do Norte e que "provavelmente" será realizado o encontro com Kim no dia 12 de junho.

*Com informações e reportagem da Ansa

Fonte: Último Segundo

Petroleiros anunciam greve de 72 horas a partir de quarta-feira

Greve dos petroleiros também é manifestação contra a eventual proposta de privatização da Petrobras
shutterstock

Greve dos petroleiros também é manifestação contra a eventual proposta de privatização da Petrobras

Já para este domingo (27), os profissionais da categoria preparam atrasos e cortes de rendição nas quatro refinarias e fábricas de fertilizantes do País

Ao mesmo tempo em que o governo federal negocia o fim da paralisação dos caminhoneiros, que chegou ao sétimo dia neste domingo (27), os petroleiros organizam uma greve nacional “de advertência“. A paralisação de 72 horas vai começar na próxima quarta-feira (30). A mobilização é liderada pela Federação Única dos Petroleiros (FUP) e sindicatos filiados.

Já para este domingo, os petroleiros preparam atrasos e cortes de rendição nas quatro refinarias e fábricas de fertilizantes: Rlam (BA), Abreu e Lima (PE), Repar (PR), Refap (RS), Araucária Nitrogenados (PR) e Fafen Bahia. Antes da greve , a FUP e seus sindicatos ainda promovem o Dia Nacional de Luta, com atos públicos e mobilizações, na próxima segunda-feira (28).

Por meio de nota, a FUP informou que a paralisação dos petroleiros pretende pressionar o governo federal a reduzir os preços do gás de cozinha e dos combustíveis, também é uma manifestação contra a eventual proposta de privatização da Petrobras e a gestão do presidente da empresa, Pedro Parente.

“A greve de advertência é mais uma etapa das mobilizações que os petroleiros vêm fazendo na construção de uma greve por tempo indeterminado, que foi aprovada nacionalmente pela categoria”, diz o comunicado da FUP.

Protestos dos caminhoneiros
A Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou que, no sétimo dia de paralisação, os caminhoneiros ainda promovem bloqueios em 554 trechos de rodovias de 22 estados e no Distrito Federal, conforme balanço apurado até o início da madrugada.

As autoridades mobilizadas nas ações de desbloqueio de rodovias já conseguiram desobstruir 625 interdições desde o início da paralisação dos caminhoneiros , ainda de acordo com a Polícia Rodoviária Federal.

O governo espera encontrar soluções para a situação e acabar com a  greve da categoria ainda neste domingo. O ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, levou ao presidente Michel Temer uma série de propostas apresentadas por lideranças do movimento em reunião realizada na noite do último sábado (26), na cidade de São Paulo.

Fonte: Último Segundo

sábado, 26 de maio de 2018

Governo publica decreto autoriza uso das Forças Armadas para liberar rodovias

Forças Armadas vão escoltar caminhões com produtos essenciais e disponibilizar motoristas em caso de requisição
Tomaz Silva/Agência Brasil
Forças Armadas vão escoltar caminhões com produtos essenciais e disponibilizar motoristas em caso de requisição

Texto assinado pelo presidente Michel Temer trabalha no contexto da Garantia da Lei e da Ordem (GLO) e tem validade até o dia 4 de junho
 Forças Armadas vão escoltar caminhões com produtos essenciais e disponibilizar motoristas em caso de requisição

O decreto que autoriza o uso das Forças Armadas para liberar as rodovias foi publicado pelo governo em edição extra do Diário Oficial da União na última sexta-feira (25). O texto assinado pelo presidente Michel Temer trabalha no contexto da Garantia da Lei e da Ordem (GLO) e tem validade até o dia 4 de junho.

Com este decreto, os militares darão apoio às forças policiais, como a Polícia Militar (PM), a Polícia Rodoviária Federal (PRF) e a Força Nacional, na liberação das estradas. Além disso, as Forças Armadas poderão requisitar veículos e levá-los para distribuição dos produtos que carregam, mas isso só será feito caso o dono do caminhão – seja a empresa ou o próprio motorista – se negar a seguir viagem.

“A requisição de bens é um item do menu de opções que o governo tem em qualquer circunstância. Na medida que as coisas não voltarem à normalidade, o governo vai usar o instrumento que tem. A requisição é um ato de posse. Requisita, utiliza e devolve. É uma hipótese. Poderá ser utilizada na medida que for necessária”, afirmou o ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Sergio Etchegoyen, em entrevista coletiva realizada nesta sexta-feira no Palácio do Planalto, horas antes da edição do decreto.

Além de disponibilizar motoristas para o caso de requisição de veículos, as Forças Armadas também podem escoltar caminhões que transportam produtos essenciais, oferecer ao serviço policial caminhões-tanque e outros veículos necessários para o cumprimento da GLO.

A paralisação dos caminhoneiros chegou ao sexto dia nesta sábado (26). Mesmo após o acordo firmado com o foverno, várias estradas continuaram obstruídas, ainda que parcialmente, pelos grevistas.

Entretanto, segundo informações divulgadas pelo governo, as interdições que receberão as Forças Armadas já reduziram de 938 para cerca de 500, sendo que em nenhuma das restantes houve interrompimento total do trânsito. Segundo o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, as informações são passadas pelos postos da PRF espalhados pelo país.

*Com informações da Agência Brasil

Fonte: Último Segundo - iG

Mesmo com acordo, Brasil amanhece pelo 5º dia sob paralisação dos caminhoneiros

Greve dos caminhoneiros leva a protesto contra elevação no preço do diesel na rodovia BR-040, em Duque de Caxias
Greve dos caminhoneiros leva a protesto contra elevação no preço do diesel na rodovia BR-040, em Duque de Caxias
Fernando Frazão/Agência Brasil


Apesar do governo ter cedido e a categoria ter afirmado que a greve seria suspensa por 15 dias, nenhuma desmobilização foi registrada e caos continua

Embora o governo federal e os líderes de associações de caminhoneiros tenham chegado, na noite dessa quinta-feira (25), a um acordo para suspender temporariamente os protestos e os bloqueios nas estradas , a greve dos caminhoneiros não tem previsão de, efetivamente, acabar. Isso porque muitos membros da categoria afirmam que não se sentem representados por tais líderes que negociaram com o governo Temer. 



Com isso, a greve dos caminhoneiros chega ao seu quinto dia, nesta sexta-feira (25). Portanto, além das manifestações, que continuam acontecendo em diversos pontos do País, as consequências da paralisação da categoria, com o comprometimento do abastecimento de diversos setores da economia brasileira, seguem gerando caos em todo o Brasil.


Pela manhã, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou à imprensa que não havia registrado, até perto das 8h, nenhuma desmobilização. O fim da greve também pareceu distante para quem teve que acordar cedo e trafegar pelas vias comprometidas em todo o País.

Na Régis Bitencourt, em São Paulo, carretas e caminhões permanecem estacionados ao longo da rodovia. O mesmo ocorre em rodovias no Paraná, em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul, estado que apresenta 74 pontos de manifestação. No Distrito Federal, a PRF registra manifestação de caminhoneiros na BR-020, BR-060, BR-070 e BR-080. 
Leia também: Carrefour limita venda de produtos a cinco unidades para evitar desabastecimento

Em Brasília, durante toda a madrugada e no começo desta manhã, motoristas faziam filas para abastecer seus carros nos postos que mantêm estoques de gasolina e diesel. A mesma cena foi vista em postos de todo o Brasil.

Acordo não garante fim da greve dos caminhoneiros, mas é um passo
Na noite de ontem, o governo e os que se dizem representantes dos caminhoneiros decidiram que a paralisação seria suspensa por 15 dias. Em troca, a Petrobras tem o compromisso de manter a redução de 10% no valor do diesel nas refinarias por 30 dias, enquanto o governo costura outras formas de reduzir os preços do combustível.

Na última quarta-feira (23), o presidente da Petrobras, Pedro Parente, tinha mantido o compromisso de custear os primeiros 15 dias de desconto. Mas ontem o governo federal se comprometeu a custear mais 15, com o dinheiro da União. Com isso, são estimados, no total, R$ 350 milhões de desconto no combustível.

Além disso, o governo prometeu uma previsibilidade mensal nos preços do diesel até o fim do ano, sem mexer na política de reajustes da Petrobras, e disse ainda que vai subsidiar a diferença do preço em relação aos valores estipulados pela estatal a cada mês.

“Nos momentos em que o preço do diesel na refinaria cair e ficar abaixo do fixado, a Petrobras passa a ter um crédito que vai reduzindo o custo do Tesouro”, disse o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia.

Por fim, o governo Temer também se comprometeu a zerar a Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) para o diesel até o fim do ano. Também negociará com os estados, buscando o fim da cobrança de pedágio para caminhões que trafegam vazios, com eixo suspenso.

“Chegou a hora de olhar para as pessoas que estão sem alimentos ou medicamentos. O Brasil é um país rodoviário. A família brasileira depende do transporte rodoviário. Celebramos esse acordo, correspondendo a essas solicitações, dizendo humildemente aos caminhoneiros: precisamos de vocês”, disse o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha.


A decisão de suspender a paralisação, porém, não é unânime. Das 11 entidades do setor de transporte, em sua maioria caminhoneiros, que participaram do encontro, uma delas, a Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam), que representa 700 mil trabalhadores, recusou a proposta.

Leia também: Postos vendem gasolina por até R$ 2,10 em protesto contra impostos altos 
O presidente da associação, José Fonseca Lopes, deixou a reunião no meio da tarde e disse que seguirá com a greve dos caminhoneiros . “Todo mundo acatou a posição que pediram, mas eu não. [...] vim resolver o problema do PIS, da Cofins e da Cide, que está embutido no preço do combustível”, afirmou Lopes. 


* Com informações da Agência Brasil.

Fonte: Último Segundo - iG

Quando a democracia falha, o Exército e Polícia Militar são chamados

Resultado de imagem para greve caminhoneiros

Resultado de imagem para forcas armadas brasil nas ruas

Michel Temer chama o Exército para garantir a normalidade nas estradas do Brasil
Reprodução

Na sexta-feira, o presidente Temer acionou as forças federais para desbloquear as estradas, após o acordo para o fim da greve ir por água abaixo
Uma série de reuniões, encontros e discurso do governo e dos caminhoneiros grevistas foram realizados nos últimos dias. Muito foi dito e prometido, mas pouca coisa foi resolvida e paralisação segue pelas estradas do Brasil. Para buscar uma solução rápida, Exército e PM entraram em cena.


No início da tarde desta sexta-feira (25), o presidente Michel Temer criticou uma "minoria radical" de caminhoneiros e afirmou que o governo teve "coragem" para dialogar com a categoria e agora "teria a coragem de exercer sua autoridade". Para provar sua autoridade, o Exército iria para as estradas para liberar as vias.

"Comunico que acionei as forças federais de segurança para desbloquear as estradas e estou solicitando aos senhores governadores que façam o mesmo. Nós não vamos permitir que a população fique sem os gêneros de primeira necessidade. Não vamos permitir que consumidores fiquem sem produtos. Não vamos permitir que hospitais fiquem sem os insumos para salvar vidas", bradou Temer.

De acordo com Ministério da Defesa, as Forças Armadas serão usadas em ações de reforço das Forças Policiais Federais e Estaduais. Em conjunto, elas iram garantir o acesso de caminhões tanque a refinarias e escoltar comboios com combustíveis.


Após o grupo de grevistas não cumprir parte do acordo, os militares também vão atuar na distribuição de combustível em aeroportos, na retirada de grevistas de pontos críticos e na proteção de locais ligados ao abastecimento.

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, disse que determinou ainda à direção-geral da Polícia Federal a abertura de inquérito para apurar se empresários tiraram proveito do movimento dos caminhoneiros autônomos praticando locaute. "Nós já temos uma relação de duas dezenas de empresas, ou seja, de empresários, que já estão sendo chamados a depor", afirmou durante a coletiva.

Garantia da Lei e da Ordem
O Ministro-chefe da Casa Civil disse que o presidente Michel Temer assinou um decreto de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) até o dia 4 de junho, que permite o emprego das Forças Armadas nas ações para desbloquear as rodovias fechadas pela greve.

Caminhoneiros mantiveram mobilização com bloqueio de rodovias apesar de acordo com o governo

 Caminhoneiros mantiveram mobilização com bloqueio de rodovias apesar de acordo com o governo
Tânia Rêgo/Agência Brasil - 25.5.18
Caminhoneiros mantiveram mobilização com bloqueio de rodovias apesar de acordo com o governo
Realizadas exclusivamente por ordem expressa da Presidência da República, as missões de GLO ocorrem nos casos em que há, segundo o Ministério da Defesa, "o esgotamento das forças tradicionais de segurança pública, em graves situações de perturbação da ordem".

A medida garante as Forças Armadas o direito de tomar e dirigir os caminhões de grevistas para conseguir desobstruir as vias fechadas. Caso os caminhoneiros sejam resistentes, eles podem ser presos e multados.

“O artigo 5, inciso 25 da Constituição Federal permite a requisição de bens, caso se faça necessário, em condições de pilotar veículo para que o desabastecimento seja contido e voltemos a ter distribuição regular”, diz o ministro da Segurança Pública , Raul Jungmann.

O ministro da Defesa , general Joaquim Silva e Luna, afirmou que o emprego das Forças Armadas será feito no contexto de Garantia da Lei e da Ordem.

“Serão garantidas essas necessidades críticas, particularmente na área de abastecimento de combustível, na área da saúde, produtiva, de alimentação”, disse o general.


45% dos pontos interditados foram liberados
O ministro da Segurança Pública , Raul Jungmann, afirmou, ainda durante a coletiva, que 419 de um total de 938 pontos interditados em rodovias de todo o país tinham sido liberados até o final desta tarde.

"As obstruções que continuam, são parciais, o que aponta para a adesão crescente dos senhores caminhoneiros ao acordo que foi fechado no Palácio do Planalto", apontou o ministro.

Um dos pontos liberados, segundo o ministro, é Refinaria Duque de Caxias (Reduc), no Rio de Janeiro. "A Reduc já normalizou praticamente quase na integralidade, o que vai limpando o horizonte".

Escoltas da PM em São Paulo
O secretário da Segurança Pública de São Paulo, Mágino Alves Barbosa Filho disse que a liminar obtida pela prefeitura de São Paulo para garantir o abastecimento de serviços essenciais na cidade, apesar da paralisação dos caminhoneiros, será cumprida pela Polícia Militar.

 Secretário Mágino Alves diz que a PM vai atuar para garantir os atendimentos básicos
Divulgação/Governo de São Paulo - 17.5.2016
Secretário Mágino Alves diz que a PM vai atuar para garantir os atendimentos básicos
"A ideia é que os serviços essenciais da cidade e do estado sejam mantidos. A Polícia Militar irá atuar. Estamos providenciando a desobstrução das vias quando elas estão totalmente interditadas. O trabalho da PM vai ser no sentido de garantir a manutenção da ordem pública”, disse o secretário.

Questionado se a Polícia Militar também vai atuar para desobstruir vias que não estejam totalmente interditadas, o secretário disse que vai depender de cada uma das situações. “O ideal é que passemos agora a desobstruir totalmente as vias. Isso é a situação ideal. Só que a gente, com toda essa situação existente, já há quatro dias enfrentando essa situação, não tivemos ainda nenhuma situação de conflito", disse.

Na cidade de São Paulo, Logo depois de decretar estado de emergência, a Prefeitura informou que comprou 250 mil litros de diesel para garantir o funcionamento de serviços básicos, como a circulação da frota municipal. O tanque com o combustível saiu do centro de distribuição da Petrobras na zona sul da capital, sendo escoltada por viaturas da Polícia Militar.

Tanque com diesel é escoltado pela PM em São Paulo nesta sexta-feira (25)

Tanque com diesel é escoltado pela PM em São Paulo nesta sexta-feira (25)
Reprodução/TV Globo


Tanque com diesel é escoltado pela PM em São Paulo nesta sexta-feira (25)
De acordo com o prefeito Bruno Covas (PSDB), os 250 mil litros de diesel são suficientes para o transporte público de São Paulo até a segunda-feira (28). Desse modo, embora tenha garantido a compra do combustível para serviços básicos, o uso será realizado de forma racionada.  

Em imagens aéreas realizadas pela TV Globo , é possível ver o tanque sendo escoltado pela PM nas vias de São Paulo. 

Exército escolta caminhão no Rio de Janeiro
No Rio de Janeiro, o Exército teve de fazer escolta a um caminhão-tanque para afastar manifestantes em frente da Refinaria Duque de Caxias (Reduc), em Duque de Caxias. Segundo informações obtidas entre os próprios caminhoneiros, o caminhão-tanque estava levando combustível para suprir necessidades de serviços públicos essenciais. 



Porém, a assessoria do Comando Militar do Leste (CML), não confirmou as informações. Durante a ação, manifestantes aplaudiram os militares presentes, em apoio à sua presença. A escolta do caminhão-tanque até a Reduc é a primeira ação neste sentido desde que o presidente anunciou a medida.  

O presidente Michel Temer anunciou na tarde de hoje que forças forças federais seriam usadas para desobstruir vias bloqueadas pelo movimento dos caminhoneiros. 

Força Tática escolta tanques de gás 
Além do diesel transportado em São Paulo e no Rio de Janeiro pelo Exército , a Polícia também interveio no transporte de gás em diversas cidades do País nesta sexta-feira. Segundo nota da empresa Copagaz, a Defesa Civil, Polícia Rodoviária Federal e Polícia Civil realizaram escolta para que caminhões da distribuidora conseguissem atravessar rodovias fechadas pelo protesto dos caminhoneiros e entregar gás em pontos essenciais como hospitais, por exemplo.

Fonte: Último Segundo

sexta-feira, 25 de maio de 2018

Na beira do lago | Praia do Segredo é a mais nova opção de lazer em Lajeado


Localizada às margens do lago da Usina em Lajeado, a Praia do Segredo é a mais nova opção de lazer e diversão no Tocantins.  No local é disponibilizados aos visitantes, restaurantes, banheiros, decks, pier, duchas e chapéus de palha.



A praia é permanente, ou seja, funciona o ano todo. Para sua instalação foram investidos cerca de R$ 1 milhão pela prefeitura de Lajeado. Sua estrutura foi inaugurada neste sábado (5).

O funcionamento da praia é das 9h da manhã até 1h da madrugada. No local não são permitidos animais, som automotivo e churrasqueiras. Conforme a secretaria de turismo do municípios, as regras são para minimizar os impactos ambientais.

A praia foi batizada com o mesmo nome do morro localizado na entrada da cidade. O Morro do Segredo, com uma elevação de 250 metros de altura, desperta a curiosidade e impressiona os visitantes, porque parece ter sido formado por lava derretida há milhões de anos.

| Morro do Segredo – Foto: Manuel Júnior

O nome se deve a lendas e fenômenos, como o aparecimento constante de luzes misteriosas, que fazem com que os moradores acreditem que o morro guarde algum segredo.

| A Praia do Segredo funciona o ano todo – Foto: Divulgação

Acesso I  O acesso a Praia do Segrego é publico, permitidos animais, som automotivo e churrasqueiras.
Como chegar I  A praia fica a cerca de 2 km da cidade de Lajeado, por sua vez, fica a 50km de Palmas. O acesso pode ser feito pela TO-50.

sou mais noticias


50 milhões de brasileiros vivem na linha de pobreza, segundo IBGE


Cerca de 50 milhões de brasileiros, o equivalente a 25,4% da população, vivem na linha de pobreza e têm renda familiar equivalente a R$ 387,07 – ou US$ 5,5 por dia, valor adotado pelo Banco Mundial para definir se uma pessoa é pobre.

Os dados foram divulgados nesta sexta-feira (15), no Rio de Janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e fazem parte da pesquisa Síntese de Indicadores Sociais 2017 – SIS 2017. Ela indica, ainda, que o maior índice de pobreza se dá na Região Nordeste do país, onde 43,5% da população se enquadram nessa situação e, a menor, no Sul: 12,3%.

A situação é ainda mais grave se levadas em conta as estatísticas do IBGE envolvendo crianças de 0 a 14 anos de idade. No país, 42% das crianças nesta faixa etária se enquadram nestas condições e sobrevivem com apenas US$ 5,5 por dia.

A pesquisa de indicadores sociais revela uma realidade: o Brasil é um país profundamente desigual e a desigualdade gritante se dá em todos os níveis.

Seja por diferentes regiões do país, por gênero – as mulheres ganham, em geral, bem menos que os homens mesmo exercendo as mesmas funções -, por raça e cor: os trabalhadores pretos ou pardos respondem pelo maior número de desempregados, têm menor escolaridade, ganham menos, moram mal e começam a trabalhar bem mais cedo exatamente por ter menor nível de escolaridade.



Um país onde a renda per capita dos 20% que ganham mais, cerca de R$ 4,5 mil, chega a ser mais de 18 vezes que o rendimento médio dos que ganham menos e com menores rendimentos por pessoa – cerca de R$ 243.

No Brasil, em 2016, a renda total apropriada pelos 10% com mais rendimentos (R$ 6,551 mil) era 3,4 vezes maior que o total de renda apropriado pelos 40% (R$ 401) com menos rendimentos, embora a relação variasse dependendo do estado.











Entre as pessoas com os 10% menores rendimentos do país, a parcela da população de pretos ou pardos chega a 78,5%, contra 20,8% de brancos. No outro extremo, dos 10% com maiores rendimentos, pretos ou pardos respondiam por apenas 24,8%.

A maior diferença estava no Sudeste, onde os pretos ou pardos representavam 46,4% da população com rendimentos, mas sua participação entre os 10% com mais rendimentos era de 16,4%, uma diferença de 30 pontos percentuais.

Desigualdade acentuada

No que diz respeito à distribuição de renda no país, a Síntese dos Indicadores Sociais 2017 comprovou, mais uma vez, que o Brasil continua um país de alta desigualdade de renda, inclusive, quando comparado a outras nações da América Latina, região onde a desigualdade é mais acentuada.

Segundo o estudo, em 2017 as taxas de desocupação da população preta ou parda foram superiores às da população branca em todos os níveis de instrução. Na categoria ensino fundamental completo ou médio incompleto, por exemplo, a taxa de desocupação dos trabalhadores pretos ou pardos era de 18,1%, bem superior que o percentual dos brancos: 12,1%.

“A distribuição dos rendimentos médios por atividade mostra a heterogeneidade estrutural da economia brasileira. Embora tenha apresentado o segundo maior crescimento em termos reais nos cinco anos disponíveis (10,9%), os serviços domésticos registraram os rendimentos médios mais baixos em toda a série. Já a Administração Pública acusou o maior crescimento (14,1%) e os rendimentos médios mais elevados”, diz o IBGE.

O peso da escolaridade

Os dados do estudo indicam que, quanto menos escolaridade, mais cedo o jovem ingressa no mercado de trabalho. A pesquisa revela que 39,6% dos trabalhadores ingressaram no mercado de trabalho com até 14 anos.

Para os analistas, “a idade em que o trabalhador começou a trabalhar é um fator que está fortemente relacionado às características de sua inserção no mercado de trabalho, pois influencia tanto na sua trajetória educacional – já que a entrada precoce no mercado pode inibir a sua formação escolar – quanto na obtenção de rendimentos mais elevados”.

Ao mesmo tempo em que revela que 39,6% dos trabalhadores ingressaram no mercado com até 14 anos, o levantamento indica também que este percentual cresce para o grupo de trabalhadores que tinha somente até o ensino fundamental incompleto, chegando a atingir 62,1% do total, enquanto que, para os que têm nível superior completo, o percentual despenca para 19,6%.

Ainda sobre o trabalho precoce, o IBGE constata que, em 2016, a maior parte dos trabalhadores brasileiros (60,4%) começou a trabalhar com 15 anos ou mais de idade. Entre os trabalhadores com 60 anos ou mais houve elevada concentração entre aqueles que começaram a trabalhar com até 14 anos de idade (59%).

A análise por grupos de idade mostra a existência de uma transição em relação à idade que começou a trabalhar, com os trabalhadores mais velhos se inserindo mais cedo no mercado de trabalho, o que pode ser notado porque 17,5% dos trabalhadores com 60 anos ou mais de idade começaram a trabalhar com até nove anos de idade, proporção que foi de 2,9% entre os jovens de 16 a 29 anos.

O IBGE destaca que os trabalhadores de cor preta ou parda também se inserem mais cedo no mercado de trabalho, quando comparados com os brancos, “característica que ajuda a explicar sua maior participação em trabalhos informais”.

Já entre as mulheres foi maior a participação das que começaram a trabalhar com 15 anos ou mais de idade (67,5%) quando comparadas com a dos homens (55%). Para os técnicos do instituto, esta inserção mais tardia das mulheres no mercado de trabalho pode estar relacionada “tanto ao fato de elas terem maior escolaridade que os homens, quanto à maternidade e os encargos com os cuidados e afazeres domésticos”.

Cresce percentual dos que não trabalham nem estudam

O percentual de jovens que não trabalham nem estudam aumentou 3,1 pontos percentuais entre 2014 e 2016, passando de 22,7% para 25,8%. Dados da pesquisa Síntese de Indicadores Sociais 2017 indicam que, no período, cresceu o percentual de jovens que só estudavam, mas diminuiu o de jovens que estudavam e estavam ocupados e também o de jovens que só estavam ocupados.

O fenômeno ocorreu em todas as regiões do Brasil. No Norte, o percentual de jovens nessa situação passou de 25,3% para 28,0%. No Nordeste, de 27,7% para 32,2%. No Sudeste, de 20,8% para 24,0%. No Sul, de 17,0% para 18,7% e no Centro-Oeste, de 19,8% para 22,2%.

Ele atingiu, sobretudo, os jovens com menor nível de instrução, os pretos ou pardos e as mulheres e com maior incidência entre jovens cujo nível de instrução mais elevado alcançado era o fundamental incompleto ou equivalente, que respondia por 38,3% do total.

Pobreza é maior no Nordeste

Quando se avalia os níveis de pobreza no país por estados e capitais, ganham destaque – sob o ponto de vista negativo – as Regiões Norte e Nordeste com os maiores valores sendo observados no Maranhão (52,4% da população), Amazonas (49,2%) e Alagoas (47,4%).

Em todos os casos, a pobreza tem maior incidência nos domicílios do interior do país do que nas capitais, o que está alinhado com a realidade global, onde 80% da pobreza se concentram em áreas rurais.

Ainda utilizando os parâmetros estabelecidos pelo Banco Mundial, chega-se à constatação de que, no mundo, 50% dos pobres têm até 18 anos, com a pobreza monetária atingindo mais fortemente crianças e jovens – 17,8 milhões de crianças e adolescentes de 0 a 14 anos, ou 42 em cada 100 crianças.

Também há alta incidência em homens e mulheres pretas ou pardas, respectivamente, 33,3% e 34,3%, contra cerca de 15% para homens e mulheres brancas. Outro recorte relevante é dos arranjos domiciliares, no qual a pobreza – medida pela linha dos US$ 5,5 por dia – mostra forte presença entre mulheres sem cônjuge, com filhos até 14 anos (55,6%). O quadro é ainda mais expressivo nesse tipo de arranjo formado por mulheres pretas ou pardas (64%), o que indica, segundo o IBGE, o acúmulo de desvantagens para este grupo que merece atenção das políticas públicas. (Agência Brasil)

Foto: Marcelo Casal/ABr

Caminhoneiros mantém paralisação no Tocantins e gasolina acaba em Palmas



Caminhoneiros continuam paralisação no Tocantins. Segundo informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF), todos os pontos bloqueados nas rodovias federais seguem sem alteração. São 10 trechos estão interditados em quatro estradas.  As paralisações tiveram inicio na última segunda-feira (21) e já está em seu quinto dia.



Como reflexo da paralisação, não há mais combustíveis em Palmas. A informação é do Sindicatos dos Postos de Combustíveis do Tocantins (Sindiposto). Conforme a entidade, as bombas estão zeradas e os caminhoneiros estão na base de distribuição impedindo caminhões de carregarem.

Em cidades com Porto Nacional, Paraíso do Tocantins, Guaraí, Gurupi, Araguaína foram registradas falta de combustíveis.


Os reflexos também chegou no comércio. Frutas e verduras estão em falta em supermercados. Caminhos que deveriam descarregar estes produtos estão parados nas rodovias. Com isso os centros de distribuições de alimentos estão sem estoque, fazendo o preço dos produtos dispararem.

O Governo do Estado informou que não há risco de desabastecimento na frota oficial, mas foram tomadas medida para reduzir o consumo. Já a prefeitura de Palmas, disse que vai priorizar o abastecimento das ambulâncias do Samu. Até o momento o Município já garantiu mais de 12 mil litros para os serviços essenciais.

Trechos bloqueados

Araguaína – BR-153, km 152
Nova Olinda – BR-153, km 208,7
Colinas do Tocantins – BR-153, km 245
Fortaleza do Tabocão – BR-153, Km 360
Paraíso do Tocantins – BR-153, km 492
Gurupi – BR-153, km 674
Alvorada – BR-153, km 761
Pedro Afonso – entre a Ponte sobre o Rio Tocantins e o trevo da cidade – BR-235, km 164
Silvanópolis – BR-010, KM 306
Santa Rosa – BR-010, KM 260

sou mais

Como morreram os 12 apóstolos

Segundo a tradição, só João não foi executado e teve uma morte tranquila

A ciência não conseguiu comprovar se os 12 discípulos de Jesus existiram na forma como são descritos pela Igreja. Os poucos historiadores e bispos que deixaram relatos sobre eles, como Eusébio de Cesareia, autor de História Eclesiástica (séc. 4), têm a credibilidade afetada, pois seus textos tinham a intenção de reforçar a fé cristã, em um tempo em que a religião ainda não tinha dogmas bem definidos, hierarquia estabelecida e poder central estabilizado. Isso só começou a ser desenhado quando o cristianismo virou religião oficial de Roma, em 380. É possível que as biografias dos 12 apóstolos misturem as vidas de vários seguidores de Jesus com elementos ficcionais. Aqui, mostramos a forma como eles morreram segundo a Bíblia ou de acordo com textos dos primeiros séculos do cristianismo.

1
Judas Iscariotes
Manga Mecânica
 30-33 d.C.
Atos dos Apóstolos
Evangelho Segundo Mateus (não faz parte da Bíblia)
Suicidou-se, arrependido por ter traído Jesus. Ele se enforcou em uma árvore, sobre um penhasco. A corda arrebentou e Judas caiu em cima de pedras afiadas

2
Tiago Maior
Manga Mecânica
ADVERTISEMENT

44 d.C.
Atos dos Apóstolos
História Eclesiástica II (não faz parte da Bíblia)
Morreu ao lado do homem que o delatou ao rei da Judeia, Herodes Agripa. O delator se arrependeu e se converteu na hora H. Ambos foram executados em Jerusalém: decapitados ou perfurados pela espada de um soldado

3
Filipe
Manga Mecânica
 54 d.C.
Atos de Filipe (não faz parte da Bíblia)
Morreu por converter a mulher do homem errado — um procônsul romano. Dependendo da versão, ele foi crucificado ou torturado até a morte, em algum lugar da Ásia Menor

4
Mateus
Manga Mecânica
 60 d.C.
Relatos do pensador gnóstico Heracleon
A história mais antiga diz que ele morreu na Etiópia de causas naturais. Mas há pelo menos quatro relatos em que ele é assassinado por um rei local: decapitado, afogado, esfaqueado ou queimado

5
Tiago Menor
Manga Mecânica
 63-64 d.C.
Antiguidades Judaicas, de Flávio Josefo (não faz parte da Bíblia)
Culpando os cristãos pelo incêndio que destruiu Roma, em 64, o imperador Nero teria inflamado o povo a apedrejar e espancar Tiago (hoje, há historiadores que dizem que a perseguição a cristãos começou somente depois do período de Nero)

6
Pedro
Manga Mecânica
 64 d.C.
Atos dos Apóstolos
Primeira Epístola de Clemente (não faz parte da Bíblia)
Vítima da perseguição religiosa de Nero, pediu para ser crucificado de cabeça para baixo por se sentir indigno de morrer como Cristo. Segundo a tradição, o fato se deu no Circo de Nero, onde hoje fica o Vaticano

7
André
Manga Mecânica
 69 d.C.
Atos de André (não faz parte da Bíblia)
Morreu suspenso em uma cruz em forma de X, na Grécia. Ele havia se recusado a renegar sua fé diante do procônsul romano Aegeates

8
Tomé
Manga Mecânica
 72 d.C.
Atos de Tomé (não faz parte da Bíblia)
História Eclesiástica V (não faz parte da Bíblia)
Perfurado pelas lanças de soldados em Mylapore, Índia. Tudo porque ele converteu a esposa do rei Misdaeu, Charisius, que se negou a fazer sexo após virar cristã. Mylapore, quando foi dominada pelos portugueses, passou a se chamar São Tomé de Meliapor

9
João
Manga Mecânica
 103 d.C.
Textos de Polícrates de Éfeso e de Eusébio de Cesareia (não fazem parte da Bíblia)
Após quase ser queimado vivo a mando do imperador romano Domiciano, exilou-se na Ilha de Patmos, na Grécia, em meados de 90 d.C. De lá se mudou para Efésios, onde morreu de causas naturais

10
Bartolomeu
Manga Mecânica
 Data indefinida
Sem registros escritos
Teria morrido na Armênia, mas não se sabe se foi crucificado ou esfolado e decapitado pelo irmão do rei Polymius. O monarca havia sido convertido pelo apóstolo

11
Simão
Manga Mecânica
 Data indefinida
Sem registros escritos
Há poucas informações. Ele teria morrido após renegar algum deus do Sol. Isso poderia ter sido tanto na Inglaterra quanto na Pérsia (atual Irã)

12
Tadeu
Manga Mecânica
 Data indefinida
Atos de Judas Tadeu e Simão (não faz parte da Bíblia)
Teria sido martirizado em Beirute, capital do atual Líbano, ao lado de Simão, seu grande amigo (sim, é outra versão para a morte de Simão)

mundo estranho

Publicidade Dietas

Publicidade Aliexpress

Publicidade Americanas

Publicidade Portal das Malas

Portal das Malas

Publicidade Shoptime

Publicidade Submarino

Publicidade recargapay

Publicidade Timecenter

Publicidade Euro

Publicidade Trocafone

Publicidade Motorola

Publicidade Plantei

Publicidade Veloe

Publicidade JetRadar

Jetradar

Publicidade Sumup

Publicidade Avast