Notícias via Twitter

sexta-feira, 27 de março de 2020

NOTÍCIAS DE ÁFRICA

Publicidade do seu negócio

Morre ator de 'Crocodilo Dundee' vítima da Covid-19

Mark Blum (1950 – 2020)
© Marcel Plasse Mark Blum (1950 – 2020)

O ator americano Mark Blum, conhecido por filmes dos anos 1980 e séries recentes, como “Você”, morreu na quarta (25/3) no hospital presbiteriano de Nova York, de complicações da covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, aos 69 anos.

Nascido em Newark, Nova Jersey, em 1950, Blum costumava viajar de trem até Nova York para ver as peças em cartaz, o que o fez se apaixonar pelo teatro ainda na adolescência.

Ele estudou teatro em duas faculdades e iniciou sua longa carreira como assistente de palco da Broadway em 1975. Não demorou a virar ator e chegou a vencer o prêmio Obie, dedicado ao circuito off-Broadway, como protagonista de “Gus and Al” em 1989, na pele de um dramaturgo gay medíocre de meia-idade que viaja no tempo para conhecer Gustav Mahler.

Foi também nos anos 1980 que ele começou a aparecer no cinema. A partir de um pequeno papel em “O Amor tem seu Preço” (1983), sua filmografia se multiplicou em vários sucessos da época, como “Procura-se Susan Desesperadamente” (1985), “Crocodilo Dundee” (1986), “Somente Entre Amigas” (1986), “Encontro às Escuras” (1987) e “Mais Forte que o Ódio” (1988).

Blum também apareceu em várias séries, como “Miami Vice”, “Roseanne”, “Nova Iorque Contra o Crime” (NY PD Blue), “O Desafio” (The Practice), “CSI: Miami” e por toda a franquia “Lei & Ordem” (Law & Order). Mais recentemente, integrou os elencos de “Mozart in the Jungle”, na Amazon, “Você” (You), na Netflix, e “Succession”, na HBO.

Seu último trabalho foi uma participação em “Billions”, que será exibida em maio no canal pago Showtime.

Por:

Pipoca Moderna

Funcionário do FMI que era contra quarentena morre vítima do coronavírus


Rehman Shukr. Foto: Reprodução

O especialista em sistema financeiro do FMI, Rehman Shukr, de 26 anos, morreu na última terça-feira, 24, vítima do novo coronavírus, em Washington.

Em sua última postagem no Facebook, Rehman fez um comentário em que deixou clara sua posição sobre a quarentena no período da pandemia.

Na rede social, o economista postou um artigo cujo título era “Nossa luta contra o coronavírus é pior que a própria doença?”.

“Muito importante”, definiu.

Visto que muitas lojas, bares e restaurantes fecharam por conta da crise do Covid-19, Rehman defendia que a economia era mais crucial que a quarentena.

“Difícil decidir se o aspecto humano da doença é mais importante do que as implicações na economia e em outras áreas importantes. É muito fácil deixar a emoção guiar a política, e já vimos por que é uma ideia ruim”, escreveu.

escreveu.

Por:



Prefeito de Milão admite erro após campanha para não parar a cidade


O prefeito de Milão, Giuseppe Sala, em vídeo nas redes sociais
O prefeito de Milão, Giuseppe Sala, reconheceu, nesta quinta-feira 26 que errou ao apoiar a campanha “Milão não para”, que, lançada há exatamente um mês, estimulou os moradores da cidade a continuar as atividades econômicas e sociais durante a pandemia do novo coronavírus.





© Twitter/Reprodução O prefeito de Milão, Giuseppe Sala, em vídeo nas redes sociais

Quando a hashtag começou a ser divulgada na internet, em 26 de fevereiro, a Lombardia, região da Itália onde fica Milão, tinha 258 pessoas infectadas pelo vírus, e o país inteiro contabilizava 12 mortes. Hoje, a província é a mais atingida pela Covid-19 no país, com 34.889 casos e 4.861 óbitos, de acordo com a Defesa Civil.

“Muitos se referem àquele vídeo que circulava com o título #MilãoNãoPara. Era 27 de fevereiro, o vídeo estava explodindo nas redes, e todos o divulgaram, inclusive eu. Certo ou errado? Provavelmente errado”, reconheceu Giuseppe Sala, em entrevista ao programa de televisão italiano Che tempo che fa, da emissora Rai. “Ninguém ainda havia entendido a virulência do vírus, e aquele era o espírito. Trabalho sete dias por semana para fazer minha parte, e aceito as críticas”, afirmou.

Sala postou em sua página no Instagram um vídeo realizado por uma associação de bares e restaurantes da cidade, que incentivava a população a viver normalmente. Dias depois, compartilho também uma foto em que vestia uma camisa com o slogan “Milão não para”.

A campanha contou com a adesão de outras figuras políticas importantes do país, como Matteo Salvini, líder da extrema direita no país e do partido Liga. A cidade de Milão concentra 40,1% da população contaminada pelo coronavírus e 54,4% das mortes no país.


Por:
VEJA.com

Últimas notícias sobre o coronavírus no Brasil e no mundo

Uma pessoa da equipe de limpeza pública de Praga desinfeta a praça Hradcanske, na República Checa, nesta sexta-feira, para tentar conter o avanço do coronavírus.
Uma pessoa da equipe de limpeza pública de Praga desinfeta a praça Hradcanske, na República Checa, nesta sexta-feira, para tentar conter o avanço do coronavírus.MARTIN DIVISEK / EFE


Últimas notícias sobre o coronavírus no Brasil e no mundo
Governo anuncia linha de crédito de 40 bilhões de reais para financiar salários de pequenas e médias empresas. Boris Johnson anuncia que está com Covid-19. Passam de 24.000 as mortes por coronavírus no mundo, sendo 77 no Brasil. Trump e Xi Jinping conversam sobre como conter a pandemia

Por:

El País encerra versão impressa na América Latina | Poder360

quinta-feira, 26 de março de 2020

Lake Powell, Utah/Arizona – EUA

0S 30 LUGARES MAIS BONITOS DO MUNDO Lake Powell,Utah/Arizona-EUA ...

É minha gente no mundo tem cada lugar lindo de tirar o fôlego. Veja este que catamos para vocês.

Traduzido do inglês-O lago Powell é um reservatório no rio Colorado, na fronteira entre Utah e Arizona, Estados Unidos. A maior parte do lago Powell, junto com o Rainbow Bridge National Monument, está localizada em Utah. É um importante ponto de férias visitado por aproximadamente dois milhões de pessoas todos os anos. Wikipedia (inglês)


Elevação à superfície: 1.113 m
Locais: Utah and Arizona, Estados Unidos
Profundidades máximas: 583 pés (178 m)
Cidades: Page
Peixe: Morone saxatilis, Carpa-comum, Esox lucius, Sander vitreus, Achigã, Achigã-boca-pequena, Ictalurus punctatus

LAKE POWELL

Você pode caminhar, acampar, escalar e rapel nos desfiladeiros do sul de Utah - e, no Lago Powell, também pode praticar esqui aquático neles. Lago falso, muito divertido.

Lake Powell é contra-intuitivo. Primeiro de tudo, parece veias. (Os lagos não devem parecer bolhas?) Segundo, não é um “lago”. É um reservatório.

Mas você (e os outros 2.999.999 visitantes anuais) pode fazer tantas coisas importantes que não se importará com as heterodoxias do lago Powell. Siga em direção à fronteira do Arizona para passear de barco de outro mundo na área de recreação nacional de Glen Canyon, praias e uma infinita rede de desfiladeiros.
Coisas para ver e fazer em Lake Powell
Quem sabia que “raiz de dente-de-leão” era a forma ideal de lago para esportes aquáticos pitorescos? A plácida água azul do lago Powell corre diretamente para as praias de areia, acrescentando natação e passeios de barco ao dinamismo das caminhadas, acampamentos e arenitos que você espera do sul de Utah. Foi chamado de "parque nacional perdido da América" ​​porque os desfiladeiros inundados se parecem muito com as designações federais que o cercam, o que significa que os viajantes podem desfrutar das mesmas vistas de âmbar / tangerina / rocha vermelha de barco. É o deserto sem toda a secura.

EM TERRA
Rainbow Bridge
outras caminhadas
Glen Canyon Dam & centro de visitantes
Camping

NA AGUA
Embarcações domésticas
Wakeboard e esqui aquático
Caiaque
no mar Catedral no deserto
Marinas
Pesca
Passeios de barco

DO RIO AO “LAGO”: A BREVE HISTÓRIA DE LAKE POWELL
Do chão de Glen Canyon, as pessoas boas da década de 1950 olhavam para um local a 60 metros de altura e diziam: "Eu realmente gostaria de flutuar em um tubo interno lá em cima". Então eles construíram uma represa onde Deus havia construído um desfiladeiro para fazer um reservatório onde Ele colocaria um rio. (A barragem de Glen Canyon ainda está de pé, sugere Sua aprovação tácita ao uso doméstico.)

A barragem foi autorizada em 1956 e a explosão dos túneis de desvio começou no mesmo ano. Lake Powell - nomeado em homenagem a John Wesley Powell, veterano da Guerra Civil de um braço - começou a encher-se atrás da represa de Glen Canyon concluída em 1963 e os visitantes nadam de maneira não natural desde então.

DAM SHAME
A represa de Glen Canyon foi construída para regular a disponibilidade de água para os sete estados do Colorado River Compact: Utah, Wyoming, Colorado, Novo México, Arizona, Califórnia e Nevada. Hydroelectricity e rad spring breaks são seus outros benefícios óbvios.

Download imagens Lake Powell, Utah, Estados Unidos, Reflexão ...

Reasons Celebrities Love Vacations at Lake Powell Lake Powell ...

Reflection Canyon, Lake Powell, Arizona - Trending on Reddit

Go Visit Lake Powell - Page, Arizona - Senita Athletics


Mas desde que era um esboço no caderno de um engenheiro, os ambientalistas lutam contra a barragem. A frase "parque nacional perdido da América" ​​contém mais arrependimento do que romance. Além de discussões sobre beleza afogada, o Glen Canyon Institute, que defende a drenagem do lago Powell, encomendou estudos que investigaram a perturbação da flora e fauna locais e até afirmou que o objetivo justificativo da barragem - moderação da água para os estados ocidentais secos - é prejudicado pela quantidade de água perdida por evaporação e infiltração.

O debate continua, e você deve achar que não seria tão violento se o lago Powell não fosse tão divertido.

Horseshoe Bend & Lake Powell Adventures | Papillon Grand Canyon Tours

Lake Powell on the Utah / Arizona border. - Foto de Page, Arizona ...



E duas outras coisas ...
O acesso a vários pontos no lago Powell pode variar drasticamente de acordo com o nível da água. Verifique com o Serviço Nacional de Parques as condições atuais, a disponibilidade da marina, etc.

E, finalmente, uma mensagem para todos os velejadores ligados a mexilhões: trate o seu barco como um frasco de shake de proteína e LIMPE, DRENE E SECO após cada uso. Não exacerbe a infestação recente de mexilhões nagrosos de quagga.

Bem é mais ou menos isso e muito mais que você pode encontrar para se divertir em sua viagem ao Lake Powell no Arizona - EUA


Com colaboração de utah.com

O pagode Shwedagon, Shwedagon Paya ou pagode de Shwedagon

Pagode Shwedagon, lugar que nasceu de um fio de cabelo do Buda ...


Olá gente boa e amiga daqui e dalí do mundo todo. Estamos levando até vocês o que de melhor tem pelo mundo. Espero que gostem.

Dizem que este lugar chamado Pagode Shwedagon, lugar que nasceu de um fio de cabelo do Buda.

O pagode Shwedagon, Shwedagon Paya ou pagode de Shwedagon, nome oficial Shwedagon Zedi Daw é um Stupa extraordinário situado na serra de Singuttara em Yangon na Birmânia. Wikipédia

Endereço: Ar Zar Ni, Road Pha Yar Gyi Ward, Yangon, Mianmar (Birmânia)
Altura: 105 m
Inauguração: 1372
Telefone: +95 1 371 089
Arquiteto: Okkalapa of Burma

O Pagode Shwedagon é visita obrigatória a quem vai a Myanmar. O nome Shwedagon vem de shwe, que quer dizer ouro, e de dagon, que é o antigo nome da atual cidade Yangon, onde está o Pagode. O tamanho, o brilho dourado e a beleza do Pagode impressionam o visitante.

Yangon é a maior cidade de Myanmar, tem cinco milhões de habitantes. Yan significa inimigos e koun significa livre de, portanto, Yangon é a “Cidade sem inimigos”. Yangon foi capital de Myanmar até 2006, quando então a capital do pais passou a ser Naypyidaw.

Localizado a 2 km do centro de Yangon, o Pagode Shwedagon foi construído no cume da colina Singuttara. O monumento domina o horizonte, de longe seu brilho dourado é visto. Chega-se ao local através de escadarias e elevadores situados nos quatro pontos cardeais da colina. A cidade de Shwedagon é o principal centro religioso de Myanmar.

Segundo se conta, no monte onde o Pagode foi construído estão relíquias de quatro Budas, sendo uma delas, fios do cabelo do Buda Gautama.

Base do Pagode.
Base do Pagode (Crédito: airpano)

O brilho dourado do Pagode no alto de uma colina predomina por toda a cidade.
O brilho dourado  do Pagode no alto de uma colina predomina por toda a cidade (Internet)

Para o povo de Myanmar, o lugar é o mais sagrado no mundo, porque nele estão depositadas relíquias de quatro Budas.

A parte superior do Pagode há 13.153 placas de ouro. O cata-vento no topo tem 1.100 diamantes e 1.383 pedras preciosas. No sua ponta há uma esfera de ouro decorada com 4.351 diamantes, sendo um de 76 quilates.

Em cada um desses templos, não importa o tamanho, há sempre uma imagem de Buda.
Em cada lugar de reverência, não importa o tamanho, há sempre uma imagem de Buda (Internet)

Interior do Pagode Ouparta Thandi, construído em Naypyidaw, a capital de Miamar.
Interior do Pagode Ouparta Thandi, construído em Naypyidaw, a capital de Myanmar, para espelhar o famoso Pagode Shwedagon. Não há imagens conhecidas do próprio interior do Pagode Shwedagon (Internet)


Próximo ao pagode há a uma torre que conta a vida do Buda Gautama na forma de imagens de fatos ligados à sua vida.
Ao lado do pagode há a uma torre que conta a vida do Buda Gautama na forma de imagens que retratam fatos ligados à sua vida (Colegota/CC BY-SA 2.5 ES)

Próximo ao Pagode está a “Torre do Buda”, que conta a vida de Gautama através de imagens. É inspirada no Templo Mahabodhi em Bodhgaya, lugar onde Sidarta Gautma alcançou a iluminação.
O Pagode Shwedagon é certamente um dos lugares do mundo que merece ser visitado. Espero que tenham gostado. Deixem sempre os seus comentários abaixo, isso nos estimula a prosseguir.
com colaboração epochtimes

A fé escavada nas rochas sagradas da Etiópia

Queremos aqui agradecer a todos que acessam nosso site no mundo todo, em especial ao povo de Moçambique e toda a África. Esperamos sempre corresponder as espectativas de todos os nossos leitores. Vamos ao artigo:

A fé escavada nas rochas sagradas da Etiópia



Traduzido do inglês-Abuna Yemata Guh é uma igreja monolítica localizada no Hawzen woreda da região de Tigray, na Etiópia. Está situado a uma altura de 2.580 metros e deve ser escalado a pé para chegar. É notável por suas pinturas em cúpula e paredes que datam do século V e sua arquitetura. Wikipédia

Tendo a seus pés a paisagem árida do maciço de Gheralta, um monge dirige-se, através de uma estreita passagem, à entrada da igreja de Abuna Yemata Guh, escavada na rocha.

Segundo a tradição, Deus concedeu aos primeiros cristãos da Etiópia, refugiados nos planaltos elevados do Norte, a graça de revelar-lhes a Sua morada. E estes meteram mãos à obra, escavando no arenito vermelho dos desfiladeiros do maciço de Gheralta mais de 160 igrejas rupestres, esculpidas com paciência e magnificamente decoradas, nos lugares mais profundos das montanhas da fé.
Diz-se também que Deus apareceu um dia aos reis irmãos Abreha e Atsbeha, ordenando-lhes que acorressem às montanhas escarpadas da região do Tigré e desvendassem, perante os olhares dos fiéis devotos, uma igreja que ali se encontrava enterrada desde o princípio dos tempos.

Abreha e Atsbeha partiram do seu palácio, aventurando-se até às montanhas, e escalaram as cristas montanhosas de Korkor, mas os cumes cinzelados por mão divina revelaram-se inacessíveis.

Rogaram a Deus que os auxiliasse, e Ele, com um simples gesto, partiu a montanha de alto a baixo, logo exigindo a Satanás que preenchesse a fenda com aquela rocha fundida que ferve nas entranhas do Inferno, dela fazendo uma escadaria. Ao solidificar, a lava negra conduziu os dois irmãos ao topo sagrado onde se ocultava a morada de Deus. Pedra a pedra, os monarcas escavaram ali uma das mais belas igrejas rupestres da Etiópia.

Degrau a degrau, transpomos este caótico acesso natural que a rocha ígnea abriu no arenito vermelho. Como é possível que, já no século VI, aqueles monges soubessem que uma rocha surgida das profundezas, aproveitando os pontos fracos do terreno, cobrira a rota de acesso à montanha de Korkor?

Segundo a tradição, foi um sacerdote chamado Yemata que, aproximadamente no século V, escavou a igreja com o seu nome. Numa das paredes, surge a figura do religioso a cavalo, junto de outros santos e apóstolos.

Celebrações da Páscoa em Maryam Korkor. Devido às suas dimensões (16 metros de comprimento por 10 de largura e 6 de altura), trata-se de uma das maiores igrejas rupestres e com uma estrutura arquitectónica mais complexa.

O guarda de Debre Tsion (também chamada Abuna Abraham) abre um dos tesouros guardados nesta igreja, um leque cerimonial do século XV. Com um metro de diâmetro, é composto por 34 painéis individuais, cada qual com a figura de um santo.

Para os sacerdotes que, enquanto cultivam um pequeno terreno e cuidam da família, perpetuam o cristianismo ortodoxo, retocam a pintura dos frescos litúrgicos e acolhem as multidões de fiéis nos domingos e dias feriados é óbvia a resposta à pergunta sobre a origem derradeira das igrejas: é o próprio Deus que envia uma mensagem e lhes ordena que revelem a Sua morada oculta nas rochas do Tigré.



Igreja de Abuna Yemata Guh, Tigray, Etiopia | Último troço à… | Flickr

Pin de Tharsis Madeira em Etiópia em 2020 | Igreja ortodoxa ...

Ethiopia - Abune Yemata Church | Facebook

A fé escavada nas rochas sagradas da Etiópia

Abuna Yemata Guh | O dogma da fé






Abuna Yemata Guh está no topo de uma falésia desde o século V dC. Visitar esse lugar exige uma subida de seis metros por uma parede de rocha sem cordas e atravessar bordas estreitas com quedas de 200m.


POR:

Logo National Geographic Portugal

Primeira vítima do coronavírus em SC passou por quatro municípios antes de morrer


Mãos, asiático, mulher idosa, agarra, dela, mão, ligado, colo par ...
Idoso de 86 anos estava em casa de repouso com outros 29 residentes, quando começou a passar mal e foi hospitalizado

O idoso de 86 anos, primeira vítima fatal do novo coronavírus (Covid-19) em Santa Catarina, passou por quatro municípios catarinenses antes de morrer em decorrência da doença.

Morador de Porto Belo,, o homem ficou viúvo no ano passado e devido a saúde debilitada, estava sendo cuidado pelos filhos em sua casa. Os filhos moram atualmente nas cidades de Florianópolis e Blumenau e se dividiam nos cuidados.

No dia 6 de março ele foi levado a uma unidade de Pronto Atendimento, em Porto Belo, devido a uma queda em casa, ocasionando uma fratura na costela.

Ministério da Saúde confirma primeira morte por coronavírus no ...

Ele retornou a unidade no dia 15 de março com fraqueza e dificuldade de se alimentar. O homem foi atendido e medicado e encaminhado para o Hospital Ruth Cardoso, em Balneário Camboriú.

Após o atendimento no município vizinho, o idoso foi liberado no mesmo dia e voltou para casa. Como estava com a saúde debilitada, ele foi encaminhado por um filho a uma casa de repouso em Antonio Carlos, na Grande Florianópolis, no dia 18 de março.

Na segunda-feira (23), o idoso apresentou hipotermia e hipertensão, sendo levado da casa de repouso ao Hospital Regional de São José, pelo Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência).

Segundo a Secretaria de Estado da Saúde, ao dar entrada no hospital, o paciente tinha um quadro clínico de desconforto respiratório. Por apresentar um quadro febril, ele foi submetido ao teste para Covid-19 na terça-feira (24). As amostras foram colhidas pelo Lacen (Laboratório Central de Saúde Pública), com resultado positivo.

O idoso foi mantido em isolamento respiratório, mas não resistiu. A morte foi divulgada na noite de quarta-feira pelo governador Carlos Moisés (PSL). “Notícia triste: hoje perdemos o primeiro catarinense para o coronavírus. Paciente masculino, de 86 anos, faleceu em São José. Deus nos abençoe e proteja e console a família”, disse.

A Secretaria de Estado da Saúde não informou em qual momento desse trajeto o idoso teria sido infectado pelo coronavírus.

Leia também:
Morte em SC: primeira vítima não apresentou principais sintomas do coronavírus
Governador confirma a primeira morte por coronavírus em Santa Catarina
Mapa: acompanhe o avanço do coronavírus em Santa Catarina
Estado de saúde antes da internação
O idoso vinha apresentando há dois meses uma piora no estado de saúde geral, com recusa à alimentação e aumento do grau de dependência para realização de tarefas diárias.

A Secretária de Saúde de Antônio Carlos informou que ele tinha anemia leve e infeção urinária, além de histórico de Parkinson.

Idosos de casa de repouso têm broncopneumonia
A casa de repouso onde o idoso estava possui 28 residentes idosos e 29 profissionais. Segundo a prefeitura de Antônio Carlos, será feita coleta para Covid-19 em todos os profissionais, pela Vigilância Epidemiológica do município.

Todos os funcionários receberam as orientações necessárias repassadas pelo órgão municipal, destacou a prefeitura.

Na segunda-feira, data em que homem foi encaminhado ao hospital, a Vigilância Civil e Polícia Militar fiscalizaram o local. Durante a ação, foi observado que havia baixa quantidade no estoque de EPI (Equipamentos de Proteção Individual).

Na tarde desta quinta-feira (26), a prefeitura informou que na casa de repouso havia dois idosos com quadro de broncopneumonia, ainda sem confirmação se em decorrência do coronavírus.

O estado de Santa Catarina agora tem 122 casos confirmados do novo vírus. Além disso, outros 325 suspeitos aguardam o resultado do teste.


POR:

MOÇAMBIQUE: 23 mil moçambicanos regressam ao país nas últimas 24 horas

23 mil moçambicanos regressam ao país nas últimas 24 horas
Por Jersild Chirindza

A fronteira de Ressano Garcia, em Maputo, registou, nas últimas 72 horas, um grande movimento de moçambicanos que retomam ao país devido ao encerramento de actividades na África do Sul, para conter a pandemia do coronavírus. São ao todo 23 mil moçambicanos que regressam ao país nas últimas 72 horas por causa do encerramento das actividades na terra do rand.

Naquela fronteira, hoje, pôde-se ver um congestionamento de mais de sete quilómetros e uma autêntica agitação.

Com o resto dos acessos à África do Sul encerrados, a fronteira de Ressano Garcia é o único posto fronteiriço em funcionamento, pelo menos até à meia-noite desta quinta-feira. É que o anúncio do encerramento das actividades na África do Sul, devido ao coronavírus, moçambicanos trabalhando naquele país não viram outra saída senão regressar a casa.

No local, uma equipa de técnicos de saúde procede o rastreio do Covid-19. Um processo que, para os utentes da fronteira, vale a pena enfrentar, porque a situação na África do Sul não é das melhores e preferem se precaver da doença, até porque o trabalho pode esperar.

Há quem já comunicou a família para reservar um lugar para a sua quarentena, como forma de evitar uma possível contaminação.

Só para se ter uma ideia, todas as minas da África do Sul também foram encerradas. No entanto, sul-africanos não residentes não são permitidos entrar em Moçambique, o mesmo aplica-se para cidadãs nacionais que pretendam ir a África do Sul que não sejam residentes naquele país.

As autoridades migratórias estão a trabalhar no sentido de aliviar o tráfego e permitir que os moçambicanos regressem em segurança.

Refira-se que o Governo Sul-africano decidiu cancelar, igualmente, as celebrações da Páscoa, como forma de travar a propagação do coronavírus.


POR:



Mulher de 95 anos que superou coronavírus e se tornou rosto da esperança na Itália

Alma Clara Corsini com a equipe médica que a tratou no hospital Pavullo em Modena, Itália
© Hospital de Pavullo Alma Clara Corsini com a equipe médica que a tratou no hospital Pavullo em Modena, Itália


Nas últimas semanas, a Itália teve poucos motivos para otimismo.

                 
Atualmente, é o país mais afetado pela pandemia de coronavírus na Europa e, na última segunda-feira (23/3), havia registrado mais de 6 mil mortes, o número mais alto do mundo.

Mas o caso de uma mulher de 95 anos que se recuperou da doença conseguiu romper esse pessimismo.


Alma Clara Corsini foi hospitalizada em 5 de março na província de Modena, no norte da Itália.

Segundo o jornal local La Gazzetta di Modena, a saúde de Corsini agora está tão boa que ela recebeu alta e já está a caminho de sua casa de repouso no município de Fanano, na província de Modena.

"Sim, estou bem. São pessoas boas que me trataram bem e já estão me mandando para casa", disse Corsini ao La Gazzetta di Modena em alusão aos cuidados que recebeu no hospital.

O mesmo jornal observou como os especialistas observaram que a recuperação de Corsini ocorreu sem a "terapia antiviral" que é administrada aos pacientes para ajudá-los a combater a infecção.

BBC News

Tours por museus que você pode fazer sem sair de casa

Em tempos de coronavírus, o distanciamento social é a melhor saída para frear o avanço da doença. Mesmo que você não apresente sintomas, é importante evitar ao máximo aglomerações devido à alta transmissibilidade do vírus. Em outras palavras, agora é tempo de ficar em casa. Porém, esse tempo isolado não precisa ser um completo tédio – ou se resumir às redes sociais e filmes no streaming. 
Importantes museus pelo mundo disponibilizam em seus sites tours virtuais para qualquer um aproveitar a quarentena (compulsória ou não) para saber mais sobre arte e cultura sem sair do sofá.

British Museum, Londres

Com uma coleção de oito milhões de obras e artefatos, o museu disponibiliza a visualização de alguma delas em seu site oficial. No projeto “History of the World”, dois milhões de anos de história são representados por peças icônicas e, ao clicar em cada uma delas, o usuário pode ler e ouvir áudios com explicações dos curadores. Além disso, no Google Arts & Culture você pode fazer um tour 360º pelos halls do museu.

Galleria degli Uffizi, Florença

Os apaixonados pelo renascimento italiano não podem deixar de fazer o tour virtual pela Galleria degli Uffizi. Apesar do número pequeno de peças comparado ao dos outros museus (não são mais de 100), a página da galeria no Google Arts & Culture reúne grandes artistas da Itália, como Michelangelo, Leonardo, Botticelli e as obras mais icônicas do período – tudo isso com uma quantidade impressionante de informações. Veja aqui

Louvre, Paris

Fachada do Museu do Louvre, em Paris, ao entardecer
Dono de um acervo que beira o infinito, com peças da pré-história até o século 21, o Louvre é o maior e um dos mais famosos museus do mundo – e está fechado por tempo indeterminado. A parte mais completa do seu tour virtual é o que passa pelas antiguidades egípcias, em que as pessoas têm uma visão 360º dos espaços e podem clicar nas obras para saber mais sobre suas histórias. Veja aqui.

MASP, São Paulo

Prédio do MASP, na Avenida Paulista, São Paulo foto de 2015
 (wsfurlan/iStock)
Dono de um acervo fixo com nomes como Portinari, Di Cavalcanti, Van Gogh, Monet e Picasso, o MASP disponibiliza exposições online no Google Arts & Culture. São mais de mil peças virtuais, que o usuário pode dar zoom e ler mais sobre a história da obra, do autor e do contexto artístico da época – uma ótima aula. Faça o tour aqui

Metropolitan Museum of Art (MET), Nova York

O MET cobre mais de 5 mil anos da história da humanidade através arte e não faltam maneiras de explorá-lo virtualmente. Em parceria com o Google Arts & Culture, o museu disponibiliza tours, exposições exclusivas para a internet e mais de 200 mil peças de arte em detalhes, incluindo pinturas, artefatos, itens de decoração e roupas históricas. Em seu site oficial, o museu também possui vídeos 360º que mostram seus espaços mais icônicos, proporcionando ao público uma experiência imersiva do acervo e da arquitetura do prédio. 

Museu Nacional de História Natural, Washington D.C.

No tour virtual, internautas têm um gostinho do enorme acervo do museu: são impressionantes 145 milhões de espécies e artefatos. É possível conhecer os incríveis espaços do museu, incluindo as áreas dedicadas aos insetos, aos dinossauros e aos mamíferos. Disponível tanto no site oficial do museu ou no Google Arts & Culture

Rijksmuseum, Amsterdã

De um milhão de peças da coleção do museu, você pode conhecer pelo menos 160 mil no Google Arts & Culture, uma boa aula da história da arte holandesa, direto do seu computador. O tour 360º pelas dependências do icônico museu também é bem completo e dá a sensação de que você está de fato andando por seus corredores. Faça o tour aqui

Palácio de Versalhes, França

Quarto de Maria Antonieta no Palácio de Versalhes, Paris, França
Este impressionante tour por Versalhes permite que você conheça todos os cantos da antiga residência da realeza francesa, sem ter que sair de casa. O destaque são os passeios em 3D por importantes cômodos do palácio, como a Sala de Coroação, os aposentos do rei e da rainha e a Galeria dos Espelhos. Durante o giro pelo local, é possível dar zoom nas obras de arte, objetos, esculturas e pinturas no teto. Um 360º dos famosos jardins também está disponível. Veja o projeto virtual de Versalhes aqui.
Mesmo depois do trágico incêndio que destruiu o museu em 2018, quem não teve a chance de conhecê-lo pessoalmente pode fazer uma visita guiada por suas principais salas e coleções. Tudo graças ao Street View do Google, feito antes do incidente. Descubra os destaques do acervo, como o crânio de Luzia (fóssil humano mais antigo do Brasil), acompanhado de áudios explicativos dos pesquisadores do museu. Faça o tour aqui.

Museus do Vaticano, Vaticano

Com inúmeras obras icônicas, reunidas ao longo dos anos com a curadoria dos papas, o tour virtual permite que internautas façam um passeio 360º por importantes exibições dos Museus do Vaticano, como as Salas de Rafael e, claro, a Capela Sistina de MichelangeloAs visitas virtuais estão disponíveis aqui.

Museu do Van Gogh, Amsterdã

Van Gogh Museum
Em parceria com o Google Arts & Culture, o público agora pode apreciar virtualmente a maior coleção de obras do grande pintor pós-impressionista. São mais de 160 peças do artista disponíveis online, cada uma com explicações detalhadas, além de exposições especiais sobre sua vida, como a que enumera seus livros favoritos e a que revela particularidades sobre sua vida amorosa. É possível também fazer um tour 360º pelos espaços físicos do museu. Conheça aqui.

Museum of Modern Art (MoMA), Nova York

 (MoMA/Reprodução)
O primeiro museu do mundo dedicado à era moderna também disponibiliza parte do seu acervo online, que possui cerca de 82 mil peças de exposições fixas e temporárias. Artistas como Van Gogh, Gauguin e Cézanne são alguns dos expostos, tanto no site oficial do museu quanto no Google Arts & Culture
→ Em tempo: não é raro que o distanciamento social e a quarentena nos deixem ansiosos ou estressados. Pensando nisso, alguns museus do mundo levantaram no Twitter a hashtag #MuseumMomentofZen, em que postam obras interessantes para distrair com um pouco de arte quem está inquieto durante a pandemia do coronavírus. Mais de 75 museus já estão participando da iniciativa e você pode acompanhar por aqui.
Por:
viagemeturismo.abril.com.br

Publicidade Americanas

Publicidade Trocafone

Publicidade Submarino

Publicidade Motorola

Publicidade Plantei