Publicidade Clube Hurb

quinta-feira, 9 de abril de 2020

ÁFRICA: Nampula tem apenas três ventiladores para casos complicados da COVID-19

Nampula tem apenas três ventiladores para casos complicados da COVID-19Olá amigos. Se no Brasil ta pegando imagina como não está na África. Veja essa notícia abaixo:

Nampula tem apenas três ventiladores para casos complicados da COVID-19

A província mais populosa do país, Nampula, conta com apenas três ventiladores para doentes da COVID-19 que venham a precisar de cuidados especiais. A informação foi dada a saber desta quinta-feira pelo médico-chefe daquela província, durante uma a visita ao centro de isolamento efeituada pelo secretário de Estado e do governador provincial.

Sem um caso confirmado, mas mesmo assim o momento não é para descanso…o sector da Saúde na província de Nampula criou o centro de isolamento há duas semanas, com capacidade total para 120 camas, mas neste momento foram montadas 29.

A disponibilidade de camas, porém, não é tudo. O coronavírus tem a particularidade de criar dificuldades respiratórias na sua manifestação mais grave e nesses casos é necessário o recurso à respiração através dos chamados ventiladores.

“Em termos de ventiladores, este é outro assunto. Nós neste momento temos dois que estão disponíveis no Hospital Central de Nampula e mais um que está a chegar. Estamos a trabalhar com parceiros locais para vermos o que vamos conseguir nos próximos tempos”, disse Sulaimana Isidro, médico-chefe na Direcção Provincial da Saúde em Nampula.

O secretário de Estado e o governador da província exigiram proactividade do sector da Saúde para que não seja encontrado em contra-pé. “É preciso, nestas camas que já estão montadas, termos todas as condições criadas”, advertiu Manuel Rodrigues, governador de Nampula.

A província de Nampula tem neste momento 13 pessoas em quarentena domiciliar. Cinco delas são nacionais que tiveram contacto com o grupo de Palma, em Cabo Delgado, onde foi detectado o primeiro caso positivo foram de Maputo, e aguarda-se pelos resultados das análises.

Os dois governantes de Nampula procederam, igualmente, à entrega de duas ambulâncias novas adquiridas pelo Governo para reforçar a capacidade de movimentação neste período de emergência.



Publicidade


TOCANTINS: Moradores de Palmas fazem filas nas agências da Caixa e Receita Federal no primeiro dia de pagamento do auxílio emergencial

Fila em agência da Caixa em Palmas — Foto: Reprodução/TV Anhanguera
O povo se aglomera nas agências da Caixa pelo sonhado benefício de R$ 600,00, liberado pelo Governo federal; Já que é dinheiro do povo. Veja abaixo:

Foto: Fila em agência da Caixa em Palmas — Foto: Reprodução/TV Anhanguera


A manhã desta quinta-feira (9) foi de filas na sede da Receita Federal e em agências da Caixa Econômica em Palmas. Muitas pessoas estavam em busca de informações sobre como regularizar o CPF e se cadastrar para receber o auxílio emergencial de R$ 600 do governo federal. O pagamento começou nesta quinta-feira (9) para quem já tem os dados no Cadastro Único.

G1TO


Publicidade



TOCANTINS: Naturatins intensifica fiscalização de pesca no Tocantins durante Semana Santa

Equipes do Naturatins estão fiscalizando vários rios no estado — Foto: Naturatins/DivulgaçãoBem gente boa daqui. Essa fiscalização que monitorar e educar os pescadores, visto alguns não obedecerem o período como deveriam.

Veja a notícia abaixo:


As ações de fiscalização nos principais pontos de pesca do Tocantins serão intensificadas durante o feriado prolongado de Páscoa. A medida foi informada pelo Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins) após o Governo do Estado decretar ponto facultativo nos quatro dias que antecedem a Sexta-feira Santa.

Nos dias 6 e 7 de abril, fiscais do Naturatins iniciaram o monitoramento na Usina Hidrelétrica Luis Eduardo Magalhães e na Ponte Fernando Henrique Cardoso. Os dois locais são bastante procurados por pescadores. A fiscalização segue intensificada em outros lugares até o feriado do dia 10.

Durante as abordagens, não estão sendo feitas apreensões e aplicadas multas. O objetivo da fiscalização é o de educar pescadores quanto às legislações vigentes que normatizam a prática da pesca. Panfletos com instruções e normas foram distribuídas em todo o estado.

Em reunião realizada no dia 29 de fevereiro, o Naturatins decidiu manter a cota zero até o ano de 2022. A medida proíbe o transporte de qualquer quantidade de pescado no Tocantins. Segundo a portaria nº 106/2019, o pescador pode consumir no local da pesca até cinco quilos de peixe.

As pessoas que descumprirem as medidas podem pagar multa de R$ 700 a R$ 100 mil.

G1 TO


PARAÍSO DO TO: MPTO decreta novas medidas de enfrentamento à Covid-19



























Avenida Bernardo Sayão, centro de Paraíso do Tocantins. (Foto: Rogério Ramos/Arquivo)


Prefeitura de Paraíso do TO, intensifica as normas de isolamento social para conter a epidemia do coronavírus (COVID-19), na cidade. Decreto n.o 543/2020.

..."INTENSIFICA AS MEDIDAS PARA ENFRENTAMENTO DA INFECÇÃO HUMANA PELO NOVO CORONAVÍRUS.
O PREFEITO MUNICIPAL DE PARAÍSO DO TOCANTINS, no uso de suas atribuições legais e de conformidade com o art.42, inciso lV, da Lei Orgânica do MunicÍpio determinou várias medidas a população. Leia abaixo:...


Clique aqui para ler o documento na íntegra


Último Fato

quarta-feira, 8 de abril de 2020

Coronavírus: Nova York vive drama com necrotérios lotados e hospitais de campanha

Os pedidos de serviços em cemitérios de Nova York dispararam devido à pandemia da covid-19
© Getty Images Os pedidos de serviços em cemitérios de Nova York dispararam devido à pandemia da covid-19

Philip Tassi adverte que o cemitério onde trabalha está cheio de solicitações de enterros e que não há tempo para descanso: o governo do Estado de Nova York acaba de anunciar que entre segunda e terça-feira houve 731 mortes por coronavírus registradas.
"O número de pedidos de enterro e cremação que temos provavelmente subiu 300%", diz Tassi, do cemitério Ferncliff em Westchester, poucos quilômetros ao norte de Manhattan.
Atualmente, até 20 corpos passam por este crematório em 16 horas de trabalho, sete dias por semana. Mas, mesmo assim, operando com capacidade máxima, o cronograma está completo até o final da próxima semana.
A história se repete em outros lugares de Nova York, o epicentro da pandemia de coronavírus nos Estados Unidos, o país com os casos mais confirmados de covid-19 no mundo.
"A maioria dos cemitérios não tem unidades de refrigeração para lidar com uma pandemia. Portanto, o maior problema agora é que não temos armazenamento refrigerado para manter os corpos aqui por longos períodos", diz Tassi, que preside a Associação dos Cemitérios do Estado de Nova York e trabalha no setor há 23 anos.
Nunca vi algo assim'
As casas funerárias também estão sobrecarregadas, e as autoridades enviaram dezenas de necrotérios móveis ou caminhões refrigerados para hospitais.
O objetivo é evitar que cadáveres se acumulem sem um local para recebê-los, como aconteceu em outros países atingidos pelo enfrentamento ao vírus.
"Eu nunca vi algo assim em toda a minha vida, tantas pessoas morrendo em um período tão curto", disse Tassi à BBC News Mundo, serviço em espanhol da BBC. "Nem no 11 de Setembro tivemos o número de corpos que temos agora com a pandemia", diz ele, referindo-se aos ataques de 2001 na cidade.
De fato, nos ataques que os Estados Unidos consideraram o maior ato terrorista em sua história, quase 3 mil pessoas morreram em Nova York.
Esse número de vítimas foi oficialmente ultrapassado nesta semana pelo coronavírus. Na cidade de Nova York, já morreram mais de 3.200 pessoas, enquanto em todo o Estado esse índice chegou a 5.489.
Vários mortos por coronavírus de Nova York são levados a necrotérios móveis© Getty Images Vários mortos por coronavírus de Nova York são levados a necrotérios móveis

O vírus e a cidade

A pandemia transformou Nova York: a cidade nunca esteve tão quieta e silenciosa por tanto tempo, a ponto de se poder atravessar avenidas sem esperar o semáforo ficar verde ou ouvir o barulho de uma moeda caindo na calçada deserta.
O silêncio só é quebrado quando uma ambulância passa com a sirene ligada.
Isso também ocorre às 19h, todos os dias, quando os nova-iorquinos aplaudem, das janelas, os profissionais de saúde que combatem a pandemia. Nesse momento, a cidade parece recuperar seu espírito barulhento por alguns minutos.
As autoridades locais estenderam o fechamento de escolas e empresas que não se enquadrem na categoria de serviços essenciais, bem como a proibição de reuniões até 29 de abril — as multas aos infratores podem chegar a US$ 1.000.
Embora a polícia não controle ostensivamente o movimento de pessoas, os 8,6 milhões de nova-iorquinos atenderam amplamente ao pedido de que permaneçam em suas casas pelo maior tempo possível.
Um membro da tripulação do navio hospitalar enviado para Nova York testou positivo para coronavírus© AFP Um membro da tripulação do navio hospitalar enviado para Nova York testou positivo para coronavírus
Um hospital de campanha instalado no Central Park por uma organização religiosa humanitária recebe dezenas de pacientes de covid-19 diariamente , e ver aquelas tendas brancas no gramado desta cidade rica pode causar uma sensação de medo e estranhamento.
A catedral de São João, o Divino, em Manhattan, também está sendo convertida em um hospital. Ela é considerada a maior igreja gótica do mundo.
E os militares transformaram o Javits Convention Center, na mesma ilha, em outro hospital temporário com 2.500 leitos disponíveis.
O objetivo é aumentar a capacidade de assistência médica, que está no limite em um Estado com mais de 138.800 casos confirmados de coronavírus e mais de 17.400 pessoas hospitalizadas por causa da doença.
Nessa semana, o presidente Donald Trump autorizou que um navio-hospital militar comece a receber pacientes de covid-19 em Manhattan.
Mas, em outro sinal de que a doença está se espalhando incontrolavelmente, a Marinha dos Estados Unidos informou na terça-feira que um membro da tripulação do navio-hospital, o USNS Comfort, foi infectado pelo coronavírus — outros servidores foram isolados preventivamente.
Andrew Cuomo, governador de Nova York, indicou que as medidas de isolamento social parecem estar funcionando© AFP Andrew Cuomo, governador de Nova York, indicou que as medidas de isolamento social parecem estar funcionando
Apesar do recorde de 731 mortes no Estado de Nova York entre segunda e terça-feira, o governador Andrew Cuomo disse que as hospitalizações e a passagem de pacientes para tratamento intensivo diminuíram.
Luz de esperança
Cuomo indicou que, graças a medidas de isolamento social, Nova York pode estar atingindo uma tendência de queda em sua curva de hospitalização.
No entanto, ainda é muito cedo para saber o que vai acontecer.
"Ainda não estamos fazendo o suficiente para saber quantas pessoas estão infectadas", diz Theodora Hatziioannou, professora associada de virologia da Universidade Rockefeller, em Manhattan.
"Então, prevendo que o pico é esta semana, dizer o que vai acontecer na próxima ou na seguinte é impossível no momento", disse Hatziioannou à BBC News Mundo.

'Nossas vidas vão mudar'

Por outro lado, também surgiram alertas de que o número de mortes por coronavírus em Nova York pode ser maior que os dados oficiais.
O vereador Mark Levine, presidente da comissão de saúde da cidade, disse que as mortes em residências aumentaram 10 vezes em relação ao período anterior à pandemia — hoje, elas estão entre 200 e 215 por dia.
"Tenho certeza de que quase todo esse aumento são pessoas com coronavírus. Mas nem todos são contados dessa maneira", escreveu no Twitter.
Levine também causou choque nesta semana ao afirmar que a cidade em breve poderia começar a enterrar os mortos provisoriamente em parques, embora mais tarde ele tenha esclarecido que esse é um plano de contingência que pode ser descartado se o número de mortes cair o suficiente.
Um hospital de campanha para pacientes com coronavírus foi instalado no Central Park, em Nova York© Getty Images Um hospital de campanha para pacientes com coronavírus foi instalado no Central Park, em Nova York
O prefeito de Nova York, Bill de Blasio, admitiu na segunda-feira que o plano de enterros temporários pode ser implantado, mas negou que eles iriam ocorrer em parques. E seu porta-voz indicou que os enterros poderiam acontecer na ilha Hart, no Bronx.
A verdade é que o vírus traça uma paisagem nova e sombria nesta cidade opulenta, mas já marcada por momentos de grande dor.
"O 11 de Setembro foi um ato terrorista e isso nos amedronta, consome todos os dias, seja no trabalho ou em casa com nossas famílias: parece que ele fala conosco o tempo todo, que conversamos sobre isso o tempo todo", reflete Phil Suarez, um paramédico que colaborou nos esforços para resgatar vítimas dos ataques em 2001.
Suarez também tratou de feridos no Iraque em 2017 e trabalhou em desastres, mas diz que o coronavírus o tornou "muito mais cauteloso" em seu trabalho, que aumentou significativamente em Nova York.
"Antes, atendíamos um paciente sem luvas, óculos ou máscara, mas agora temos que nos proteger completamente", explica o paramédico.
"Nossas vidas mudaram drasticamente em um mês", diz.
© BBC

BBC News

Yanomami de 15 anos é internado em estado grave com coronavírus

Índios Yanomami impedem a saída de profissionais de saúde em aldeia
Internet

BOA VISTA - Um estudante indígena de 15 anos está em estado grave na Unidade de Tratamento Intensivo do Hospital Geral de Roraima com coronavírus. Ele deu entrada no hospital com quadro de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e seu primeiro teste para coronavírus deu negativo. O segundo, no entanto, confirmou a contaminação.

O estudante Alvanei Yanomami mora na aldeia Rehebe às margens do rio Urariquera, município de Alto Alegre, e estudava na cidade, vivendo na casa de uma liderança. Com o avanço da epidemia no estado e a suspensão das aulas, ele teria voltado para a aldeia de origem, mas se sentiu mal e foi encaminhado para o hospital.

Cinco profissionais de saúde que tiveram contato direto com o indígena contaminado já se encontram em isolamento social. Após a confirmação do caso, o prefeito do município de Alto Alegre, Pedro Henrique Machado, fechou as entradas da cidade com barreiras sanitárias.


“O menino ficou na Casai - a Casa do Índio - e fizemos todo o monitoramento da entrada e saída dele do Hospital Geral. Aqui no município mesmo ele deu entrada no dia 17 passado se queixando de dores na nuca e de cabeça. E na casa onde estava tem muitos idosos e ninguém apresentou sintomas. Todos ficaram em isolamento por mais de 15 dias e tudo indica que ele se contaminou no hospital em Boa Vista”.

A Secretaria de Saúde (Sesau), por meio do Hospital Geral de Roraima (HGR), informou que o paciente permanece na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e que informações sobre sua situação podem ser fornecidas apenas com autorização dos familiares.

Estadão

Bebê com coronavírus morre aos 5 dias de vida em Natal

Com coronavírus, bebê de três meses morre no Ceará - Jornal TodoDia
Internet

NATAL - Um bebê prematuro testado positivo para a covid-19 morreu na Maternidade do Hospital Dr. José Pedro Bezerra, na zona Norte de Natal, nesta terça-feira, 8. O caso foi confirmado pela Secretaria Municipal de Saúde de Natal nesta quarta-feira, 8. A secretaria informou, ainda, que a mãe do bebê estava na trigésima semana de gestação e apresentava quadro de hipertensão, diabetes, obesidade e síndrome respiratória a esclarecer. Com essa morte, o bebê passa a ser a vítima mais jovem da covid-19 no Brasil.

Conforme a Secretaria Municipal de Saúde de Natal, a paciente deu entrada na unidade no dia 2 de abril e foi mantida em isolamento para, posteriormente, ser realizada a cesárea.

Uma médica obstetra que acompanhou a cirurgia para retirada do bebê e pediu para não ser identificada relatou que o "swab" (amostras de secreção nasal) do recém-nascido foi "colhido com 7 horas de vida". A médica alertou que todos os médicos, enfermeiros e profissionais da limpeza estavam paramentados conforme as normas de segurança hospitalar para a covid-19 e seguiam as regras de isolamento social.


"A equipe é toda protegida, não saímos do isolamento. Nós achamos estranho e só pode ser transmissão vertical (de mãe para filho). Estou achando estranho, se foi transmissão vertical, positivar com sete horas", declarou a médica.

O bebê, porém, apresentava outros problemas de saúde que podem ter sido agudizados pela covid-19. Conforme relato de outro integrante da equipe médica que realizou o parto, ele nasceu com enterocolite, que é a necrose das alças intestinais por falta de oxigênio.


Os integrantes da equipe médica também relataram que a mãe do bebê deu entrada na unidade de saúde "espirrando e tossindo muito". A paciente, que tinha eclâmpsia e por isso precisou passar pela cirurgia cesárea, também teve convulsões durante o procedimento cirúrgico.

O exame dela para o coronavírus foi realizado e aguarda a emissão do resultado pelo Laboratório Central da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Lacen/Sesap/RN). Atualmente, a genitora encontra-se em isolamento domiciliar. O Rio Grande do Norte soma 11 mortes por covid-19 e 261 casos confirmados da doença.

Estadão

Maia comenta ligação de Bolsonaro para líderes de partidos de centro


© Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

O presidente da República está convidando líderes de partidos de centro para conversar. A medida foi comentada pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) no início da tarde desta quarta-feira (8/4). Maia destacou que diálogo é importante. Mas, também, que o parlamento tem feito sua parte. O parlamentar também anunciou que a Câmara deverá votar o projeto que amplia o número de beneficiados pela ajuda para informais, e defendeu a importância da MP 905, do contrato de trabalho verde e amarelo.

“Se é possível melhorar o diálogo do governo com o parlamento, só o governo pode responder. O parlamento tem feito sua parte independente de diálogo. O importante é votar as matérias. Mas, conversar é sempre positivo. Um ambiente de menos ódio e mais paz sempre ajuda na sinalização a sociedade em ambiente de crise. É muito positiva a atitude do presidente. Deve estar vendo que, através do diálogo, se constrói muita coisa. O Mandetta é um exemplo disso”, afirmou.

Sobre a MP 905, Maia defendeu o diálogo com os líderes partidários dos partidos de oposição e afirmou que é possível construir um texto mais consensual. “Sempre fui contra fazer outras mudanças de lei trabalho por medida provisória. A 905 não foi editada na calamidade, mas, tem outras que sim. Se tiver compreensão dos líderes, isso nos dá condições para votar hoje ou amanhã. É importante construir acordo. Mesmo que uma parte fique de fora e venha em outra MP”, ponderou.

“Estamos negociando, Não há necessidade de obstrução. O importante é dialogar. Temos que construir textos possíveis. Dá pra construir um texto possível. Se não, amanhã pode ter um texto de interesse da esquerda, e a maioria não querer votar. Essa questão de ‘vota ou não vota’ não é o melhor caminho. É construir um texto que atenda a todos e, no limite, ir a voto, pois as visões são diferentes, mas o objetivo é o mesmo. Combater o coronavírus”, disse.

Maia também afirmou que vai organizar um calendário para a Câmara votar as propostas que vem do Senado. Além da ampliação do auxílio para os trabalhadores informais, o senado também enviou para a Câmara um PL de microcrédito para empresas. “Vamos organizar um calendário onde, toda semana, a gente possa votar as matérias de origem dos senadores, que têm a mesma importância que as dos deputados”, destacou.

“Votamos, hoje, o requerimento de urgência (da ampliação do auxílio). E o mérito, entre hoje e amanhã. E tem a do microcrédito. Temos que votar essas duas matérias que vieram do senado. Estamos avaliando o texto. É amplo. Se fizermos mudança, o texto volta para o senado e eles ratificam ou não. O importante é votar”, completou.

___________________

Correio Braziliense

Arrependimento atinge 17% de eleitores de Bolsonaro em 2018, diz Datafolha


O presidente Jair Bolsonaro
© Carolina Antunes/PR/Flickr/Reprodução O presidente Jair Bolsonaro

A reprovação à forma como o presidente Jair Bolsonaro tem enfrentado a pandemia do novo coronavírus já provoca desgaste em sua base eleitoral. Uma nova pesquisa divulgada nesta quarta-feira, 08, pelo instituto Datafolha mostra que 17% das pessoas que votaram em Bolsonaro na eleição de 2018 estão arrependidas. A porcentagem é equivalente a 9,8 milhões de eleitores. No pleito, o presidente obteve 57,8 milhões de votos, contra 47 milhões do petista Fernando Haddad.

Segundo o levantamento, 39% dos brasileiros consideram ruim ou péssima a forma como Bolsonaro conduz o país na crise. Outros 25% classificam o desempenho do presidente como regular, enquanto os que avaliam Bolsonaro como ótimo ou bom são 33%.

Entre os eleitores arrependidos, a rejeição ao desempenho do presidente no combate à Covid-19 é de 63%. As mulheres são o grupo predominante entre os que lamentam ter escolhido o ex-capitão do Exército nas urnas, contabilizando 60%. Os arrependidos também se mostram preocupados com o coronavírus (45% têm muito medo da doença, contra 38% da população geral) e acreditam que o país terá muitos mortos pelo vírus (66%, contra 52% da população geral).


Os governadores, que abriram uma frente de batalha com Bolsonaro na crise, são avaliados de forma positiva por 58% da população brasileira. Entre os arrependidos de terem votado no presidente, o desempenho dos governadores é elogiado por 72%. Bolsonaro tem criticado a forma como os políticos vêm enfrentando o coronavírus nos estados. Ele não concorda com a política de isolamento social que fechou os comércios na maioria das cidades do país.

O Datafolha realizou a pesquisa por telefone para não desrespeitar as medidas protetivas. A amostragem foi baseada em entrevistas com 1.511 pessoas em todos os estados da federação.

VEJA.com

terça-feira, 7 de abril de 2020

Link de cadastro falso para auxílio emergencial é enviado a 6,7 milhões no Brasil

Para receber o auxílio emergencial de R$ 600, trabalhador deve se enquadrar em todos os requisitos.
© Fábio Motta/Estadão Para receber o auxílio emergencial de R$ 600, trabalhador deve se enquadrar em todos os requisitos.

Em meio a pandemia de coronavírus, links falsos estão circulando na internet para cadastrar pessoas que desejam receber o auxílio emergencial de R$ 600 do governo federal. Em vez de receber o auxílio, porém, quem usar esses links pode ter seus dados roubados. O golpe já tem 6,7 milhões de compartilhamentos e acessos em todo o País e exige atenção de quem navega pela internet.

Os dados são do dfndr lab — laboratório especializado em segurança digital da PSafe, que registrou alta nesse tipo de golpe desde o mês de março. De acordo com o dfndr, cerca de 90 a 100 páginas falsas trazem perguntas sobre dados pessoais e induzem os usuários a compartilhar os links em aplicativos como o WhatsApp, por exemplo, para receber o benefício.

Segundo Emilio Simoni, diretor do dfndr lab, é importante se atentar para o endereço dos links acessados. Sempre que um endereço remeter a uma página do governo, por exemplo, terá a terminação gov.br. Isso, porque muitos dos sites falsos tem usado expressões como “auxílio corona” ou “auxílio cidadão” para tentar enganar quem acessa. “Para ter certeza de que está em um site oficial, procure o endereço desejado em um site buscador como Google”, afirma Simoni.

“No caso de golpes envolvendo aplicativos de mensagens e redes sociais, o criminoso envia mensagem para um grupo inicial e induz o usuário a compartilhar, e é aí que nós temos esse crescimento exponencial", diz o especialista. "Normalmente, os golpistas sabem explorar o contexto. A pessoa conhece o contexto, precisa do dinheiro e se engana com o site, que é bem feito."


Para não cair no golpe, é necessário ter atenção. Sempre verifique a URL (isto é, o endereço do site) que está sendo acessada, e verifique de onde veio a informação sobre a página. Simoni alerta, também, que dados pessoais não devem ser fornecidos pela internet sem saber se o site é confiável.

https://www.msn.com/pt-br/noticias/tecnologia/link-de-cadastro-falso-para-aux%c3%adlio-emergencial-%c3%a9-enviado-a-67-milh%c3%b5es-no-brasil/ar-BB12hTBO?li=BBwanrb





Justiça destina verba do fundo eleitoral para combate à covid-19

Tribunal Superior Eleitoral
Tribunal Superior Eleitoral - José Cruz/Agência Brasil

Decisão desta terça-feira (7) afeta também o fundo partidário e determina que Tesouro não transfira recursos, mas que pode usá-los contra pandemia

A Justiça Federal bloqueou nesta terça-feira (7) o envio de verbas pelo Tesouro Nacional aos fundos partidário e eleitoral e determinou que os recursos só podem ser usados no combate à pandemia de coronavírus.

A liminar determina que os recursos poderão ser usados no momento apenas em favor de campanhas para o combate à pandemia de covid-19 ou para amenizar suas consequências econômicas.

O Fundo Eleitoral é a verba disponibilizada para partidos bancarem as campanhas em eleições. O valor reservado para o pleito municipal deste ano é de R$ 2 bilhões. Além disso, os partidos contam com receitas para bancar despesas inerentes ao seu funcionamento, que formam o Fundo Partidário, de cerca de R$ 1 bilhão.


O juiz Itagiba Catta Preta Neto, da 4ª Vara Cível da Justiça Federal, afirmou, em sua decisão, que “a manutenção de fundos partidários e eleitorais incólumes, à disposição de partidos políticos, ainda que no interesse da cidadania, se afigura contrária à moralidade pública, aos princípios da dignidade da pessoa humana, dos valores sociais do trabalho e da livre iniciativa e, ainda, ao propósito de construção de uma sociedade solidária”.

O magistrado afirmou ainda que "dos sacrifícios que se exigem de toda a nação não podem ser poupados apenas alguns, justamente os mais poderosos, que controlam, inclusive, o orçamento da União".

A ação foi movida pelo advogado Felipe Torello Teixeira Nogueira e tem como réus a União Federal, o presidente Jair Bolsonaro, e o presidente do Congresso Nacional, o senador Davi Alcolumbre (DEM-AP).



Michelle Bolsonaro lança programa de arrecadação de doações

A presidente do Conselho do Pátria Voluntária, Michelle Bolsonaro, durante evento
A presidente do Conselho do Pátria Voluntária, Michelle Bolsonaro, durante evento
Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Projeto é encabeçado pelo Pátria Voluntária, programa de incentivo ao voluntariado, presidido pela primeira-dama


A primeira-dama Michelle Bolsonaro participou nesta terça-feira (7) do lançamento do projeto Arrecadação Solidária, para apoiar entidades sem fins lucrativos que atuem com grupos vulneráveis da sociedade. As doações podem ser realizadas por transferência bancária ou via cartão de crédito, por pessoas físicas e jurídicas, no Brasil e no exterior. O valor mínimo é R$ 30.


“Hoje quero falar de união e solidariedade. Diante dessa pandemia precisamos mais do que nunca de voluntários. Vamos unir a nação em prol dos mais frágeis e vulneráveis. Nossa missão é acolher, ajudar e demonstrar nossa solidariedade não só durante a crise mas também fora dela”, disse Michelle em discurso no evento de lançamento do projeto.

O projeto é encabeçado pelo Pátria Voluntária, programa de incentivo ao voluntariado do governo federal, em conjunto com a Fundação Banco do Brasil e com a campanha Todos por Todos, que estimula o movimento solidário para o enfrentamento à pandemia de covid-19. As doações podem ser feitas na página do Todos por Todos e também na plataforma do Pátria Voluntária.


“Não podemos nos esquecer que somos um povo criativo, solidário e que não desiste nunca. Estamos certo que superaremos este momento com a união e a participação de todos. O Brasil não pode parar”, disse o ministro-chefe da Casa Civil, Walter Braga Netto, em cerimônia no Palácio do Planalto.

A prioridade do projeto é atender a pessoas no grupo de risco, principalmente os idosos, e demandas sociais das comunidades vulneráveis. Um conselho será designado pela Casa Civil, com membros de diferentes ministérios, para decidir sobre as regiões e causas cadastradas que receberão recursos.

O Programa Nacional de Incentivo ao Voluntariado (Pátria Voluntária) é coordenado pela Casa Civil da Presidência da República e conta com um conselho presidido pela primeira-dama. A plataforma já conta com mais de 300 instituições cadastradas.

As doações do Arrecadação Solidária serão gerenciados pela Fundação Banco do Brasil, que garantirá a prestação de contas e fará o monitoramento das organizações sociais apoiadas.





AMAZONAS: Casos de covid-19 disparam no Amazonas e governo admite colapso

E o povo continua brincando com a doença.

Amazonas já é o estado da região norte com maior número de casos de covid-19
Amazonas já é o estado da região norte com maior número de casos de covid-19

Em menos de quatro semanas com casos confirmados do novo coronavírus, o Amazonas se tornou o Estado da região Norte com o maior número de infectados, com 532 pacientes positivos para a covid-19 e 19 óbitos. Só nesta segunda-feira (6), foram 115 novos casos, confirmando o aumento exponencial previsto pela Secretaria de Saúde do Estado, que espera um colapso no sistema de saúde nos próximos dias.

Com covid-19 se alastrando, Amazonas já prevê colapso do sistema ...
Foto Internet - Amazônas

De máscara, o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, anunciou em vídeo publicado em rede social, que a rede hospitalar do Estado já entrou em colapso. Já o secretário de Saúde do Estado, Rodrigo Tobias, informou nesta segunda que isso deve ocorrer nos próximos dias. "O sistema ainda não entrou em colapso nessa ideia de que não possuem leitos para quem precisa, mas amanhã esse número pode aumentar", reconheceu, em transmissão ao vivo na tarde desta segunda.


O Hospital Delphina Rinaldi Abdel Aziz, na zona norte de Manaus, é o local onde estão os internados com casos graves. São 82 pessoas internadas com o novo coronavírus, além de 144 com suspeita de estarem com a doença. "Precisamos entender que, além do coronavírus, temos outros vírus de síndrome respiratória aguda que se confundem com o quadro clínico da covid-19. Nossos leitos estão com os casos confirmados, os suspeitos e os demais casos", constatou Tobias.

Desde 16 de março, o governo do Amazonas tem publicado decretos determinando a suspensão de atividades com aglomerações, como aulas, eventos e até o fechamento de estabelecimentos comerciais de serviços ou produtos não essenciais. Os transportes fluviais intermunicipal e interestadual também foram suspensos desde o dia 19 de março, o que não evitou que o interior fosse acometido pela doença. São 59 casos em outros 11 municípios.

Os casos mais graves são transportados para Manaus, enquanto os leves recebem o atendimento das unidades locais. Um deles foi o de um bebê de um ano e quatro meses, em Parintins (a 369 quilômetros a leste de Manaus). Ele recebeu alta neste domingo, 5, quando era o terceiro caso confirmado no município.


Também no interior está o primeiro caso confirmado de uma indígena infectada. Ela possui 20 anos, pertence à etnia Kokama, no município de Santo Antônio do Içá (880 quilômetros a oeste de Manaus). A suspeita é que ela tenha contraído o vírus após contato com um médico do Distrito Sanitário Especial Indígena (Dsei) que testou positivo. A indígena e duas aldeias inteiras da região estão isoladas. Aproximadamente 1 mil indígenas vivem no local.

Efeito em Manaus

O centro comercial e turístico de Manaus reduziu aos poucos as atividades, principalmente após o decreto de suspensão do comércio não essencial. Não se pode, entretanto, dizer o mesmo sobre os bairros mais periféricos da capital amazonense, com fluxo praticamente normal em áreas comerciais. Para ampliar a recomendação de isolamento, a Polícia Militar iniciou nesta segunda-feira uma operação para orientar pequenos comerciantes a ficarem em casa.


O servidor público federal Paulo Sergio, de 34 anos, provou que nem mesmo os mais atentos às medidas de prevenção à doença estão livres do contágio. Ele, os pais e a irmã testaram positivo para a covid-19. Mesmo sem nenhum problema de saúde, característico do grupo de risco, ele teve pneumonia severa. Chegou a temer pela própria vida, mas já se sente recuperado.

"Fiquei internado de 22 a 27 de março", revelou. "Eu não tenho noção de como peguei. Todo mundo em casa teve a covid. Foram quatro pessoas, sendo eu o caso mais grave. Tive febre todo dia, muita tosse e depois a dificuldade de respirar. Senti melhora lá pelo dia 25, mas minha maior preocupação era o meu pai, que é hipertenso e diabético, mas só teve sintomas leves", disse Paulo aliviado.


Em casos de sintomas menos graves, paira a incerteza. Foi o que aconteceu com a jornalista Mônica Dias, 28. Ela teve gripe, febre e dor de cabeça no início de março, após contato com uma pessoa que esteve recentemente em Dubai. Mônica foi até um posto designado para atendimento exclusivo a casos suspeitos, mas recebeu apenas um atestado médico de cinco dias.

"Na época em que eu estava doente, o exame estava sendo feito apenas em casos muito graves. Antes de ir ao posto médico público, eu liguei para um laboratório particular para solicitar o exame, mas ele tinha acabado. Na terceira semana eu já estava muito debilitada e tossindo muito. Fiquei com medo de voltar ao posto de saúde e preferi esperar em casa até ficar boa", relata Mônica, que já se considera recuperada, mas segue em isolamento.

VISTA ALEGRE: EM TEMPO DE PANDEMIA, LIMPEZA PÚBLICA E MANUTENÇÃO A TODO VAPOR NA VILA

A imagem pode conter: planta, céu, árvore, atividades ao ar livre e natureza

Prefeitura vem dando um trato com limpeza da nossa querida Vista Alegre (entre Marapanim e Marudá). Prefeitura de Marapanim, através da secretaria de obras do município, realizou os serviços de limpeza e manutenção nas ruas da Vila de Vista Alegre.

PMM

MARUDÁ: DEFESA CIVIL ALERTA PARA MARÉ ALTA NA REGIÃO.

Nenhuma descrição de foto disponível.

Marés. Como ocorrem as marés? - Mundo Educação

Jornal Liberal 1ª Edição | Maré alta na orla do Pará supreende ...

Teoria Energia das Ondas
Fotos Internet


A Defesa Civil Municipal informa que no período de 6 a 10 de abril haverá marés com coeficientes muito altos, atingindo altura de até 5,3 metros. Por isso:
a) Procure um lugar seguro, longe do alcance das marés, principalmente se seu imóvel está vulnerável ao risco;
b) Evite o contato direto com as marés muito altas, sobretudo, os banhistas e “curiosos” que costumam frequentar as praias do município;
c) Seja um agente multiplicador dessa informação, oriente os “desinformados”.
d) Em caso de desastre, acione o Poder Público Municipal.

PMM



Publicidade Ad

Publicidade Americanas

Publicidade Trocafone

Publicidade Motorola

Publicidade Plantei

Publicidade Prezi CJ

Publicidade Veloe