Publicidade Google

Imobiliária Quinto Andar

domingo, 21 de fevereiro de 2021

10 hábitos brasileiros que enlouquecem os portugueses


Regra geral. Temos que saber nos comportar em todos os lugares por onde passamos, certo? Mas, veja o que os portugueses muitas das vezes olham com indiferença em nossos hábitos. Confira as dicas quentes abaixo que separamos para todos com fonte Viagem:

 

Somos admirados pela alegria, pela flexibilidade, pela dedicação. Mas verdade seja dita: há manias enraizadas em nós, brasileiros, capazes de tirar os portugueses do sério. Aqui vai uma breve amostra:

1) Entrar numa loja e perguntar alguma coisa para o vendedor sem antes cumprimentar com pelo menos um bom dia, boa tarde, boa noite, com licença. 

Vamos combinar: isso deveria ser decretado lei mundial, né?

2) Chegar num restaurante e sentar antes de ser recepcionado por alguém à porta.

Aqui é regra básica de etiqueta em qualquer restaurante: quem escolhe e leva até à mesa é o funcionário.

3) Ficar chamando desesperadamente o garçom com a mão levantada, estalo de dedos ou expressões do tipo “moço, chefia, campeão”. 

Sinto dizer que nenhuma dessas táticas é eficiente. O garçom é quem costuma controlar o momento de ir à mesa tirar os pedidos e até que ele resolva que é a sua vez, provavelmente vai te ignorar solenemente.

4) O “claro, sim, vamos combinar, vamos fechar negócio” com a maior empolgação, seguido de um sumiço sem satisfações.

Ninguém entende a razão da empolgação se não havia uma real intenção.

5) A falta de capacidade de dizer não.

Um não objetivo por aqui vale mais do que mil sorrisos amarelos ou cinismos.

6) A mania de forçar amizade. Tapinha nas costas do vendedor, abraço no garçom e até cumprimentar com beijos quem não é amigo de verdade (mesmo antes do COVID! ) provocam um inevitável recuo de surpresa.

Tenho um primo que ultrapassou todos os limites e pegou no joelho do taxista! O resultado foi tragicômico.

7) A imitação do sotaque.

Sério: será que alguém realmente acha graça em ficar repetindo o que o outro falou e ficar tirando sarro na cara dele?

8) Chamar Portugal de Terrinha.

Esta é polêmica. Há quem ache afetivo, mas por amostra estatística colhida in loco já me dei conta de que o que fica é a sensação de um tom depreciativo.

9) A mania de comparar tudo (TU-DO) com o Brasil – geralmente criticando o que é português.

Sim, falamos a mesma língua, temos um passado em comum, mas que fique claro: somos dois países distintos, cada um com a sua cultura, os seus hábitos, as suas etiquetas.

10) O tom de voz, sempre (muitos) decibéis acima do que é considerado normal por aqui.

Pode reparar: um ambiente está tumultuado? Ou é brasileiro ou é italiano . 

Leia tudo sobre Portugal



Compre aqui os melhores produtos Amazon



sexta-feira, 19 de fevereiro de 2021

5 cachoeiras que você precisa conhecer no Brasil

 



Taí, uma aventura que da água na boca. Temos pelo Brasil os melhores destinos. Aproveite acompanhado, de kombi, sozinho ou com a família. Não importa, Vá e divirta-se. Confira mais esta que separamos para você:


© Fornecido por Go Outside5-cachoeiras-que-voce-precisa-conhecer-no-brasil© Fornecido por Go Outside 5-cachoeiras-que-voce-precisa-conhecer-no-brasilONDE: SÃO JORGE, CHAPADA DOS VEADEIROS (GO) ALTURA: 100 METROS QUEDAS D’ÁGUA: 1

Veadeiros já tem um clima meio fantástico, mas tudo fica ainda mais mágico na trilha que leva a essa cachoeira. O caminho parece um conto de fadas passado em uma floresta encatada. A mata toda fechada tem a passagem bem demarcada, com cerca de 16 km

de distância (ida e volta). O início fica exatamente a 11 km da cidade de São Jorge. Ali há pouca estrutura e só uma placa indicando o início da trilha, com dificuldade média. O trajeto conta com várias passagens por dentro de rios e paradas em poços de piscinas naturais – como eu disse, é uma trilha especial. A queda possui 100 metros,

em meio a um cânion com paredão de pedra repleto de verde, a mesma cor da água. O nome foi dado pelos garimpeiros que, no passado, não revelavam o lugar por ser rico em ouro.

Leia Mais:
+ Drone faz imagens espetaculares de uma das cachoeiras mais bonitas do mundo; Veja
7 lugares para você acampar no Brasil

Cachoeira do Segredo

Casca D’Anta

5-cachoeiras-que-voce-precisa-conhecer-no-brasil-2© Fornecido por Go Outside 5-cachoeiras-que-voce-precisa-conhecer-no-brasil-2ONDE: SÃO JOSÉ DO BARREIRO, SERRA DA CANASTRA (MG) ALTURA: 186 METROS QUEDAS D’ÁGUA: 1

A cachoeira Casca D’Anta é a primeira queda do rio São Francisco e está entre as cinco maiores cachoeiras de queda livre do Brasil. Eu sempre tento fugir de cartões-postais, tanto que só a conheci na terceira vez em que estive na Serra da Canastra. Confesso que me arrependi de não ter ido antes! Ela é imponente, com uma força absurda, a ponto de ser impossível chegar perto da sua queda. Vale muito um mergulho no poço que se forma ali – diz a lenda que as águas do Velho Chico são medicinais.

Para chegar até lá, são 9 km de São José do Barreiro até a portaria do parque e mais uns 25 minutos a pé. Isso até a parte baixa. Existe uma trilha que sai dali em direção à parte alta, entretanto só pode ser acessada com guias credenciados pelo Instituto Chico Mendes (ICMBio). Essa trilha leva também à nascente do rio São Francisco.

Poço Azul e Santa Bárbara

5-cachoeiras-que-voce-precisa-conhecer-no-brasil-3© Fornecido por Go Outside 5-cachoeiras-que-voce-precisa-conhecer-no-brasil-3ONDE: RIACHÃO, CHAPADA DAS MESAS (MA) ALTURA: 25 METROS QUEDAS D’ÁGUA: 3

É um pouco difícil eleger a cachoeira mais incrível da Chapada das Mesas, no Maranhão. A região faz mesmo jus ao título de ‘paraíso das águas’. Isso porque conta com 22 rios, mais de 400 nascentes catalogadas e 89 cachoeiras oficiais. Nos cinco dias em que estive por lá, vi todos os tipos de quedas: dentro de cânions, grutas, poços com águas cristalinas, altas, cheias.

No Poço Azul, quase caí para trás, literalmente. O sol iluminava o lugar, que tinha uma água tão clara que parecia piscina de clube. E o movimento das águas pelas quedas, por incrível que pareça, não altera seu tom azulado. Tudo isso devido à alta concentração de carbonato de cálcio, uma espécie de filtro mineral que deixa as águas extremamente cristalinas. Para entrar na trilha, é preciso passar por um complexo bem turístico. Mas não desanime e prossiga, porque, assim que a trilha começa, tudo fica lindo. Minha sugestão é ir pela manhã. De quebra, ainda existe uma bifurcação que te leva até a queda de Santa Bárbara, de 70 metros de altura.

Cachoeira da Formiga

5-cachoeiras-que-voce-precisa-conhecer-no-brasil-4© Fornecido por Go Outside 5-cachoeiras-que-voce-precisa-conhecer-no-brasil-4ONDE: PARQUE NACIONAL DO JALAPÃO (TO) ALTURA: 3 METROS QUEDAS D’ÁGUA: 2

A região do Jalapão está localizada no extremo leste do Estado do Tocantins, a 300 km da capital, Palmas, que é a porta de entrada para acessar o parque. Dali, prepare-se para rodar com um 4×4, pois os deslocamentos são longos, com poucas cidades. A Cachoeira da Formiga fica a 29 km da cidadezinha de Mateiros, que possui pouco menos de 2.000 habitantes. Minha sugestão: faça esse percurso de bike, porém comece bem cedo! Todo o esforço será recompensando. A cachoeira tem uma cor verde-esmeralda que te chama para um mergulho pós-pedal – o duro é sair dali depois. A queda escoa pela lateral do poço principal e forma uma deliciosa piscina de água natural bem ao lado. É super pequena, e você pode sentar nas pedras e aproveitar uma hidromassagem natural em meio ao paraíso.

Cachoeira do Buracão

cachoeira-buracão© Fornecido por Go Outside cachoeira-buracãoONDE: IBICOARA, CHAPADA DIAMANTINA (BA) ALTURA: 85 METROS QUEDAS D’ÁGUA: 1

Deste ponto em diante, temos que nadar”, disse o guia quando chegamos à beira da água. Isso porque estávamos em um cânion bem estreito, da onde mal dá para ouvir a queda da cachoeira. Trata-se de uma bela surpresa. São 85 metros de queda e, quando você chega, pode subir nas pedras do cânion e ficar apreciando. Dali, dá para nadar e acessar a parte de trás e até mergulhar na água para chegar à piscina. A trilha para lá tem apenas 3 km e começa em um estacionamento que fica a 29 km (de estrada de terra) de Ibicoara, uma cidadezinha de cerca de 20 mil habitantes a sudoeste da chapada. O grau de dificuldade é moderado, por um caminho às vezes bem marcado, outras vezes cheio de pedras, que passa por vários rios com quedas pequenas e alguns poços.

O post 5 cachoeiras que você precisa conhecer no Brasil aparece primeiro no Go Outside.


Quer vender, comprar ou alugar? Anuncie aqui:


quarta-feira, 10 de fevereiro de 2021

8 destinos perfeitos para quem é do signo de peixes

Olá gente boa e amiga do site. Curta mais esta linda dica que separamos para você

As pessoas nascidas do signo de peixes geralmente são muito sonhadoras, românticas, fantasiosas e intuitivas. A água representa as emoções, por isso, os piscianos nadam afundo em seus próprios sentimentos. Além disso, a espiritualidade também é um aspecto importante para quem é do signo de peixes.

© Fotos: Shutterstock

Por isso, os destinos ideais para este signo são cidades românticas, que incentivam a fantasia e levam o viajante a lugares encantados. Além disso, cidades sagradas, com templos e igrejas antigas, também despertam o interesse dos piscianos.

Pensando nisso, o Guia da Semana selecionou 8 destinos ao redor do mundo perfeitos para quem é do signo de peixes. Confira:


Bali, Indonésia

Repleta de cultura e religiosidade, a Indonésia possui cidades incríveis para conhecer. Entretanto, Bali é um destino muito requisitado, pois além dos templos budistas, possui praias e paisagens maravilhosas. A pessoa do signo de peixes sentirá que esta é a viagem de sua vida ao misturar a magia das praias com a paz dos diferentes templos.


Jericoacoara, Ceará
Entre dunas e lagoas, Jericoacoara é um dos lugares mais desejados do Brasil. As Dunas do Pôr do Sol, como o nome já indica, é um local perfeito para assistir ao entardecer. Já para o visitante que busca sol e água fresca, as lagoas de Jeri são grandes atrativos. A mais badalada é a Lagoa do Paraíso, onde você realmente se sentirá num paraíso tropical. Água, paisagens de tirar o fôlego e natureza exuberante são os ingredientes perfeitos para agradar um pisciano.



Bruges, Bélgica
Bruges é a Veneza da Bélgica. Todo rodeado por canais, o destino é um passeio encantador que te leva a um mundo mágico medieval. O centro de Bruges é considerado Patrimônio da Humanidade pela UNESCO desde 2000, pela preservação das características medievais em sua arquitetura. Para quem gosta de destinos mais tranquilos, conhecer esta cidade pequena é uma ótima pedida.



Veneza, Itália
Veneza é um destino que todo romântico quer conhecer. A bordo das gôndolas, os turistas visitam os incríveis canais que percorrem toda a cidade, entre restaurantes, cafés e casas coloridas charmosas. Além desta atração, a cidade possui museus, a Basílica de Santa Maria e o Palazzo Ducale, um palácio luxuoso que leva o visitante direto ao passado.




Lisboa, Portugal
A capital Lisboa possui muitos atrativos para qualquer turista, desde gastronomia local, museus de arte e história até castelos e palácios incríveis. Por isso, é um destino perfeito para o signo de peixes. O Castelo de Penha, por exemplo, irá encantar o pisciano que é tradicionalmente sonhador. A Quinta da Regaleira é toda rodeada de mitos e misticismo, e possui até um passeio especial noturno para contar as histórias envolvidas no local. Se você decidir por esta viagem, certamente irá se encantar com todas as diferentes atrações da cidade.




Fernando de Noronha, Pernambuco
Qualquer brasileiro sonha em conhecer as praias paradisíacas de Fernando de Noronha – e o local é um destino perfeito para os piscianos. Afinal, quem é do signo de Peixes gosta de sentir a magia da natureza, logo, Fernando de Noronha é um prato cheio. O turista encontra uma energia muito positiva no local, que guarda paisagens inacreditáveis de tão bonitas.



Istambul, Turquia
Istambul é um dos destinos perfeitos para os piscianos, pois mistura uma cultura diferente com locais sagrados e místicos. Por lá, você irá conhecer igrejas incríveis, como a Basílica de Santa Sofia e a Mesquita Azul, além de museus impressionantes como o Museu de Chora e o Palácio de Topkapi, que preservam a cultura da época Bizantina.





Paris, França
Quando falamos de cidades românticas, não podemos deixar de citar Paris, na França. Afinal, o destino é a capital do romantismo no mundo. Por lá, você irá se encantar com a magnífica Torre Eiffel, com o Museu do Louvre e com o bairro de Montmartre, com seus cafés e restaurantes charmosos. Além disso, a cidade possui outros museus igualmente atrativos, óperas, a igreja de sacre coeur e o encantador Palácios de Versailes e seus jardins. Certamente será uma viagem épica.


E aí, com qual destas viagens você mais se identifica?



Publicidade: (Anuncie aqui)


segunda-feira, 8 de fevereiro de 2021

Hotéis na Suíça resolvem falta de clientes abrigando moradores de rua durante pandemia

Diante do inevitável impacto negativo que a atual pandemia impõe sobre o turismo em todo o mundo, alguns hotéis na Suíça ofereceram um bom exemplo das melhorias que parcerias entre o estado e empresas privadas podem trazer à realidade atual. No lugar de manter os hotéis vazios pela ausência de hóspedes por conta do novo coronavírus, diversos estabelecimentos passaram a acolher pessoas em situação de rua em seus quartos.

© Kauê Vieira
© fotos: Getty Images

A cidade de Genebra © Getty Images

A iniciativa conta com a estrutura dos hotéis e com o financiamento de instituições privadas de auxílio e também do próprio estado, que oferece o suporte financeiro capaz de tornar o programa duradouro e capaz de beneficiar a todos os envolvidos. Atendendo mais de 150 pessoas hospedadas em hotéis que estavam vazios somente na cidade de Genebra, o investimento para realização do programa foi de cerca de 2 milhões de euros até aqui – valor equivalente a cerca de R$ 6,5 milhões de reais.

A abertura de hotéis para o acolhimento de pessoas em situação de rua não é exclusividade da Suíça, mas a dimensão e a qualidade do programa atual é digno de nota: além de potencialmente durar até o meio desse ano, a iniciativa funciona não somente em hotéis de 1 estrela, mas também de 2 ou mesmo 3 estrelas. O sistema de suporte concede aos novos hóspedes o período de um mês para cada entrada, no qual as associações participantes do programa oferecem auxílio na busca por soluções permanentes para o problema de moradia dos envolvidos.

© fotos: Getty Images

Hotel em Genebra © Getty Images

A ideia original era que a parceria e tal auxílio funcionasse até abril, mas a perspectiva atual vem fazendo com que os proprietários dos hotéis se coloquem dispostos a estender a experiência até o meio de 2021, podendo seguir até mesmo durante o segundo semestre do ano. Experiências similares vêm sendo realizadas também na França e na Inglaterra, e podem servir de modelo – tanto para o público quanto para a iniciativa privada – de como beneficiar a todos no caminho para superar o impacto da pandemia em todos os seus sentidos: não somente econômico, mas principalmente social e humano.

© fotos: Getty Images



 



domingo, 7 de fevereiro de 2021

Trilhas em Florianópolis


 Desfrute destas belezas em Florianópolis.

A Ilha de Santa Catarina foi generosa com os aventureiros. Há diversos caminhos e trilhas em Florianópolis para se percorrer a pé ou de bicicleta e chegar às localidades menos exploradas da cidade.

Algumas trilhas em Florianópolis possuem baixo nível de dificuldade e qualquer pessoa pode percorrer. Outras, já demandam um bom preparo físico e um guia experiente, pois passam por trechos de escaladas, por áreas alagadas ou são habitats de animais peçonhentos e perigosos.




Para saber mais sobre cada trilha e se preparar antes da aventura, informação nunca é de mais. Portanto, conte com as dicas que o Guia Floripa preparou para as principais trilhas da ilha.

O que vestir

Roupas leves, de preferência fibras naturais como o algodão, que evitam a transpiração excessiva. Nos pés, um calçado confortável. Botas de caminhada são sempre a melhor opção.

Em trilhas mais fáceis (como a Trilha da Praia do Gravatá), roupas de cores claras são ideais, pois não absorvem tanto calor. Nas mais complicadas, no meio do mato fechado (como a Trilha dos Macacos), é melhor usar cores fortes, que facilitam a identificação em caso de se perder.

O que levar

Leve uma boa mochila, resistente e que se adapte a seu corpo para não prejudicar a postura.

Cantil para água. Se não tiver, leve garrafa plástica (pode amassar para não tomar muito espaço), mas não se esqueça de trazer de volta. Sempre se informe se há ou não fontes de água na trilha.

Leve lanterna sempre.

Kit de primeiros socorros (as drogarias vendem kits prontos).

Alimentação

No dia anterior a uma trilha, é importante comer carboidratos - pão, macarrão, raízes e tubérculos.

Leve alimentos não-perecíveis, como granola, frutas desidratadas e sanduíches leves e bem embalados. Não carregue alimentos que não suportam muito calor ou umidade.

Não cometa o erro de levar mais comida do que o necessário (trilheiros de primeira viagem costumam comer mais na trilha do que em um restaurante).

Para recompor a energia durante a caminhada, o ideal são barras de cereais ou banana seca. Banana e laranja, ricas em potássio, são as frutas mais indicadas para os trilheiros. Entre as vantagens, ajudam a evitar cãibras.

Para beber, água ou isotônicos. Leve comprimidos para descontaminar águas não-confiáveis no meio do caminho (à venda em drogarias) ou hipoclorito de sódio, na proporção indicada na embalagem.

E mais

É bom ter cuidado com animais peçonhentos (cobras, aranhas, escorpiões), que, ao contrário da lenda, não têm esta ou aquela época para aparecer.

Use botas, já que quase 90% dos casos de picadas atingem o tornozelo. Olhe onde pisa e ande fazendo barulho, pois isso afasta os animais. Dê uma olhada no link de primeiros socorros para saber como agir em caso de acidente.

Quando estiver em dúvida quanto ao caminho, escolha o que tiver mais marcado. Evite trilhas secundárias.

Não deixe nada pelo caminho. Se você conseguiu levar a mochila cheia, pode muito bem trazer seu lixo de volta.

Ecoturismo em Florianópolis - Trilha do Santinho
Ecoturismo em Florianópolis - Trilha do Santinho
Fonte: guiafloripa

    terça-feira, 2 de fevereiro de 2021

    Confira atrativos do Jalapão, o deserto brasileiro das águas

    Nestes dias de isolamento social (Proteja-se), o melhor é viajar através do nosso Blog. É impressionante o quanto nosso país é lindo. Veja o que tem de belo no Estado do Tocantins.


    Maior do que o estado de Sergipe, esse destino no leste do Tocantins é uma terra de contradições.

    O Jalapão é desértico e, ao mesmo tempo, fonte de águas cristalinas. Daí o título “Deserto das Águas”, em referência à baixa densidade demográfica da região (menos de um habitante por km²), e à grande quantidade de veredas.

    Em uma área de mais de 34 mil km², dunas tão douradas quanto o artesanato feito com as sempre-viva do Cerrado dividem espaço com convenientes poços naturais, escondidos entre bananeiras e com águas azuladas que não nos deixam afundar.

    VEJA ATRAÇÕES DO JALAPÃO

    Essas dunas cercadas por chapadões, são uma das imagens mais conhecidas do Jalapão.

    Formado há milhões de anos pela erosão das rochas arenosas da Serra do Espírito Santo, o atrativo natural costuma ser procurado para observação do pôr do sol, responsável pelos tons alaranjados dessas montanhas de areia de até 40 metros de altura.

    Dunas do Jalapão (foto: Flávio André de Souza/MTUR)© Fornecido por Viagem em Pauta Dunas do Jalapão (foto: Flávio André de Souza/MTUR)

    Serra do Espírito Santo

    A trilha puxada de 900 (íngremes) metros costuma começar cedo, a fim de alcançar o platô da serra antes do sol forte.o alto, percorrem-se outros três km em terreno plano até um mirante de onde é possível ver falésias de arenito com 150 milhões de anos e parte do Parque Estadual do Jalapão.

    Cachoeira da Velha

    Este é outro clássico do destino, considerado a maior cachoeira do Parque Estadual do Jalapão, cuja queda d’água em forma de ferradura tem 15 metros de altura. De águas potentes e volumosas, a cachoeira é daquelas apenas para contemplação, sem nenhum possibilidade de banho.

    Já a Cachoeira do Formiga, sim, é daquelas com águas que convidam para banhos, em uma piscina natural de tons esmeraldas, rodeada por uma floresta de samambaias e alimentada pelo Rio Formiga.

    foto: Flávio André de Souza/MTUR)© Fornecido por Viagem em Pauta foto: Flávio André de Souza/MTUR)

    Caiaque

    Essa atividade no Rio Novo costuma ser oferecida aos clientes que fazem o safári da Korubo, uma das empresas pioneiras no destino.

    A bordo de caiaques coloridos, os visitantes descem pequenas corredeiras desse curso de águas mais agitadas que fazem subir o nível de adrenalina, em alguns pontos da descida.

    Cânion Suçuapara

    A 20 km de Ponte Alta do Tocantins fica esse que é considerado um dos poucos atrativos frescos de todo o Jalapão.

    Trata-se de uma fenda em rochas de arenito por onde águas frias escorrem por paredões de 25 metros de altura com samambaias e raízes de árvores.

    Fervedouros

    Conhecidas também como ‘ressurgência’, essas nascentes subterrâneas de águas transparentes são sempre rodeadas por bananeiras.

    O atrativo é famoso pelos banhos em águas, extremamente cristalinas, cuja pressão no solo arenoso evita que o visitante afunde.

    Fervedouro do Rio Sono, em Mateiros, no Jalapão (foto: Flávio André de Souza/MTUR)© Fornecido por Viagem em Pauta Fervedouro do Rio Sono, em Mateiros, no Jalapão (foto: Flávio André de Souza/MTUR)

    Capim douradoO destino é conhecido pelo artesanato com capim dourado e seda de buriti, uma das principais fontes de renda das comunidades.

    A arte, em forma de bolsas, bijuterias e utensílios para casa, pode ser encontrada nas paradas em cidades que fazem parte do Jalapão.

    O JALAPÃO

    A 250 km de Palmas, capital do Tocantins, fica próximo aos limites com a Bahia, Maranhão e Piauí, e abrange cidades como Mateiros, Novo Acordo, São Félix do Tocantins e Ponte Alta do Tocantins, a 195 km de Palmas, capital do Tocantins.

    Por ali, os dias começam quentes e as estradas de areia fofa e sem sinalização não são para forasteiros de primeira viagem. Por isso, o ideal é viajar acompanhados pelos serviços de agências que atuam no local com carros 4×4.

    Jalapão (foto: Eduardo Vessoni)© Fornecido por Viagem em Pauta Jalapão (foto: Eduardo Vessoni)

    Quem leva

    Korubo: Empresa pioneira no ecoturismo sustentável no Jalapão, conhecida pelas viagens em um caminhão adaptado, como aqueles que cortam savanas africanas, e pernoites em um glamping, uma espécie de camping com mais conforto. Em outras palavras, um safari camp com tendas equipadas com banheiro individual e comida preparada ali mesmo.

    40° no Cerrado: Tocada por um gaúcho que atua na região desde 2001, essa agência voltada para grupos pequenos e com roteiros alternativos pelas regiões do Jalapão, Ilha do Bananal e as cachoeiras de Taquaruçu, que aliás é um excelente combinado para quem fica mais alguns em Palmas.

    Fonte: https://www.msn.com/pt-br/viagem/noticias/confira-atrativos-do-jalap%c3%a3o-o-deserto-brasileiro-das-%c3%a1guas/ar-BB1dk7yh?ocid=mailsignoutmd



    Philco

    GoDaddy

    Rihappy

    UOL Educação

    Biossance

    Publicidade Dietas

    Publicidade Americanas

    Publicidade Portal das Malas

    Portal das Malas

    Publicidade Shoptime

    Publicidade Submarino

    .

    .

    Publicidade recargapay

    Publicidade Timecenter

    Publicidade Euro

    Publicidade Trocafone

    Publicidade Motorola

    Publicidade Plantei

    Publicidade Veloe

    Publicidade JetRadar

    Jetradar

    Publicidade Sumup

    Publicidade Avast