Publicidade Clube Hurb

sábado, 4 de abril de 2020

ARTESÃO CONSERTANDO BACIAS MORRUMBALA MOÇAMBIQUE


Participe de nossa vakinha para ajudar a construir uma caixa d'água com cata-vento em Morrumbala. Acesse a descrição do vídeo e doe.

Projeto Morrumbala

Noite de Estado de Emergência com barracas abertas em Maputo

O povo demora a compreender que o vírus vem pelo ar de pessoa para pessoa. Quando percebe já tem milhares infectados. Protejam-se.

Noite de Estado de Emergência com barracas abertas em Maputo

Noite de Estado de Emergência com barracas abertas em Maputo

Na noite do terceiro dia em Estado de Emergência, na capital do país houve várias barracas que estiveram abertas com gente a beber até perto das 22 horas. Este é apenas uma, entre tantas outras violações às medidas impostas.

Noite de 3 de Abril de 2020. Terceiro dia de Estado de Emergência em Moçambique. Mas de emergência apenas foi o nome para algumas pessoas da capital do país, Maputo,
São 21 horas… no chamado e conhecido Pulmão da Malhangalene, na cidade de Maputo, há gente a beber sem nenhuma preocupação em relação a pandemia COVID-19 que está a deixar o mundo em sentido.

Algumas barracas encerravam ao ver a nossa equipa de reportagem. Uns escondiam-se e outros agitavam-se. Tanto é que um cidadão quis proferir ameaças…Em fim, era o pulmão em respiração normal…

“O País” escalou um outro bairro da cidade de Maputo. Chama-se Matendene.

Entretanto, na capital do país não foram apenas estas as violações de Estado de Emergência, na terceira noite desde o vigorar da medida. No mercado grossista do Zimpeto, por exemplo, mesmo depois das 21 horas o comércio fluía, contrariamente a orientação de encerramento às 17 horas.

No terminal da Praça dos trabalhadores, por exemplo, houve quem ficou entre as 16 e as 20 horas à espera de autocarros que, para além da superlotação, eram escassos.

Facto que também se registou no terminal do Zimpeto. Era notável a superlotação nos autocarros, que mal conseguiam fechar as portas.

Esta foi a terceira noite de Estado de Emergência na cidade de Maputo, faltam ainda 27…

O País


Florianópolis reduz salários de prefeito, secretários e vereadores na luta contra o coronavírus

Estamos por aqui atualizando você de tudo que acontece no Brasil e no mundo. Veja o milagre em Florianópolis.

Florianópolis reduz salários de prefeito, secretários e vereadores na luta contra o coronavírus

prefeito gean loureiro
Prefeito Gean Loureiro, vice-prefeito, secretários e vereadores terão salários reduzidos durante dois meses

O prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro, terá o seu próprio salário reduzido em até 30% nos próximos dois meses. A medida ocorre para direcionar mais recursos para o combate do  novo coronavírus em Santa Catarina, que provocou um aperto no orçamento.

O decreto foi assinado na tarde desta quinta-feira (2) e determina, também, a redução em 20% do salário dos secretários e do vice-prefeito da capital. No parlamento, o salário do presidente da Câmara Municipal foi reduzido em 30% e dos demais vereadores em 20%.

- Vamos enfrentar momentos difíceis por conta da crise e precisamos também fazer gestos de economia. É preciso iniciar por quem lidera - explicou o prefeito.

Os recursos da economia vão ser destinados para o fundo município de defesa civil, para compras de cestas básicas destinadas às famílias que enfrentam dificuldades por conta da crise.

A medida foi anunciada à noite, pouco depois de a Câmara de Vereadores autorizar, em sessão online com mais de cinco horas de duração, a prefeitura a contratar financiamentos no valor de R$ 100 milhões para obras de infraestrutura. Parlamentares de oposição consideram o momento inoportuno.

hora_de_sc

Brasil está sem médicos e equipamentos suficientes para conter coronavírus, diz relatório

Oi gente boa daqui. Em tempo de crise, devemos cuidar um dos outros em nosso querido Brasil. Esperamos o mesmo comportamento de nossas autoridades. Somos todos brasileiros, não importa se rico, pobre, mendigo, homem ou mulher. Não importa sua cor, raça, clero ou que região você vive. Somo todos brasileiros.
A reportagem diz sem médicos. Mas temos dinheiro nos cofres do nosso governo, para gastar com o povo.


Brasil está sem médicos e equipamentos suficientes para conter coronavírus, diz relatório.
Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta é quem coordena as ações contra o avanço da pandemia

© Dida Sampaio/Estadão Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta é quem coordena as ações contra o avanço da pandemia

BRASÍLIA – Boletim do Ministério da Saúde concluído ontem sobre o cenário da pandemia do novo coronavírus traça um cenário crítico da situação da saúde no País para lidar com o pico das contaminações, previsto para ocorrer entre o fim de abril e início de maio.

O documento elaborado pela Secretaria de Vigilância em Saúde afirma que a capacidade laboratorial do Brasil ainda é insuficiente para dar resposta a essa fase da epidemia. A Rede Nacional de Laboratório é semi-automatizada, composta pelos 27 Laboratórios Centrais de Saúde Pública (LACENs), Instituto Evandro Chagas e todas as unidades da Fundação Oswaldo Cruz que juntas, em carga máxima, são capazes de processar aproximadamente 6.700 testes por dia.


"Para o momento mais crítico da emergência, será necessária uma ampliação para realização de 30 a 50 mil testes de RT-PCR por dia", afirma o boletim.

O Ministério alerta que "não há escala de produção nos principais fornecedores para suprimento de kits laboratoriais para pronta entrega nos próximos 15 dias". Além disso, afirma que há carência de profissionais de saúde capacitados para manejo de equipamentos de ventilação mecânica, fisioterapia respiratória e cuidados avançados de enfermagem para lidar com pacientes graves de Covid-19.


Outro ponto frágil são os locais de atendimento a casos críticos. "Os leitos de UTI e de internação não estão devidamente estruturados e nem em número suficiente para a fase mais aguda da epidemia", afirma o relatório.

O Ministério da Saúde está buscando parceria público-privada com grandes redes de laboratórios e ampliando a capacidade dos LACENs, Fiocruz e Instituto Evandro Chagas.

Após 37 dias desde o primeiro caso de contaminação, o Brasil acumula um total de 9.056 casos e 359 óbitos. “De acordo com padrão epidemiológico observado por esses primeiros casos, constata-se que a transmissão ainda está na fase inicial em todos os Estados e Distrito Federal”, diz o ministério.

Considerando as fases epidêmicas (epidemia localizada, aceleração descontrolada, desaceleração e controle), na maior parte dos municípios a transmissão está ocorrendo de modo restrito. No entanto, informa o boletim, considerando o coeficiente de incidência nacional de 4,3 casos por 100 mil habitantes, é preocupante a situação do Distrito Federal (13,2/100 mil) e dos Estados de São Paulo (9,7/100 mil), Ceará (6,8/100 mil), Rio de Janeiro e Amazonas (6,2/100 mil) que apresentam os maiores coeficientes. “Nesses locais, a fase da epidemia pode estar na transição para fase de aceleração descontrolada”, afirma.



________________________________________
Estadão

sexta-feira, 3 de abril de 2020

Uso de verba eleitoral de R$ 3 bi para combater coronavírus racha a Câmara

Agora sim você verá os seus verdadeiros amigos, povo brasileiro. O ue será melhor a manutenção da vida ou o dinheiro???

Comissões da Câmara dos Deputados têm 'overbooking' | VEJA

A Câmara dos Deputados votará nesta sexta-feira, 3, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do chamado “orçamento de guerra”. O projeto permite a separação dos gastos realizados para o combate ao novo coronavírus do Orçamento Geral da União. Embora haja consenso entre os parlamentares para a aprovação do texto, o destaque que visa destinar as verbas do Fundo Eleitoral e do Fundo Partidário para a saúde enfrenta resistência na Casa.



O destaque número 12, apresentando pela bancada do Novo, prevê o repasse de cerca de 3 bilhões de reais para a área da saúde – deste montante, 2 bilhões de reais seriam provenientes do Fundo Eleitoral, e 1 bilhão de reais do Fundo Partidário. Segundo estimativas dos parlamentares do partido, o valor permitiria, por exemplo, a compra de 30 mil respiradores para hospitais e de equipamentos de proteção individual (EPIs) para mais de 9 milhões de profissionais da saúde.

Um dos idealizadores do destaque é o deputado federal Vinicius Poit (Novo-SP). Para o parlamentar, no cenário de crise atual, “não faz sentido gastar recurso público com coisas supérfluas”. “Em um momento como esse, você prioriza o seu recurso, não gasta com coisas supérfluas. Você vai cortar para priorizar alimentação, saúde. Por que, então, o governo vai manter 2 bilhões de reais para fazer campanha política no momento em que falta máscara, respirador? Não faz o mínimo sentido”, disse Poit a VEJA.

Para ser aprovado, o destaque precisa de 308 votos, três quintos do total de 513 deputados. De acordo com o mapa de votos feito pelo movimento Vem Pra Rua, a proposta tem, hoje, o apoio de 125 parlamentares, entre eles deputados bolsonaristas, como Carla Zambelli (PSL-SP), Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) e Carlos Jordy (PSL-RJ). No Senado, a proposta é apoiada por senadores do grupo Muda Senado.

Apesar da mobilização nas redes sociais nos últimos dias, Vinicius Poit admite que a aprovação é difícil. “É difícil, mas vamos remar”, diz. “Contamos com o apoio da sociedade, da classe artística, de movimentos como o MBL, o Vem Pra Rua, o Ranking dos Políticos. Enxergo que há um entendimento entre as pessoas que o dinheiro do fundo precisa e deve estar na saúde”, afirmou o deputado a VEJA.

Para lideranças partidárias ouvidas por VEJA, o destaque não é pertinente em uma PEC que prevê separar os gastos realizados para o combate ao novo coronavírus do Orçamento Geral da União. Além disso, trata-se do esvaziamento dos recursos para campanha em um ano eleitoral.

“[O destaque 12] É uma matéria que não é pertinente a esta PEC. É uma covardia com o povo brasileiro alguns deputados quererem se aproveitar de um cenário de crise para fazer demagogia. É mesquinho usar este momento de fragilidade para demagogia”, disse a VEJA o deputado federal Marcelo Ramos (PL-AM), vice-líder do partido na Câmara e um dos representantes do Centrão, bloco majoritário na Câmara.

Para Ramos, a discussão sobre o Fundão, como é conhecido o montante destinado às campanhas eleitorais e aos partidos políticos, deve ocorrer se o Congresso for debater uma eventual alteração no calendário eleitoral. “Deixemos o TSE [Tribunal Superior Eleitoral] dizer se haverá, ou não, condições de mantermos as eleições para outubro deste ano. Se não for possível, o Congresso analisará medidas legislativas desta natureza. Mas sequer chegamos ao pico da crise causada pelo coronavírus”, afirmou o deputado.

Em meio às incertezas sobre a realização das eleições municipais em outubro deste ano, Vinicius Poit admite que, caso o calendário eleitoral seja mantido, o destaque apresentado pelo Novo perde força na Câmara. “Acredito que temos que dissociar as discussões: uma coisa é fundo eleitoral e fundo partidário, a outra é calendário eleitoral. Defendo que as eleições sejam mantidas este ano, realizadas em novembro, começo de dezembro, mas, se o calendário for mantido, é mais difícil que o destaque seja aprovado”, avalia.


VEJA.com



______________________________

BRASIL: Saiba se você tem direito ao auxílio emergencial do governo

Olá, veja agora se essa ajuda chegará a sua mão. Dinheiro do povo voltando timidamente para o povo.

Auxílio emergencial no valor de R$ 600 irá ajudar as pessoas que mais precisam durante o período de três meses, inicialmente. Projeto de lei aguarda apenas a sansão do presidente da República para entrar em vigor
 Auxílio emergencial no valor de R$ 600 irá ajudar as pessoas que mais precisam durante o período de três meses, inicialmente. Projeto de lei aguarda apenas a sansão do presidente da República para entrar em vigor | Reprodução


Após o Governo Federal anunciar, na última quarta-feira (1º), o auxílio emergencial no valor de R$ 600, conhecido como coronavoucher, destinado a desempregados, pessoas de baixa renda ou trabalhadores informais diante da pandemia provocada pela Covid-19, surgiram inúmeras dúvidas sobre o assunto, como quando vai estar disponibilizado, durante quanto tempo e quem tem direito, de fato.


O valor será destinado a trabalhadores informais, desempregados e microempreendedores individuais (MEI) que estiverem inscritos no Cadastro Único (CadÚnico) do Ministério da Cidadania (banco de dados onde Governo Federal tem registrados os nomes das pessoas de baixa renda habilitadas a receberem benefícios sociais).

PAGAMENTO

O recurso será pago, a priori, durante três meses, com operacionalização pelas redes dos bancos públicos federais: Caixa Econômica Federal, casas lotéricas, Banco do Brasil, Banco da Amazônia e Banco do Nordeste. Ainda não há previsão para ser liberado. O projeto de lei do benefício seguiu para a sanção do presidente da República.

A proposta também prevê assistência para mães que são chefes de família. Elas poderão receber duas cotas do auxílio, ou seja, R$ 1.200,00. Já para as famílias inscritas no programa Bolsa Família, a verba substituirá o benefício regular do programa nas situações em que for mais vantajoso.

Covid-19 mata 1169 pessoas em 24h nos EUA; recorde diário ultrapassa a Itália

Coronavírus infectou um milhão de pessoas em quatro meses

De acordo com o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), nenhum benefício consegue chegar a 100% de seus potenciais beneficiários. Apesar disso, o governo precisa buscar o maior alcance possível para o auxílio. “Isso é mais importante agora do que minimizar o erro de inclusão, isto é, a inclusão indevida de pessoas”, avalia Pedro Herculano Ferreira deSouza, pesquisador do Ipea.

Segundo o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, o benefício deve começar a ser pago ainda este mês e os primeiros a receberem serão os beneficiários do Bolsa Família, hoje com mais de 14 milhões de inscrições. Em seguida, os informais que estão no Cadastro Único. O terceiro grupo a receber é o MEI e contribuinte individual. Por fim, os informais que nãoestão em cadastro nenhum.

PACIÊNCIA

Ainda segundo o ministro, as pessoas não devem correr para agências bancárias, lotéricas ou Centro de Referência Social (Cras) neste momento, pois o Governo ainda não definiu como será o cadastro. Ele afirmou que os trabalhadores informais que estão à margem de qualquer cruzamento de dados do governo contarão com uma “solução tecnológica” para o recebimento dos R$ 600 de auxílio a autônomos. Esse seria o maior gargalo na operacionalizaçãodo pagamento do auxílio.

O Senado aprovou na última quarta-feira (1º) projeto complementar que prevê a inclusão de dezenas de categorias para receber o benefício, como motoristas de táxi e de aplicativos, diaristas, manicures, caminhoneiros, músicos, ambulantes, feirantes, garçons, dentre outros. Outro dispositivo incluído no projeto estipula que homens que criam sozinhos os filhos, o chamado provedor de família monoparental, também têm direito a duas cotas do auxílio, ou seja, R$ 1.200, assim como as mulheres que são chefes de família, conforme aprovado no projeto anterior. A aprovação no Senado ocorreu por unanimidade. Agora, segue para a Câmara dos Deputados.


 

Dol

PARÁ: Empresa doa 5 toneladas de alimentos para acolhidos no Mangueirão

Bom dia gente boa. Veja esta linda notícia vinda do norte do Brasil. Veja que a solidariedade de alguns empresários está em alta no Pará. Apesar de que não estamos vendo a nível nacional os ricos se mexeram muito com suas riquezas para ajudar os pobres.

Grupo Alubar entra no time de empresas de diversos ramos que têm prestado solidariedade com a causa.
 Grupo Alubar entra no time de empresas de diversos ramos que têm prestado solidariedade com a causa. | Ascom/Seel

Desde o último dia 22 de março, quando o Governo do Pará deu início a ação de abrigar pessoas em situação de rua no Estádio Olímpico do Pará, o Mangueirão, muitas são as manifestações de solidariedade. Desta vez, cinco toneladas de gêneros alimentícios foram doados, na tarde desta quinta-feira (2), pelo Grupo Alubar. Aproximadamente 700 pessoas estão recebendo atendimento na praça esportiva e na Arena Guilherme Paraense, o Mangueirinho, incluindo refeições diárias.

A doação foi recebida pelo secretário-adjunto da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel), Vitor Borges. "Agradecemos muito por esses alimentos que foram doados, pois é muito importante para continuarmos assistindo a esse público aqui no Mangueirão e também no Mangueirinho, nessa luta contra a pandemia do novo coronavírus", ressaltou Vitor Borges. A Seel é responsável pela gestão da praça esportiva.

"A Alubar entende que todos os esforços para proteger as pessoas são importantes. Por isso, a empresa é solidária em ajudar aqueles que necessitam de cuidados emergenciais e que estão em situação de risco", afirmou Maurício Gouvêa dos Santos, diretor executivo da empresa.

A ação de governo é coordenada pela Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster), com a parceria da Seel, Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) e Fundação ParáPaz, e com apoio da Polícia Militar, do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves, do Departamento de Trânsito do Estado do Pará (Detran), da Cruz Vermelha e do Exército Brasileiro.

De acordo com a Seaster, são ofertadas quatro refeições por dia aos assistidos, que são garantidas por, aproximadamente, 850 quilos de alimentos.

Dol

quinta-feira, 2 de abril de 2020

CORONAVIRUS E OS FUMANTES

Veja esta notícia que achei no Twitter


Após carreata pelo fim do isolamento, organizador é intimado pela polícia em Florianópolis

Polícia agora vai ouvir o camarada organizador. É o que sempre falo só sobra para quem está como líder. Foi assim com Tiradente, Pedro Alvares Cabral, Martinho Lutero, Jesus Cristo e outros tantos.

Manifestação promovida pelo movimento Direita Santa Catarina ocorreu na Avenida Beira-Mar Norte e pedia o fim da quarentena. E agora José?





nd+ e nós

Quarentena generalizada mudou a maneira como a crosta da Terra se move

Com grande parte do mundo adotando medidas totais ou parciais de distanciamento social, a Terra está ficando menos agitada – literalmente. Cientistas de diversos países vêm observando a diminuição do chamado ruído sísmico, o barulho gerado pela vibração da crosta terrestre capaz de ser medido por instrumentos chamados sismógrafos. 

Litosfera - Toda Matéria
A redução provavelmente tem a ver com a menor circulação de pessoas e carros pelas cidades, além da pausa em outras atividades humanas, segundo pesquisadores. Parece exagerado pensar que nossas ações alteram a dinâmica terrestre, mas, quando somadas, as influências humanas causam sim pequenas variações na vibração da crosta, principalmente em nível local. Esse “ruído de fundo”, em geral, é negativo para a atividade dos sismógrafos, porque atrapalha as observações de ruídos naturais que ocorram na mesma frequência.

Segundo dados do Observatório Real da Bélgica, que fica em Bruxelas, a redução dos ruídos sísmicos causados por humanos na cidade caiu em até um terço desde que foram implementadas medidas de isolamento social. O país europeu, que já soma quase 14 mil casos e 828 mortes, fechou escolas, bares e restaurantes e proibiu todas as viagens não essenciais até 19 de abril. 


A redução por si só não é incomum: em fins de semana, por exemplo, o ruído de fundo causado por humanos geralmente cai.
E, como lembrou à revista Nature o sismólogo Thomas Lecocq, do Observatório Real da Bélgica, esses menores níveis também aparecem no país durante feriados nacionais, como o Natal. Mas, agora, ela está sendo prolongada.

Outros cientistas ao redor do mundo também estão divulgando reduções parecidas. Em seu Twitter, o sismólogo Stephen Hicks, da Imperial College, divulgou dados da organização British Geological Survey que revelam uma redução da atividade sísmica no Reino Unido. Ele lembrou que a estação fica perto da rodovia M4 – uma estrada que liga Londres ao País de Gales –, então a redução provavelmente reflete o menor tráfego de carros na região.

Também no Twitter, Celeste Labedz, doutoranda no Instituto de Tecnologia da Califórnia, mostrou uma redução acentuada na atividade sísmica medida em Los Angeles, nos Estados Unidos. “A queda é realmente radical”, escreveu. Fenômenos parecidos também foram identificados em Paris, na França, e em Auckland, na Nova Zelândia.
Para os cientistas, a redução é positiva, porque torna mais fácil que terremotos leves e outras perturbações na crosta sejam identificadas sem o ruído humano.
Mas a geóloga americana Emily Wolin disse, em entrevista à Nature, que nem todos os sismógrafos do mundo registrarão mudanças tão radicais como os citados aqui. Isso porque a maioria é instalada longe de cidades ou enterrada no chão, exatamente para evitar ao máximo as perturbações vindas de atividade humana, visando aumentar sua precisão na medição de fenômenos naturais.
Superinteressante

Vacina oral contra covid-19 desenvolvida por cientistas de Israel já está nos 'estágios finais'

Uma nova vacina contra a covid-19 está sendo desenvolvida por um time de cientistas em Israel, que afirmam ser capazes de produzir um componente ativo para a droga “nos próximos dias”. Em entrevista ao jornal The Jerusalem Post, o chefe da equipe Dr. Chen Katz afirmou que pretende iniciar os testes em humanos em 1º de junho.

Grupo de pesquisa em biotecnologia do Instituto de Pesquisas da Galileia 
© Reprodução Grupo de pesquisa em biotecnologia do Instituto de Pesquisas da Galileia 

“Nós já estamos nos estágios finais e em poucos dias teremos as proteínas - os componentes ativos da vacina”, afirmou à publicação o líder do grupo de biotecnologia do Instituto de Pesquisas da Galileia (MIGAL, na sigla original).

O avanço veio depois de a equipe estar há quatro anos desenvolvendo uma vacina para o vírus da Bronquite Infecciosa das Galinhas (BIG), comum nessa espécie de aves e também encontrada em faisões. A droga que está sendo desenvolvida para o novo coronavírus seria uma adaptação dessa primeira pesquisa.

“Nosso conceito básico foi desenvolver uma tecnologia geral e não uma vacina específica para esse ou aquele tipo de vírus”, afirmou Katz, que também explicou os ajustes genéticos que permitiram a adaptação da substância para uso em humanos: “A estrutura científica da vacina é baseada em um novo vetor de expressão proteica, que forma e secreta uma proteína solúvel quimérica, a qual entrega o antígeno viral nos tecidos da mucosa por endocitose auto-ativada, fazendo com que o corpo forme anticorpos contra o vírus”.

A pesquisa foi financiada pelo Ministério de Ciência e Tecnologia de Israel. Em 27 de fevereiro, o ministro Ofir Akunes já havia adiantado todas as aprovações necessárias para que o processo de finalização e comercialização da vacina seja facilitado. Ainda de acordo com o Dr. Katz, a substância oral da droga já provou induzir altos níveis de anticorpos específicos contra a BIG.

A pesquisa multidisciplinar também concluiu que o vírus encontrado nas galinhas carrega grande semelhança genética com a forma da covid-19 que afeta humanos, compartilhando do mesmo mecanismo de infecção. “Nosso objetivo é produzir a vacina entre as próximas oito ou dez semanas, para alcançarmos a aprovação de segurança em 90 dias. Essa vacina será oral, tornando-a particularmente acessível ao público geral”, afirmou David Zigdon, presidente do MIGAL.

Estadão

CORPOS TOMAM CONTA DAS RUAS NO EQUADOR

Provavelmente devido ao coronavirus,  Covide-19,  vários corpos tem tomado conta das ruas ou tem sido encontrado em casa no Equador. Veja o video:


quarta-feira, 1 de abril de 2020

Cinco casos positivos de Covid-19 na Teleperformance em Lisboa

Teleperformance, em Lisboa
Teleperformance, em Lisboa

Foto: Diana Quintela /Global Imagens

Há cinco pessoas infetadas com Covid-19 no call-center da Teleperformance da Infante Santo, em Lisboa, denuncia Manuel Afonso, dirigente do Sindicato dos Trabalhadores de Call Center (STCC).

"Três dos casos são no mesmo departamento e as chefias deixaram simplesmente de aparecer e deixaram os trabalhadores entregues à sua sorte", critica. Segundo o STCC, a empresa já tem conhecimento dos casos de Covid-19 desde a semana passada, mas insiste que os funcionários continuem a trabalhar, inclusivamente os colegas que trabalhavam perto dos trabalhadores infetados.

Assim que teve a primeira confirmação de um trabalhador infetado com Covid-19, na quinta-feira passada, o STCC informou a Teleperformance. "Pediram à colega para enviar uma declaração médica, quando ela nem tinha obrigação de o fazer, mas foi enviada. Só aí é que assumiram que estava a falar a verdade", relata Manuel Afonso.

Desde então o Sindicato dos Trabalhadores de Call Center diz que tem tentado contactar a Teleperformance via e-mail, mas não tem tido resposta. "A empresa dificulta o processo dos trabalhadores comunicarem à própria empresa a situação em que estão. Não está a tomar quaisquer providências a não ser dizer a alguns trabalhadores que se quiserem podem meter férias e irem para casa", critica.

Na Teleperformance, localizada na Avenida Infante Santo, trabalham mais de 700 funcionários. Neste momento, já vários estão em casa e encontram-se a trabalhar entre "200 a 300", avança Manuel Afonso. "A promessa da empresa é que todos os trabalhadores trabalhem em teletrabalho, metade já estão. Pedimos que os edifícios sejam encerrados e as pessoas aguardem em casa sem perda de rendimento", pede.

"Em Itália, em Espanha e na Coreia do Sul os call centers foram focos de contágio. Em Itália e em Espanha já morreram operadores de call center e é esse o cenário que estamos a tentar evitar", frisa.

O STCC já informou a Direção Geral de Saúde, a Unidade de Saúde Pública local e a Autoridade para as Condições do Trabalho. A Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo já respondeu e diz que está a tentar falar com a Teleperformance, avança ainda Manuel Afonso.

O JN questionou a Teleperformance sobre que medidas a empresa está a tomar no sentido de proteger os funcionários, de forma a não serem infetados pelos colegas com Covid-19, e se confirmava os casos. A Teleperformance respondeu apenas que "não comenta o tema".

https://www.jn.pt/


PORTUGAL: Padre trata coronavírus com isolamento e aspirina em Fátima

Padre António Pereira em Israel
Padre António Pereira em Israel

Foto: DR

Após duas semanas de isolamento, a tomar aspirina, o padre António Pereira, de 76 anos, pensa ter vencido a Covid-19 e preparava-se esta quarta-feira para pedir a realização de um novo teste para confirmar se já está livre do vírus, contraído durante uma viagem a Israel.

"Penso que o pior já passou", assegurou o pároco de Alcanena, a partir do Seminário dos Monfortinos, em Fátima, onde tem estado em recuperação. O sacerdote integrou um grupo de 17 pessoas que viajaram para Israel no passado dia 9 de março e terá contraído o vírus no regresso a Portugal, dia 16, "no aeroporto de Madrid, ou no avião, que vinha cheio de espanhóis". Dias depois, começou com tosse e a sentir dores de garganta, tentou contactar o SNS, mas sem sucesso. "Perdi horas ao telefone, mas nunca consegui falar com eles", revelou ao JN.

Para abreviar caminho, recorreu a uma médica particular, sua conhecida, que acabou por dar início ao processo e arranjar forma de fazer o teste de despiste à Covid-19. Os resultados deram positivos, o delegado de saúde de Leiria foi informado, e António Pereira entrou em isolamento total. A conselho da médica, começou a tomar paracetamol para controlar a febre, mas como fez alergia, passou para a aspirina.

Enquanto isso, foi recebendo telefonemas diários do delegado de saúde, para acompanhar a evolução do seu estado de saúde. "A princípio, fiquei um pouco preocupado. Mas como sempre tive uma vida muito ativa, deixei o medo de lado, enchi-me de coragem e convenci-me que ia ultrapassar isto e acho que já ultrapassei", disse o sacerdote, aconselhando as pessoas a "terem muito cuidado", mas a não se deixarem "aterrorizar" pelo vírus.

Além de pároco, António Pereira é presidente do Centro Desportivo de Fátima e do Centro de Reabilitação e Integração de Fátima (CRIF). De acordo com as informações que lhe chegaram, entre o grupo com quem viajou até Israel, houve "mais quatro pessoas" que testaram positivo para a Covid-19.

"Eu ainda tentei adiar a viagem. Por mim teria ido noutra altura e com mais segurança, mas garantiram que estava tudo bem e acabámos por ir", adiantou o padre, revelando que devido às restrições causadas pela pandemia, já não conseguiram cumprir boa parte do programa. Agora, que julga ter vencido mais uma batalha da vida, António Pereira incitou os portugueses a cumprirem rigorosamente com o confinamento social que tem sido pedido pelas autoridades de saúde.

https://www.jn.pt/




Las Vegas, onde retângulos pintados são camas para sem-abrigo




Em Las Vegas, um parque de estacionamento está a acolher, provisoriamente, pessoas em situação de sem-abrigo, depois de um centro para o efeito, onde foi registado um caso de Covid-19, ter sido encerrado. As imagens de dezenas de pessoas a dormir no chão, em pequenos espaços delimitados a tinta branca, deram origem a acusações de falta de sensibilidade às autoridades locais.






















www.jn.pt

CALDEIRADA DE PEIXE DO MAURO #CONFINADO

Contágio em sauna pública indica que coronavírus resiste a alta umidade e calor


Divulgação

contágio de oito pessoas pelo novo coronavírus em uma sauna na província de Jiangsu, China, indica que o Sars-CoV-2 é resistente à alta umidade e ao calor.

O estudo de caso, publicado na revista científica Jama (Journal of the American Medical Association), analisou dados coletados de janeiro a fevereiro de 2020 em uma sauna pública para homens na cidade de Huai'an, a 700 km a nordeste de Wuhan, epicentro da pandemia.

O local é um complexo de mais de 270 m2 com chuveiros, piscinas e saunas. A temperatura nos diferentes ambientes varia de 25ºC até 41ºC, e a umidade do ar é de aproximadamente 60%.

De acordo com o estudo, o primeiro paciente -chamado de paciente nº 1- esteve em Wuhan na primeira quinzena de janeiro. Ele viajou, então, para Huai'an, onde frequentou o complexo no dia 18 de janeiro. No dia seguinte, apresentou febre e, no dia 25 de janeiro, procurou assistência médica, tendo o diagnóstico de Covid-19 confirmado.

Nesse meio tempo, o paciente nº 2 visitou o local de banho no dia 19 de janeiro. Seis dias depois, apresentou sintomas relacionados à nova doença -dor de cabeça, febre alta, tosse- e teve diagnóstico positivo no dia 3 de fevereiro.

Os pacientes nº 3 e nº 4 também visitaram o complexo no dia 19 de janeiro, mas os primeiros sintomas apareceram apenas nove dias depois, no dia 28 de janeiro. O terceiro contaminado teve sintomas leves -dor de cabeça-, e teve teste positivo para o Sars-CoV-2 no dia 4 de fevereiro, mesmo dia em que a doença do paciente nº 4 foi confirmada, cujos sintomas foram calafrios, febre e coriza.

Também no dia 4 de fevereiro, foi diagnosticado o quinto paciente, que visitou a sauna no dia 20 de janeiro. Ele apresentou tosse e febre alta no dia 29 de janeiro.

Os pacientes nº 6 e nº 7 estiveram no local no dia 23 de janeiro, já quase uma semana após o paciente nº1. Enquanto o sexto infectado apresentou apenas febre no dia 30, o sétimo enfermo estava com quadro de congestão pulmonar quando foi internado no hospital, no 1º de fevereiro. Dois dias depois, seu teste deu positivo.

O paciente nº 8 frequentou a sauna no dia 24 de janeiro e seis dias depois apresentou sintomas de Covid-19. O teste dele foi positivo para Sars-CoV-2 no dia 3 de fevereiro.

Por fim, o paciente identificado como nº 9 não era frequentador, mas trabalhava no local. Ele apresentou febre e calafrios no dia 30 de janeiro -doze dias após o paciente nº1 estar presente no recinto- e foi diagnosticado com Covid-19 no dia 4 de fevereiro.

A idade média dos pacientes é de 35 anos (24 a 50 anos), e a infecção de todos foi confirmada por meio do teste de RT-PCR (reação em cadeia de polimerase em tempo real) e exame de tomografia computadorizada, que revelou pontos de opacidade nos pulmões. Nenhum deles, até o dia 10 de fevereiro, necessitou de suporte respiratório.

Com isso, os cientistas apontam que os resultados contrastam com o senso comum de que o vírus teria uma capacidade de transmissão limitada em condições muito úmidas e quentes.

LACUNAS

O estudo, entretanto, apresenta lacunas, segundo os próprios pesquisadores. Primeiro, não foi possível saber qual foi o trajeto dos infectados na sauna, com exceção do paciente nº 1, que, segundo Qilong Wang, um dos autores do estudo, utilizou apenas o chuveiro no complexo.

As atividades realizadas no local pelos demais pacientes são desconhecidas. Isso seria um fator determinante para saber, por exemplo, como o paciente nº 9, que trabalhava no local, se contaminou.

Wang disse à reportagem apenas que não houve contato direto entre eles -nenhum dos frequentadores se conhecia.

O segundo, mais grave, é que, por se tratar de um estudo de caso, não se pode aferir com segurança se esse comportamento se enquadraria em outras situações.

Não é possível saber se foi um caso de transmissão local com contato direto com superfícies contaminadas ou se há realmente a possibilidade de contágio através do ar quente e úmido.

O caso é que a resistência do vírus por tantos dias e em uma temperatura elevada pode ser um indicativo de que o novo coronavírus se comporta de maneira particular.

Outros estudos, feitos com outros coronavírus, já haviam indicado que a possibilidade desses vírus resistirem a condições climáticas muito úmidas e quentes são baixas, mas não inexistentes.

Foi o caso da epidemia de Sars (síndrome respiratória aguda grave) de 2003, onde os dados apontaram que, embora o vírus pudesse permanecer em superfícies por até cinco dias, sua viabilidade só era possível em temperaturas ambiente de 22ºC a 25ºC e umidade relativa de até 50%.

Contudo, em nenhum dos estudos realizados até agora, a transmissibilidade do vírus em altas temperaturas foi tão grande.

O principal dado do novo estudo é que os oito indivíduos que frequentaram a sauna tiveram sintomas entre seis e nove dias após estarem no local, sugerindo que o Sars-CoV-2 pode se disseminar e causar infecções nesse meio.

"As rotas de transmissão podem ser as [já conhecidas] gotículas respiratórias ou contato, mas os nossos resultados apontam que a fonte de transmissão do novo coronavírus pode continuar infectante no ambiente com altas temperaturas e umidade."



Sem clientes, sem dinheiro e sem tecto: a prostituição também sofre com a Covid-19

Profissionais do sexo atestam uma grande dificuldade na obtenção de rendimentos ou de meios de subsistência
Profissionais do sexo atestam uma grande dificuldade na obtenção de rendimentos ou de meios de subsistência, durante o período de quarentena

Com a saúde em risco e a crescente escassez de clientes, profissionais do sexo lutam pela sobrevivência face à ameaça que constitui a pandemia da Covid-19. Paralelamente, as plataformas de pornografia registam um aumento de visualizações por parte de quem fica em casa.

Pamela (nome fictício), prostituta de 46 anos, vive em Toulouse, França. Quando não trabalha na rua, tem de viajar para se encontrar com os clientes. Há mais de duas semanas que não trabalha, desde que o país fechou as fronteiras para impedir a disseminação do vírus. Apenas viagens essenciais são permitidas . "As solicitações não deixaram de existir completamente", explicou à agência AFP. Contudo, "comparando uma multa de 135 euros a 50 euros de um cliente", a profissional prefere ignorá-las, mas se o cenário resistir acredita que as suas economias não vão ser suficientes. "Vou ter que correr riscos"diz. "Mesmo que tenha dois clientes por semana, pagaria pelo menos a comida". No caso de prostitutas que já são mães, a situação agrava-se.

A agência francesa avança que os poucos profissionais do sexo registados como trabalhadores independentes não podem reivindicar o apoio de 1500 euros prometido pelo Governo aos trabalhadores independentes para compensar a queda de atividade provocada pelo surto. No sentido de dar resposta às suas necessidades, algumas iniciativas de angariação de fundos começaram a surgir no meio digital. A partir da página "tapotepute" (sua prostituta amiga), foram recolhidos cerca de 10 mil euros para ajudar pelo menos 30 trabalhadores do sexo. Os que continuam a trabalhar foram aconselhados pelo STRASS (Sindicato do Trabalho Sexual) a "evitar contacto com a saliva" ou "qualquer posição sexual cara a cara".

À semelhança do que acontece em França, o ato da prostituição em Portugal também não é considerado ilegal. Contudo, muitos trabalhadores do sexo, mulheres e homens, lutam pela descriminalização total, isto é, para que a profissão seja vista como outra qualquer, com sindicatos e todas as regalias sociais (como Segurança Social, seguro de saúde, vistos de trabalho para trabalhadores migrantes, locais de trabalho seguros, sem proxenetas e geridos pelos próprios trabalhadores sexuais).

A possibilidade de estes profissionais ficarem sem abrigo por falta de pagamento da renda ou pelo encerramento de alojamentos locais também preocupa alguns coletivos portugueses, entre os quais o Movimento dxs Trabalhadorxs do Sexo (MTS). "Os que nos contactaram a pedir ajuda já estão nas várias dezenas e aumentam todos os dias" diz Margarida Maria, que também ajudou a organizar uma campanha de angariação de fundos a nível nacional "para ajudar quem foi mais afetado pela pandemia, e que se encontra nas situações mais precárias e marginalizadas" como migrantes, transgénero, mães/pais, com problemas de saúde e em estado de habitação vulnerável.

Na quarta-feira passada, foi enviada uma carta aberta à Ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, onde eram solicitadas "medidas extraordinárias de apoio", alertando para a iminência de se atingir um "ponto crítico". "Atesta-se uma dificuldade severa na obtenção de rendimentos ou de meios de subsistência, bem como no recurso a modelos alternativos de trabalho" tais como o teletrabalho e as "webcams". O documento foi redigido com a participação das associações Rede de Trabalho Sexual (RTS), A Coletiva e Grupo de Partilha D'a Vida.

Aumento do consumo de pornografia

Depois de fornecer acesso gratuito ao seu conteúdo "premium" em Itália, França e Espanha para incentivar as pessoas a ficarem em casa, como forma de evitar o contágio do novo coronavírus, o Pornhub alargou a oferta para todo o mundo até 23 de abril. A ação faz parte da campanha "StayHomehub", com o intuito de contribuir para uma maior adesão ao distanciamento social

De acordo com a plataforma de conteúdos pornográficos, à medida que cada vez mais pessoas se submetem a quarentena, bem como ao teletrabalho, manifesta-se um aumento substancial na atividade da página. Aproximadamente 120 milhões de pessoas consomem diariamente os conteúdos disponíveis. Num dia, houve um aumento 5,7% maior do que o habitual, com preferência pela parte da manhã.

Numa publicação, a empresa também revelou que as pesquisas com a palavra "coronavírus" apareceram pela primeira vez a 25 de janeiro e continuaram a crescer, atingindo um registo de quase sete milhões nos últimos 30 dias.



Por:
https://www.jn.pt/

8 drinks para fazer em casa e aproveitar o home office

drinks para fazer em casa
© Ahmad Syahrir/Pexels drinks para fazer em casa


Quem disse que o home office precisa ser chato ou preguiçoso? Nada disso! Para trazer aquela sensação gostosa do happy hour, nada melhor do que apostar em alguns drinks para fazer em casa. Com ingredientes e misturas deliciosas, qualquer momento do seu dia será perfeito para matar a sede com  uma destas bebidas.

Em parceria com o Guia da Cozinha, selecionamos oito receitas fáceis e práticas, que é para agradar qualquer tipo de paladar, sem erro, nem dificuldade. Cada experiência é uma explosão de sabor, como se você estivesse sentado em uma mesa de bar com seus amigos.

Experimente os saborosos drinks para fazer em casa
Coquetel de morango especial

Com suco de gengibre fresco, esse coquetel de morango fica pra lá de diferenciado e cheio de sabor!

Ingredientes:

3 xícaras (chá) de morango
2 xícaras (chá) de açúcar
1 colher (chá) de suco de gengibre fresco
2 colheres (sopa) de suco de limão
Vinho branco ou champanhe
Modo de preparo:

Bata os morangos no liquidificador. Coloque numa panela, junte o açúcar e leve ao fogo. Cozinhe em fogo lento até engrossar e soltar do fundo da panela. Retire do fogo e acrescente os sucos de gengibre e de limão. Coloque 1 colher (de sopa) da mistura de morango em uma taça e preencha com vinho branco ou champanha.

Mojito clássico

Quer um pedido fácil? Além de ser um clássico, o drink cubano leva poucos ingredientes e seu passo a passo é bem simples.

Ingredientes:

1 limão
1 dose de rum branco (50 ml)
3 ramos de hortelã
1 colher (chá) de açúcar
Cubos de gelo
Soda ou água com gás
Modo de preparo:

Lave e higienize os ramos de hortelã e o limão. Junte dois ramos de hortelã e esfregue bem as folhas no interior e na borda de um copo alto. Corte o limão com a casca ao meio. Em seguida, corte uma das metades em quatro partes e transfira para um copo. Adicione o açúcar, as folhas de hortelã restantes e, com um macerador, amasse bem. Junte a dose de rum e misture. Preencha o copo com cubos de gelo e complete com soda ou água com gás.


Margarita de melancia


© Guia da Cozinha
O que poderia ser melhor do que uma fruta tropical misturada com um drink delicioso? Com ingredientes picantes, essa margarita promete!

Ingredientes:

1/2 limão
3/4 de xícara (chá) de pedaços de melancia
1 1/2 dose de tequila blanco (75 ml)
1/2 dose de licor de laranja
Sal e pimenta chili em pó a gosto
Modo de preparo:

Misture sal e pimenta e coloque em um prato. Passe o limão na borda da taça, vire-a sobre a mistura e reserve. Num copo, macere a melancia. Em uma coqueteleira com bastante gelo, junte-a aos outros ingredientes. Bata e sirva logo em seguida!

Morango colorido

A combinação de champanhe, morangos e vodka é perfeita para tornar a virada de ano ainda mais deliciosa!

Ingredientes:

20 ml de vodka
10 ml de licor de morango
2 morangos picados
Champanhe a gosto
Modo de preparo:

Em uma coqueteleira misture a vodka e o licor de morango. Despeje em uma taça e ponha os morangos cortados em lâminas. Complete a taça com o champanhe bem gelado.

Caipirinha de morango e maracujá

Mais um clássico perfeito de drinks para fazer em casa. Afinal, além de combinar duas frutas deliciosas, também traz aquele gostinho doce para o paladar.

Ingredientes:

4 morangos
1 maracujá
Cubos de gelo
2 doses de vodka (60ml)
2 colheres de chá, rasas, de açúcar
Modo de preparo:

Fatie o morango e corte o maracujá ao meio, você usará apenas a polpa dele, então, descarte a casca. Coloque o morango e o maracujá em um copo. Adicione o açúcar. Macere cuidadosamente. Adicione gelo até a borda do copo. Complete com vodka. Mexa até dissolver o açúcar.

Batida de saquê com kiwi


© Pexels
Nessa lista não poderia faltar algum drink com saquê, né? Queridinho entre muitos, ele tem a leveza e a doçura para acompanhar suas tardes de home office.

Ingredientes:

3 kiwis
1 copo de saquê
Açúcar cristal
Gelo triturado
Hortelã
Modo de preparo:

Lave e descasque o kiwi e o corte em 4 partes. Coloque os pedaços na coqueteleira. Com um socador amasse a fruta já com açúcar. Acrescente o gelo, o saquê e a hortelã. Tampe a coqueteleira agite até misturar tudo muito bem. Sirva a seguir em um copo alto.

Caipirosca de Limão Siciliano, Gengibre, Mel e Hortelã

Experimente esse poderosos drink no final da tarde e sinta o sabor de quero mais em cada golada. O mel e o gengibre farão toda a diferença!

Ingredientes:

¼ xícara (chá) de mel
2 limões siciliano (suco)
1 colher (sopa) de gengibre fresco cortado em lâminas
6 folhas de hortelã fresca
1/3 xícara (chá) de vodka
Cubos de gelo
Modo de preparo:

Coloque o mel nas paredes de dentro do copo de caipirinha (como um milk shake). Coloque gelo picado no fundo do copo. Adicione o suco de limão siciliano, o gengibre fatiado e as folhas de hortelã. Acrescente a vodka e adoce se desejar.

Coquetel de framboesa

Que tal investir nessa bebida que é a cara de dias quentes? As frutas vermelhas são ótimas opções para acompanhar os drinks para fazer em casa e prometem agradar todo mundo.

Ingredientes:

1 xícara de framboesa
4 lonk necks de cerveja (pode ser da sua preferência, mas que seja clara)
1 xícara de suco de limão siciliano
1/2 xícara de limão
1/2 xícara de vodka
Preparo:

Misture os ingredientes em um recipiente, adicionando a cerveja por último. Coloque pedras de gelo e sirva.


Bônus

Muito além das bebidas tradicionais, investir em algo diferente e exótico pode fazer toda a diferença. Então, que tal apostar em ursinhos de gelatina com vodka?


© Pexels
Ingredientes:

Ursinhos de gelatinha
Vodka à gosto
Modo de preparo:

Em um recipiente, coloque os ursinhos de gelatina junto com a vodka. Aguarde a gelatina “sugar” o líquido, o que pode levar alguns minutos. Deixe no freezer por cerca de 1 hora.

Por:
Alto Astral

Cachoeira mais alta do Equador desaparece repentinamente


© Fornecido por Go Outside

Até pouco tempo atrás, o Parque Nacional Cayambe Coca, na Amazônia Equatoriana, abrigava a Cachoeira de San Rafael, uma cachoeira de 150 metros de altura, a maior do Equador. Mas, em 2 de fevereiro de 2020, o Ministério do Meio Ambiente do Equador (MAE) anunciou que a cachoeira havia desaparecido, que a água havia sido reduzida a um fluxo levemente gotejante.
“Infelizmente, a Cascada San Rafael agora faz parte da história e não retornará”, disse um porta-voz do MAE, de acordo com CuencaHighLife , uma fonte local de notícias.
A cachoeira de San Rafael tomada em 2 de fevereiro de 2020 – Foto: Ministério do Meio Ambiente Equador (MAE)
© Fornecido por Go Outside A cachoeira de San Rafael tomada em 2 de fevereiro de 2020 – Foto: Ministério do Meio Ambiente Equador (MAE)
A mudança abrupta foi documentada em fotografias do Ministério do Meio Ambiente do Equador e nas imagens da NASA tiradas pelo satélite Landsat 8.
O MAE diz que a cachoeira desabou e os detritos desviaram o curso dos rios que a alimentavam, impedindo que grande parte da água escorresse.  Segundo Mongabay, os deslizamentos de terra ajudaram a criar um poço apenas alguns metros antes da cachoeira, fazendo a água fluir em três seções separadas por uma encosta menos íngreme. A causa exata dos deslizamentos de terra, no entanto, continua sendo um ponto de controvérsia.
A cachoeira estava localizada na confluência dos rios Quijos e Salado, entre a cordilheira andina e a região amazônica. A Cachoeira de San Rafael fica em uma área sismicamente ativa, que abriga os vulcões Cayambe e Reventador. De modo que um deslizamento de terra que ocorre naturalmente não é muito surpreendente, dada a geologia da área.
Entretanto, alguns sugeriram que os deslizamentos de terra foram realmente o resultado da recente construção da barragem de Coca Codo Sinclair, uma das maiores usinas hidrelétricas do Equador. A teoria diz que a barragem exige que a água do rio seja filtrada para não danificar o equipamento. Além disso, a falta de sedimentos faz com que o fluxo de água se torne mais erosivo para o leito e as margens do rio abaixo da barragem, tornando-o mais propenso ao colapso.
“Uma cachoeira que existe há milhares de anos não desmorona, coincidentemente, alguns anos após a abertura de um projeto hidrelétrico. São processos que estão em trabalhos científicos e há evidências suficientes de que uma barragem pode causar efeitos desse tipo em um rio ”, disse Emilio Cobo, coordenador do Programa de Água da América do Sul da União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN) à Mongabay.
Por:
Go Outside

Publicidade Ad

Publicidade Americanas

Publicidade Trocafone

Publicidade Submarino

Publicidade Motorola

Publicidade Plantei