NOTÍCIAS MAIS VISTAS NO ANO

segunda-feira, 4 de junho de 2018

Erupção do vulcão de Fogo na Guatemala deixa 25 mortos


Orlando Estrada / AFP

Mais de 1,7 milhão de pessoas devem ser afetadas pela erupção

A erupção do vulcão de Fogo da Guatemala deixou 25 mortos e pode ter afetado mais de 1,7 milhão de pessoas, de acordo com o balanço divulgado na noite de domingo (3). Grandes colunas de fumaça e fragmentos obrigaram as autoridades a retirar centenas de moradores de suas casas. Essa foi a segunda erupção do vulcão deste ano e uma das mais violentas em décadas.

O porta-voz da Coordenadora Nacional para a Redução de Desastres (Conred), David de León, disse ainda, às 21h (horário local, 0h em Brasília), que 3 mil pessoas foram obrigadas a abandonar suas casas e 653 foram levadas para abrigos nos departamentos de Escuintla (sul) e Sacatepéquez (oeste).

O vulcão, de 3.763 metros de altura, fica entre os departamentos de Escuintla, Chimaltenango e Sacatepéquez. Esse três departamentos foram os mais afetados pela erupção, que é considerada a mais forte desde 1974.

A cinza lançada pelo monte atingiu os 10.000 metros de altura acima do nível do mar e o aeroporto internacional La Aurora teve que ser fechado.

As imagens exibidas na televisão e divulgadas nas redes sociais mostram corpos no chão, assim como veículos e casas destruídos pela erupção.

Aldeia isolada

De León indicou que as tarefas de busca de corpos e desaparecidos foram suspensas durante a a noite por falta de luz e pelo perigo para as equipes, de acordo com a France Presse.

Sergio Cabañas, chefe da Agência Nacional de Gerenciamento de Desastres (Conred) do país, disse a uma estação de rádio local que um fluxo de lava havia mudado de rumo para a aldeia de El Rodeo. "Infelizmente El Rodeo foi enterrado e não conseguimos chegar à aldeia La Libertad por causa da lava e talvez haja pessoas que morreram lá também", declarou.

A erupção acabou após 16 horas e meia de atividade, mas existe a probabilidade de uma retomada, afirmou o Instituto de Vulcanologia, que recomendou medidas de precaução.

O presidente Jimmy Morales decretou três dias de luto e estado de emergência ou calamidade em Escuintla, Sacatepéquez e Chimaltenango, mas a medida ainda precisa ser ratificada pelo Congresso.

Em setembro de 2012, provocou a última emergência por erupção no país, o que resultou na retirada de 10 mil habitantes localizados em localidades ao sul do vulcão.

ORM/G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Favor comentar sem palavras ofensivas.

Publicidade Google

Publicidade Portal das Malas

Portal das Malas

Publicidade Shoptime

Publicidade Submarino

Publicidade recargapay

Publicidade Timecenter

Publicidade Euro

Publicidade Trocafone

Publicidade Motorola

Publicidade Plantei

Publicidade Veloe

Publicidade JetRadar

Jetradar

Publicidade Sumup